Deixar de fumar…missão (im)possível?

Autor: Maria João Sá  /   Maio 31, 2014  /   Publicado em Lesões e Doenças  /   Sem Comentários

Deixar de fumar…missão (im)possível?“Fumar mata”, “fumar prejudica gravemente a saúde e a dos que o rodeiam” são apenas algumas das mensagens que se podem ler nos maços de tabaco que circulam entre nós. De facto, um em cada quatro português fuma e, seguramente, nenhuma destas mensagens foi suficiente para reduzir este número, o que significa que, nem mesmo perder a vida é, na maior parte das vezes, motivo para deixar de fumar. O que fazer então?

Fazendo um paralelismo àquilo que se passa na corrida, o que o move para sair de casa, no final de um dia cansativo de trabalho, para uma corrida à chuva? Seguramente as respostas a esta pergunta serão muito distintas, mas é aí mesmo que reside o cerne da questão. Aquilo que motiva o atleta olímpico serão as medalhas, o atleta amador poderá ser o prazer do convívio com os colegas, as corridas populares ou a gestão do peso e do stress. A pergunta que se coloca é “o que é aquilo que o move?”, quer seja para sair e correr, quer seja para deixar de fumar. O segredo passa pela identificação individual das motivações para deixar de fumar: ou um sorriso mais branco e fresco, ou uma pele mais bonita, ou o dinheiro que economiza ao deixar de fumar, entre tantas outras.

Se está a pensar em deixar de fumar, escreva as suas motivações e guarde-as consigo. Ao longo do processo de cessação tabágica, serão fundamentais para relembrar nos momentos de maior ansiedade e quando a vontade de pegar no cigarro surgir. Este processo não é fácil, custa, mas não deve ser visto como “um fardo que tem que suportar”. E porque não encarar como um desafio individual, uma experiência positiva? Uma forma de aprender a viver de uma maneira diferente, sem o tabaco!

Escolha um dia que tenha um significado especial para si: o dia de aniversário do seu filho, o dia de aniversário do seu casamento… E esse dia, o dia D, será o dia em que deixará de fumar. Não deposite esperanças na ideia de que “vai reduzindo aos poucos” pois assim dificilmente se desprenderá deste vício. Até ao dia D, há pequenas coisas para mudar no seu dia-a-dia e que o ajudarão a ter sucesso neste processo:

– Sempre que a vontade de fumar um cigarro surgir, espere dez minutos até fumar – para que não se esqueça desta medida, coloque uma fita colorida no maço de tabaco. Isso irá ajuda-lo a relembrar os dez minutos e, aos poucos, aprender a gerir a ansiedade.

– Escolha um sítio pouco agradável e onde passe pouco tempo: é nesse sítio onde irá fumar. Assim conseguirá reduzir mais alguns cigarros ao longo do dia.

– Se tem por hábito fumar no automóvel, deixe ficar o maço de tabaco na mala do carro. Desta forma evita fumar enquanto conduz. No entanto, se a vontade de fumar for imperiosa, basta parar e abrir a mala para fumar.

– Faça uma lista de coisas para ocupar o seu tempo: quando estiver descansado em casa e a vontade de fumar surgir, ponha algumas dessas tarefas em prática.

– Compre apenas um maço de tabaco de cada vez e compre o próximo apenas quando atual terminar.

– Aproveite também esta fase para refletir sobre as suas motivações. Elas têm que ser fortes, pois vai deixar de fumar num mundo que ainda fuma. Há que manter firme a sua determinação!

Chegado o dia D, não antecipe o que vai acontecer depois. Leve um dia de cada vez: “por hoje não fumo” e no dia seguinte pense “se ontem não fumei, hoje também consigo não fumar”. E assim sucessivamente. Seguramente irão surgir momentos de maior tensão que despertem a vontade de fumar, mas lembre-se que o tabaco apenas devia a atenção momentaneamente, não resolve a situação. No caso de surgir uma recaída, não veja isso como um fracasso, mas sim como parte do processo, pois seguramente esta experiência trouxe ensinamentos para tentativas futuras.

Experimente, vai ver que vale a pena!

Ultra Sanabria

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.