Entrevista com Carla André

Autor: Vitor Dias  /   Dezembro 26, 2014  /   Publicado em Entrevistas, Mulher Corredora, Slider  /   Sem Comentários

carla andréHá 5 anos atrás conseguia correr apenas 5 minutos. Agora corre ultra maratonas e até ganhou a prova 24h Portugal – 24 horas a correr. Nem mesmo o facto de ser gerente bancária e de ter um horário laboral pouco convencional, não deixa de treinar para os grandes desafios que enfrenta. O próximo será a MDS – Maratona das Areias.

Quando começaste a correr?

Há cerca de 5 anos

Qual o teu passado desportivo?

Apenas fazia treinos de ginásio, nunca pratiquei nenhum desporto em particular.

Porque a corrida e não outro desporto?

Porque é um desporto muito prático e podemos fazer em qualquer sitio. Na pratica só necessitamos de uns sapatos de corrida. Depois a paixão começou a desenvolver-se, e neste momento sei que não troco por nada, foi a escolha certa!

O que mais te fascina na corrida?

A sensaçao de liberdade que dá, e o vicio que se instala que te faz não conseguir largar. O contacto com a natureza.

Não será fácil conciliar a vida profissional, familiar e desportiva…

Não é definitivamente fácil conciliar tudo, mas é possivel. Muito em particular quando o que gostamos são mesmo as ultra distâncias, porque exigem treinos mais longos, e consequentemente mais tempo. Há que fazer uma boa gestão do tempo e depois ter espirito de sacrificio para se for necessário fazer um treino às 11 da noite.  Em relação à vida familiar tenho a sorte de o Hugo também gostar de desporto e compreender esta minha paixão. Mesmo não fazendo as ultra distâncias, fazemos muitos treinos juntos e discutimos juntos os temas do treino, conselhos, etc. Em relação a vida profissional é mais complicado dado que pela minha profissão de gerente, entro cedo e não consigo ter um horário certo para sair, o que implica muitas vezes ser mais dificil cumprir rigorosamente com os planos de treino que defini, ou então cumpri-lo tardiamente.

Com tão pouco tempo ligada às corridas, tens optado por grandes desafios? É o que mais te atrai, os desafios?

Mais do que uma boa classificação numa prova, o que mais me fascina é ganhar a mim própria um enorme desafio. A superação e o desafiar os limites que consideramos que o corpo tem. O fascinio passou por ter descoberto um dia que os maiores limites estão na mente e não no corpo.

Qual a prova que mais gozo te deu fazer?

As 100 milhas do OMD (Horizontes), onde percorri 166 kms seguidos pela Serra da Estrela. Foram duas noites sem dormir nos trilhos mais dificeis da Serra, quando cheguei sentei-me e disse, consegui!

carla andréEntre outras provas, este ano participaste no 24h Portugal, uma prova de 24 horas a correr em que acabaste por vencer. Contas-nos como foi.

A prova 24h foi uma experiência fantástica! Era novidade em Portugal e permitia correr a distância que se quisesse nesse periodo. Como treino para a mesma, no dia dos meus anos fui até à Cidade Universitária correr 37km, os anos que comemorava, em voltas aproximadas de 600m. Confesso que o treino me custou mais que a prova! Foi terrivel, ou seja, uma excelente preparação. Embora na prova se tratassem de voltas de 2km, o engraçado é que o facto de passarmos na meta dava um enorme ânimo. Só experienciando se consegue entender o que digo, mas o apoio que é dado a cada vez que passamos lá, diminui a perceção que estamos a fazer voltas de 2km. Tenho a certeza que corremos com a mente e não com as pernas, por isso esta ajuda motivacional deu-me forças para sair de lá com 145km e ser a vencedora feminina.  Por outro lado, a questão da logistica, podemos correr leves porque tudo está a um simples passo. Iniciei a corrida com mochila, e algumas voltas depois larguei-a porque não é necessário, os abastecimentos da prova eram permanentes e caso fosse necessário estava tudo ali.  O convivio permanente entre os próprios atletas em prova foi fantástico! Fiz muitas provas em 2014 mas as 24h foi uma prova das mais especiais, deixou-me saudades e espero em 2015 ter agenda para voltar.

Em 2015 terás muitos desafios pela frente. Sabemos que a Maratona das Areias (MDS) em que terás que correr 6 dias no deserto será talvez o maior de todos. Como surgiu a ideia e como está a decorrer a preparação?

Serão cerca de 10 dias no Deserto sendo que em etapas serão 6 dias, e percorremos 250km. É uma paixão antiga que nunca pensei conseguir ter a coragem de dar o primeiro passo para realizar. Mas a vida ensinou-me que se não tentarmos não conseguiremos mesmo. Quem me conhece sabe que a minha maior paixão é correr na montanha, no entanto, esta prova é especial não so pela corrida em si mas pelo enorme desafio que representa. Estar 1 semana no deserto em autossuficiência total, em que a organização só faculta água e uma tenda aberta , e o resto levamos às costas, só poderá ser marcante! A preparação já iniciou há algum tempo e consiste em fortalecer muito bem a zona core e costas com exercicios, e fazer treinos de corrida com a mochila. Já iniciei com 7,5kg. Em prova o peso será de 10kg aproximadamente. Só quero que Deus me dê forças para acabar este enorme desafio!

Correr é para ti mais do que um desporto, é já uma forma de vida?

Definitivamente que sim! Tudo gira à volta da corrida. Costumo dizer que vivo uma paixão assolapada pela corrida, acordo a pensar nela e adormeço a sonhar também. A verdade é que a minha mente, nos tempos livres está sempre a pensar nos desafios, no que posso fazer para melhorar o desempenho, ler conselhos, planear, ler experiências. Acho que tenho a sensação de que quando toco no tema os olhos brilham, e isto diz tudo.

Que conselho dás tanto a corredores como aos que pensam começar a correr?

Eu diria da minha própria experiência. O que mais oiço dizer é, fico ofegante, parece que vou morrer, e , não gosto de correr. Eu comecei a correr há uns anos ..5 minutos..depois fui querendo aumentar sempre um minuto, mais um minuto. Quando corri meia hora festejei. Cheguei à 1 hora e estava eufórica. Depois não mais consegui largar. A corrida faz-nos tão bem e faz-nos felizes que me apetece puxar toda a gente para correr, eu só digo, experimentem, tentar criar o ‘bixinho’ e so depois podem dizer se gostam ou não. Eu tenho o exemplo cá em casa de alguém que dizia…’não gosto de correr’…e  hoje diz para mim….’temos de ir correr’!!

E às mulheres corredoras?

A corrida é um desporto fantástico para as mulheres que muitas vezes têm o tempo mais apertado. A logistica é facil, podemos sair de casa e dar uma corrida rápida, e o treino está feito! Em termos fisicos e psicológicos é excelente, dado que ajuda na perda de peso e aumenta a auto estima!

Correr Por Prazer nomeado para blog do ano 2018

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.
Blogs do Ano - Nomeado Desporto