Stian Angermund-Vik e Aroa Sio estabelecem novos recordes no Louzantrail

Autor: Vitor Dias  /   Março 08, 2020  /   Publicado em Notícias
Tags: Aroa Sio, louzaintaril classificações, Louzantrail, Stian Angermund-Vik

Stian Angermund-Vik e Aroa Sio estabelecem novos recordes no LouzantrailEste fim-de-semana a Serra da Lousã foi palco de um desfilar de estrelas do trail nacional e internacional em percursos com distâncias para todos os gostos e nível de dificuldade, que reuniram mais de 1400 atletas. A prova mais disputada foi a de 30 km, a integrar o circuito internacional Golden Trail National Series, que viu um novo recorde estabelecido pelo norueguês da Salomon Stian Angermund-Vik.

Comecemos pelo início. No sábado, 7 de Março, partiu o percurso de 43 km com 3200 metros de desnível positivo, a contar para os circuitos nacionais de trail ultra, com Ricardo Silva, da EDV – Viana Trail, vencedor no ano passado, a competir em defesa do título. No entanto, Hugo Gonçalves, da Trail Team Bifase, mostrou-se mais forte e arrecadou a vitória no Ultra Louzantrail, em 4h39m32s, classificando-se Ricardo Silva na segunda posição, com o tempo de 4h41m34s. O pódio masculino ficou completo com a chegada de Guilherme Lourenço, da CRP Ribafria, com o tempo de 4h43m18s.

No final, o atleta que segurou a vitória nos últimos quilómetros, deu os parabéns a Ricardo Silva e a Guilherme Lourenço, e resumiu a luta entre os três pelo primeiro lugar do pódio. Hugo Gonçalves, que em 2019 somou segundos e terceiros lugares nos circuitos nacionais e um 14.º lugar na Ultra Pirineu, começa 2020 a vencer, o que espera que seja “um bom pronúncio” para as competições seguintes. 

Já a vitória feminina teve expressão espanhola, com Aroa Sio, a competir como individual, a mostrar porque é que era uma das favoritas à vitória, terminando em 5h32m32s, retirando 25 minutos ao tempo do ano passado e fixando um novo recorde da prova. “O percurso é maravilhoso, muito técnico, mas diverti-me muito, sem dúvida que quero voltar à Lousã”, referiu a atleta. O segundo lugar do pódio foi conquistado por Lucinda Sousa, da Prozis, mostrando-se em grande forma neste regresso às competições nacionais, com o tempo de 5h58m20s. O terceiro lugar foi alcançado pela atleta da OCS – Arrábida Trail Team, Sofia Roquete, que completou os 43 km em 6h00m06s.

No final, a melhor portuguesa no Ultra Louzantrail disse que esta “foi uma corrida de cabeça”. Lucinda Sousa enfrentou um longo período de recuperação após lesão e escolheu os 43 km do Louzantrail para avaliar o seu regresso à competição, pelo que, afirmou: “este segundo lugar foi para mim uma vitória.” O percurso é, de resto, bem conhecido desta atleta da Prozis, que foi a terceira melhor portuguesa no Campeonato do Mundo de Trail, que se desenrolou também neste cenário. Questionada sobre a escolha desta prova para avaliar o regresso, Lucinda Sousa não teve dúvidas em responder: “A Lousã é única!”

Chuva de estrelas com recorde e três pódios nacionais nos 30 km das Golden Trail National Series

Hoje, partiram as restantes provas do programa. A distância de 30 km, a contar para os circuitos nacionais de trail e para o internacional Golden Trail National Series, foi, como esperado, um desfilar de estrelas, com o norueguês da Salomon, Stian Angermund-Vik, a brilhar mais intensamente, já que não só venceu como estabeleceu um novo recorde, com a marca de 2h40m12s, retirando cerca de 10 minutos ao anterior. No final, o norueguês, que ainda estava com disposição para aprender português, referiu que esta é “uma corrida super divertida”, que fez “sempre a sorrir”. Stian Angermund-Vik parte agora para o Trail Camp da Salomon nas ilhas Canárias, em Espanha, sendo que o seu primeiro grande objetivo este ano no trail é a Zegama-Aizkorri, prova onde conquistou também o recorde do percurso em 2017.

Em segundo lugar classificou-se o jovem (Sub-23) espanhol da equipa Wild Trail Project, Yoel Baeza, com o tempo de 2h48m43s, também ele abaixo do recorde superado este ano. “Nunca tinha estado em Portugal, o percurso é lindíssimo e muito duro, a meio perdi uma sapatilha e achei que já não dava para recuperar o tempo perdido, mas consegui”, referiu o atleta. Também os portugueses brilharam nesta distância de 30 km com 2000 metros de desnível positivo. Dário Moitoso, da Azores Trail Run Pro Team, conquistou o terceiro lugar do pódio, com o tempo de 2h50m58s, mostrando que está na luta pelas vitórias no circuito Golden Trail National Series, o seu objetivo este ano [alcançou o quarto lugar na Maratón del Meridiano, a primeira etapa do circuito], cuja grande final será na sua ilha, a do Faial, num percurso que conhece bem. No final da sua prestação no Louzantrail, o atleta faialense destacou “a oportunidade de competir com atletas de elevado nível” na Lousã, bem como “a tecnicidade do percurso”. “A dificuldade torna tudo mais bonito”, rematou.

