Ao km 8, terminou a maratona do Luis

Autor: Vitor Dias  /   Fevereiro 26, 2018  /   Publicado em Notícias, Slider  /   1 Comentário

Ao km 8, terminou a maratona do LuisNunca estamos preparados para a morte. A frase é feita e traduz uma realidade dura para quem com ela priva, mesmo sendo uma pessoa que não conheces mas que partilha contigo os mesmos gostos e neste caso a mesma prova.

O Columbus Trail 2018, na Ilha de Santa Maria ficou marcado pela morte do atleta açoriano Luis “Dominique” Gambão, originário da Ilha de S. Jorge.

Estavam reunidas todas as condições para um verdadeiro dia de felicidade para o Luis. “Na véspera parecia um menino ao falar da prova. Que contente que ele estava…” dizem os amigos mais chegados. Era o regresso a Santa Maria onde trabalhou há alguns anos atrás, era o convívio com os amigos na véspera da prova, eram os 42 km de prazer que iria tirar dos trilhos fantásticos que a organização tinha preparado.

Ao km 8…surge o que nada se pode prever!….o fim de uma possível conquista, o desfrutar de uns trilhos maravilhosos, a alegria de um final radiante onde o esperavam os amigos, as palmas, os risos, os abraços, as lágrimas de felicidade, a partilha da experiência. Ao km 8…o trilho do luis chegou ao fim. O Km 8 ….foi o fim de 53 anos de uma vida. Nada mais havia para percorrer…

Uma palavra apreço à organização da prova que perante uma situação inédita e dramática soube ser exemplar no apoio à família e aos amigos, na comunicação aos media e aos atletas inscritos no evento.

Aos atletas do Columbus Trail 2018 cabe as minhas últimas palavras de respeito e até de gratidão da forma como compreenderam o cancelamento da prova, mesmo quando alguns deles fizeram um grande investimento financeiro para ali se deslocarem, não tendo muitos deles (a maioria) sequer alinhado à partida. Foi bonita a corrida espontânea que organizaram no dia seguinte.

Aos familiares e amigos deixo a meu mais profundo pesar, à organização da prova a força para continuar e aos atletas a força e a vontade para continuarem a fazer aquilo que o Luis tanto gostava, correr por prazer.

Foto: Paulo Gabriel

Azores Triangle Adventure 2018

One Comment

  1. Alexandre 27 de Fevereiro de 2018 9:27

    Rapaz de sorte esse Luís. Como li algures, poucos morrem a fazer aquilo que gostam.

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.