Tripa de Ferro no corredor I

Autor: Filipa Vicente  /   Dezembro 29, 2016  /   Publicado em Alimentação, Slider  /   1 Comentário

Tripa de Ferro no corredorO intestino é a primeira e mais importante barreira que utilizamos no dia a dia para impedir a entrada de agentes pejorativos no corpo sendo um importante componente na imunidade. Mais do que isso recentemente tem-se vindo a descobrir e provar que a flora intestinal tem um papel determinante na saúde fisiológica e metabólica do indivíduo. Fique a saber como ter “uma tripa de ferro”.

Infelizmente a corrida, enquanto desporto de endurance, pode ter um papel pejorativo na saúde do intestino uma vez que este tipo de esforços promove maior stress e maior permeabilidade intestinal pela própria natureza do esforço.

Por isso mesmo, os atletas de endurance por vezes apanham sustos quando menos esperam ou por exemplo ficam debilitados quando devido à toma de um antibiótico passam por alguns sustos gastrointestinais.

Nesse sentido trazemos algumas recomendações para melhorar a saúde do seu intestino, já tínhamos falado aqui da importância deste aspecto. Pode consegui-lo com uma acção sinérgica de 3 factores nutricionais muito acessíveis

1. Probióticos

Os probióticos ajudam a manter controlada e popular a flora intestinal de uma forma natural e promotora de saúde. As melhores fontes de probióticos são três alimentos fermentados muito característicos:

  • Iogurte, procure ver na designação de venda se é mesmo iogurte porque é das melhores fontes que tem para esse efeito

  • Kefir, pode fermentar leite ou bebidas vegetais para produzir um “iogurte”/leite fermentado

  • Kombucha, consiste essencialmente numa bebida preparada a partir de chá fermentado

  • Pickles, preferencialmente em salmoura

  • Xoucroute, basicamente é uma salada de couve prensada e fermentada

2. Efeito simbiótico

Para alimentar estas bactérias é importante fornecer-lhes o seu alimento, preferencialmente a fibra e por isso mesmo conseguimos um efeito simbiótico se juntarmos alguns alimentos da lista seguinte com os probióticos naturais:

  • Banana

  • Flocos de aveia

  • Sementes (chia, girassol, etc.)

3. Um “cimento” óbvio

A glutamina é um elemento fundamental para as células do intestino e do sistema imune. Além de um efeito combustível e estrutural tem um papel determinante como regulador.

A suplementação com glutamina (5-10g) ajuda a diminuir a permeabilidade intestinal diminuindo o risco de diarreias agudas e outros transtornos gastrointestinais.

Curiosamente, a glutamina e os probióticos colaboram de forma sinérgica na diminuição de infecções respiratórias que infelizmente também afectam o corredor sobretudo em alturas mais frias uma vez que são o sistema mais sujeito às alterações climáticas.

No próximo artigo falamos também de outro ponto essencial na saúde intestinal: a regulação do funcionamento intestinal.

Maratonas na Europa

One Comment

  1. Joaquim Nogueira 30 de Dezembro de 2016 19:51

    Nunca é demais ler sobre este tema que tanto me apoquenta desde há uns anos, e para o qual não encontro explicação, depois de feitos os exames prescritos, e consequente diagnóstico.

    É bem verdade o que dizem num outro Vosso artigo: “E como o intestino é o nosso segundo cérebro, uma boa saúde intestinal é sinónimo de uma boa saúde mental, algo que ajuda a ter mais resistência psicológica durante as corridas longas”. E de que maneira!

    Obrigado por toda esta informação.

    Um bom 2017 para toda a Equipa.

    E um abraço para o Vitor

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.