Do lado feminino foi Nuria Clapera que se destacou, a espanhola terminou com um tempo 3h23m37s e surpreendida com a vitória. Partilhou que foi a primeira vez que competiu em Portugal e que, portanto, não sabia o que ia encontrar, Nuria Clapera confessou que decidiu competir no Louzantrail porque este ano o seu objetivo é o circuito Golden Trail National Series. “A grande final é nos Açores e estou a trabalhar para conseguir um lugar”, concluiu. A recém-chegada ao trail Inês João, da equipa Saca Trilhos Anadia, conquistou o segundo lugar do pódio em 3h33m31s. Inês João, também se revelou surpreendida com o resultado, face ao nível das atletas estrangeiras. “A minha estratégia passou por tentar não me afastar muito delas e depois passar para a frente pelo menos de uma delas. Foi uma luta muito dura, mas consegui”, disse.

O pódio feminino ficou completo com a conquista do terceiro lugar por mais uma estrela nacional, a recém-chegada à equipa da Salomon/Suunto Portugal, Inês Marques, que conseguiu terminar com a marca de 3h40m07s. “Este percurso é muito duro, tem muito desnível para o que estou habituada, mas treino na Serra da Lousã, que é a minha preferida em Portugal, e os trilhos são fantásticos. Foi uma prova com um nível competitivo muito elevado e no início tive dificuldade em concentrar-me na minha prova, mas a partir do meio consegui seguir mais focada”, revelou a portuguesa no final, que tem em Lavaredo o seu próximo grande desafio.

Quanto às restantes provas, Emanuel Machado, da EDV – Viana Trail, e Joana Cordeiro, da NASA Team, venceram o trail curto, de 18 km, respetivamente com o tempo de 1h40m33s e 2h23m06s. Já o Youth Trail, de 11 km, uma novidade desta edição, foi ganho por Tiago Vieira, da equipa Montanha Clube Trail Running/Efapel, e por Diana Gaspar, da Sim Summit, em, respetivamente 1h02m10s e 1h17m16s.

Os resultados completos podem ser consultados aqui.

Sobre o LOUZANTRAIL

O Montanha Clube organizou a primeira edição do LOUZANTRAIL a 23 de Setembro de 2000, na altura com o nome de “Enduro Serra da Lousã”. A prova era designada como Atletismo de Montanha e integrava os campeonatos da Associação Distrital de Atletismo de Coimbra. O clube com a sua longa e comprovada experiência na organização de provas de Enduro, trouxe esse sistema de cronometragem para os primórdios das provas de trail running em Portugal, usando para isso um sistema de quatro troços classificativos com percursos de interligação onde os participantes tinham janelas de tempo a cumprir. Logo no ano de 2000, teve a participação de atletas de equipas que ainda hoje competem nos circuitos nacionais de trail, tais como o próprio Montanha Clube, CRP Ribafria, CA Barreira e Confraria Trotamontes.

Em 2013, a prova passou a designar-se LOUZANTRAIL, realizando-se sempre no mês de Junho. Em 2019, a prova foi antecipada para Janeiro, em virtude de recebermos em Junho mais uma edição do Campeonato Mundial de Trail. Aos participantes não irá faltar a visita às mais belas paisagens e aos icónicos locais da Serra da Lousã, tais como o Mirante (com vista para a Vila), o Terreiro das Bruxas, as Grutas da N.ª Sr.ª da Piedade, o místico Castelo de Arouce – do século XI – e o ponto mais alto, o Trevim, com uma vista magnífica. E ainda, através dos inúmeros e inesquecíveis trilhos que a serra mágica guarda, a passagem pelas famosas Aldeias do Xisto, onde se destacam a do Talasnal, Casal Novo, Vaqueirinho, Candal, Cerdeira, Chiqueiro (com a sua fotogénica “varanda” para a vila), e tantos outros locais de pura beleza e muitas histórias.

Para alcançarem estes locais de rara beleza os atletas terão de percorrer os mais emblemáticos trilhos da Serra da Lousã – Amazónia de Baixo, Trilho do Rochedo, Trilho da Raposa, Trilho do Javali, Trilho do Escorrega e Trilho da Cascata do Candal. Estes são exemplos que vão fazer com que os participantes nunca mais se esqueçam da Serra da Lousã.

Saiba mais em www.louzantrail.com

Leia também ...  Portugal volta a integrar o circuito das Golden Trail National Series

Sobre Vitor Dias

Autor e administrador deste site. Corredor desde 2007 tendo completado 54 maratonas em 15 países. Cronista em Jornal Público e autor da rubrica Correr Por Prazer em Porto Canal. Site Oficial: www.vitordias.pt
Prozis 10% CORRERPORPRAZER

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*