Portugal volta a integrar o circuito das Golden Trail National Series

Autor: Vitor Dias  /   Novembro 26, 2019  /   Publicado em Notícias  /   Sem Comentários

Portugal volta a integrar o circuito das Golden Trail National SeriesAs novidades para esta segunda edição são a final no Azores Trail Run® – Volcanoes Trail e a Kanpezu-Ioar Mendi Maratoi Erdia.

O Louzantrail (30km) mantém–se de pedra e cal, assim como a Maratón del Meridiano (42km), o Trail Cap de Creus (23km) e a Sky Pirineu (36km) que completam o cartaz do circuito

Os vencedores da primeira edição do circuito foram Gisela Carrión e Eduard Hernández

Depois do êxito da primeira edição das Golden Trail National Series, um circuito criado pela Salomon e formado pelas corridas de montanha mais icónicas que se celebram na Europa, em 2020 a experiência repete-se e dá lugar à segunda edição. O objetivo e a essência serão os mesmos, reunir os melhores atletas de cada país em cinco corridas emblemáticas.

As novidades deste ano são a final na ilha do Faial, no Azores Trail Run® – Volcanoes Trail e a inserção da Kanpezu-Ioar Mendi Maratoi Erdia, enquanto as restantes corridas serão as mesmas da edição passada: a Maratón del Meridiano, o Louzantrail, o Trail Cap de Creus e a Sky Pirineu. Todas entre os 20 e os 42 km e seguindo a filosofia do circuito internacional das Golden Trail World Series: mostrar e proteger a natureza e as montanhas onde se compete e juntar os maiores apaixonados deste desporto.

As 5 Magníficas

O pano sobe a 1 de fevereiro no ponto mais a sul da Europa, a ilha del Hierro, nas Canárias, com a Maratón del Meridiano (42 km e 2.600 m D+). Daí o circuito viajará até ao coração de Portugal, para o Louzantrail (30 km e 2.000 m D+), que terá lugar a 8 de março. Uma prova de emoções nas famosas Aldeias do Xisto, cujo o traçado promete caminhos rurais entre vales e áreas montanhosas que revelam a história da Serra da Lousã. A paragem seguinte será a 19 de abril na Catalunha para o Trail Cap de Creus (23 km e 1.200 m D+), caracterizado pela espetacularidade da Costa Brava e seus penhascos, no limite entre o céu e o mar.  A 5 de Maio estreia-se no circuito a Kanpezu-Ioar Mendi Maratoi Erdia (26,5 km e 1.930 m D+) que cruzará a Sierra de Kodés, na linha entre Navarra e o País Basco, passando pelo seu ponto mais alto, o Monte Loar (1.416 m), com vistas para o Vale de Kanpezu a norte e para o Vale de Ebro a sul. No outono, a 3 de outubro, os Pirinéus catalães acolhem a Sky Pirineu (36km, 2800 m D+), uma corrida de puro skyrunning e que percorre alguns dos pontos mais simbólicos do Parque Natural de Cadí Moixeró. Daí o circuito voa até ao Faial para a grande final no Azores Trail Run® – Volcanoes Trail (38 km e 2000 m D+) a 1 de novembro.

Para poder marcar pontos e serem convidados à final, os atletas terão de participar no mínimo em duas das corridas do circuito e na Sky Pirineu. Os três primeiros classificados feminino e masculino serão convidados a competir nos Açores, com os pódios masculino e feminino das Golden Trail National Series da França e Bélgica, Itália, Polónia, República Checa e Eslováquia; e outros países ainda a confirmar. Os participantes a partir do terceiro lugar também poderão viajar aos Açores para competirem na Azores Trail Run® – Volcanoes Trail e lutar pelo seu lugar nas Golden Trail World Series 2021, caso subam ao pódio.

Açores, a grande final

Em cada uma das 5 corridas que fazem parte do circuito, será atribuída uma pontuação aos participantes, partindo dos 100 pontos para o primeiro até aos 2 pontos para o corredor classificado na 30.ª posição.

Realizadas as 5 magníficas, os 3 primeiros classificados masculino e feminino, com a condição de terem participado em 2 corridas, mais a Sky Pirineu, serão automaticamente convidados a correr na final das GTNS que se celebrará a 1 de novembro no Azores Trail Run® – Volcanoes Trail (38 km e 2000 m D+). Aqui competirão os melhores das GTNS europeias e os pódios masculino e feminino terão acesso direto a três corridas das Golden Trail World Series 2021.

Na Azores Trail Run® – Volcanoes Trail, os atletas vão poder desfrutar de um traçado diferente e especial, pois cruza 10 vulcões adormecidos e desemboca na Levada, considerada o maior trabalho de engenharia hidráulica da década de 60 nos Açores. São 8 km por pontes e túneis espetaculares neste canal artificial de água que vai dar à Caldeira do Faial, uma das caldeiras vulcânicas mais incríveis do planeta. Depois da volta começa a descida através de velhos caminhos até à cidade da Horta, situada numa das baías mais bonitas do mundo.

A grande final reúne tudo para ser incomparável e fechar a segunda edição das Salomon Golden Trail National Series.

Em 2019 foi a Sky Pirineu que recebeu a final a 5 de outubro. E os vencedores desta primeira edição do circuito foram o espanhol Eduard Hernández, que entrou a ganhar na primeira corrida no Louzantrail, seguindo do norueguês campeão de Skyrunnning mundial, Stian Argermund-Vik e Jan Margarit. No feminino a vencedora foi Gisela Carrión, seguida de Silvia Puigarnau e Maria Beringues, 6.ª e 12.ª respetivamente no Louzantrail.

Mais informação sobre as Golden Trail Series aqui

Notícia Relacionada...  Tòfol Castanyer foi o vencedor do Azores Trail Run 2015
Maratonas na Europa

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*