O momento de trocar as Voltas ao Impossível, chegou.

Autor: Vitor Dias  /   Outubro 01, 2020  /   Publicado em Notícias
Tags: as voltas do impossível, josé moutinho, serra da freita
Tempo de Leitura: 3 minutos

O momento de trocar as Voltas ao Impossível, chegou.Chegou o dia da aventura de Ultra Trail que fará os atletas regressarem a 1942 e se aventurarem na corrida ao volfrâmio enquanto o Mundo está em guerra, enredo no qual José Moutinho carinhosamente apelidado de “Pai do Trail Nacional” se baseia na criação da prova.

Baseada nas Maratonas de Berkeley idealizadas pelo icónico Greg “Lazarus Lake” Cantrell, o Grão Mestre da Confraria Trotamontes José Moutinho criou o “argumento” das Voltas do Impossível que remonta ao conturbado período de 1942 no qual, para o esforço da Grande Guerra nestes montes e vales da Serra se fazia a Exploração do Volfrâmio, metal imprescindível na corrida às armas. Uma história de homenagem aos milhares de pessoas que naquela altura lutaram para mudar a sua vida e traçar o seu destino.

O percurso contempla 5 Voltas com uma distância aproximadamente de 21 kms e 1500 m de desnível cada uma. O começo e o término de cada itinerário será na aldeia de Rio de Frades sobre a ponte, sendo o sentido inicial da prova o dos ponteiros do relógio, alternando-se nas voltas seguintes.

A organização fornecerá um track para orientação, e pontualmente haverá balizagem orientativa em pequenos troços.

O desafio é limitado a 50 participantes que se aventuraram desde o início, com o envio de um “pedido de escolha”. Os escolhidos receberam uma “Carta de Condolências” que formalizou a inscrição e indicou o pagamento simbólico de uma taxa pecuniária de 19.58 €, bem como a taxa adicional de 1 cerveja artesanal e uma matrícula de automóvel.

As Voltas do Impossível começam a qualquer hora entre a meia noite e o meio-dia do dia da prova, 3 de outubro, sendo os atletas informados com 1 hora de antecedência pelo toque de uma corneta. A prova terá início quando o director de prova acender a lanterna.

Além da corrida do percurso os atletas terão que encontrar 13 caixas com livros de Guias de Transporte (utilizadas para transportar Volfrâmio na época) que serão o comprovativo de passagem no local. A falha de alguma destas guias no final de cada volta será motivo para desclassificação. O Atleta correrá com um dorsal distinto por cada volta.

Os atletas que conseguirem terminar as 5 Voltas irão ser “imortalizados” com a inscrição do seu nome numa rocha de Xisto que irá perpetuar o feito. 

Todos os atletas que desistam ou não continuem no local de partida/chegada será tocada em sua homenagem a música do silêncio “Taps”, por um corneteiro.

Não existirão abastecimentos ao longo do percurso, o atleta só poderá ter apoio alimentar ou material na base, em tom de homenagem, à imagem dos mineiros que, também eles, eram abastecidos pelas suas mulheres.

O único material obrigatório será um apito, uma manta térmica, um telemóvel e um relógio com GPS.

Alguns encontrarão o que procuram, outros não…

Entre os participantes da prova poderão encontrar-se os nomes:

Luis Miguel

Tiago Salgueiro

Marco Silva

Luis Rodriguez

Augusto Oliveira

Simon Gfeller

Paulo Alexandre Costa

Antonio Vilela

Antonio Pinto

Pedro Marques

Domingos Costa

Luis Leite

Conceição Ferreira

João Verissimo

Mario Elson Fonseca

Claudio Teixeira

Isaac Costa

Sergio Matos

Diana Gaspar

Jorge Serrazina

Isabella Vedor

Carlos Ferreira

João Oliveira

Sérgio Vieira

Organização:

Confraria Trotamontes

Município de Arouca

Design: Cream.pt

Fotografia: Sports by Paulo Nunes Photography

Leia também ...  Free Running Cerco do Porto

Sobre Vitor Dias

Autor e administrador deste site. Corredor desde 2007 tendo completado 54 maratonas em 15 países. Cronista em Jornal Público e autor da rubrica Correr Por Prazer em Porto Canal. Site Oficial: www.vitordias.pt
Milaneza

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*