Não engorde no Natal

Autor: Filipa Vicente  /   Dezembro 06, 2013  /   Publicado em Alimentação  /   1 Comentário

Estamos em Dezembro e por esta altura já começaram os almoços e jantares de Natal, as primeiras promessas de voltar à regra no dia 3 de Janeiro, os receios dos quilos natalícios e os sonhos com a mesa natalícia. Todos os anos acontece a mesma coisa, passa a época festiva num misto de negligência alimentar e sentimentos de culpa. Saiba como desfrutar realmente das festas com menor impacto na balança e na cintura.

Moderação

A palavra devia ser tão grande quanto a sua importância na nossa vida. Somos animais de hábitos mas sobretudo somos mal habituados. Com maior ou menor austeridade, nada deleita mais o ser humano que uma mesa cheia de comida com “free pass” para “all you can eat”, com a ideia de que no dia, na semana ou no ano seguinte recomeça os cuidados. Este ano, livre-se desse comportamento pecaminoso a que poderíamos chamar simplesmente gula.

Não tem necessidade de comer até ficar mal disposto e comer tudo o que lhe põem à frente, não só não vai desfrutar dos sabores, cores e texturas como vai acabar por exceder a conta desnecessariamente.

E também não serve de nada pensar que vai gastar no treino do dia seguinte, as coisas não funcionam assim quando cada fatia de bolo rei tem 600kcal e já comeu três depois de atacar a mesa dos doces.

Os melhores, os menos maus e os piores

O segundo conselho passa pela escolha criteriosa dos “pecados calóricos”, sabendo os mais calóricos, pode mais facilmente restringir ou moderar a porção.

Os fritos como as azevias, rabanadas, as filhoses e os sonhos são os mais perigosos, uma porção média pode ter entre 250 e 300kcal. Mas uma fatia de bolo rei ou rainha pode chegar às 900kcal.

Mas outros, como a aletria, o arroz doce, as farófias ou um pudim podem não passar das 150kcal/tigela pequena.

Portanto, deve fazer uma escolha, o ideal seria guardar-se para o bolo rei porque como pode ver uma fatia esgota o orçamento natalício. Mas se a sua perdição são os fritos e o bolo rei, reduza a porção e desfrute de um pedaço de cada, menos quantidade = menos calorias.

Estratégias essenciais

Leve esta lista na sua carteira e verifique se cumpriu estes cuidados, se o conseguir, não tem porque recear os quilos natalícios porque eles somem assim que largar a mesa das sobremesas.

  • Não ataque a mesa dos doces de Natal antes do fim do jantar da consoada, a sua batalha começa na altura da sobremesa.

  • E não passe o dia sem comer para poder comer sem medo, faça uma alimentação dentro do seu ritual normal. Pode e deve cortar nos excessos como o açúcar, bebidas alcoólicas, etc. durante o dia para ganhar margem de manobra

  • Faça um jantar dentro do normal incluindo o tradicional bacalhau (ou polvo) com batatas cozidas e/ou grão, uma porção adequada de hortaliça e um tempero moderado de azeite. A hortaliça vai ajudar a controlar os ímpetos assim como a fibra do grão-de-bico, por isso não tenha vergonha de os repetir.

  • Escolha uma das sobremesas disponíveis para o jantar e ingira uma quantidade ponderada, dentro da sua resistência mental, preferindo os menos calóricos ou mesmo uma peça de fruta.

  • Enquanto espera a meia-noite escolha um frito único ou tire um pedaço equivalente a 1/8 de cada frito que aprecia, acompanhe com uma tisana ajudando na saciedade e a enganar a gula. Não há razão para ter fome a esta hora, a visão de comida está a deturpar o seu auto-controlo.

  • Celebrada a meia-noite, a tradição do bolo-rei pode ser incontornável, uma fatia pode queimar no treino do dia seguinte, mais do que isso é demais.

  • Feche aqui a noite e terá cumprido essa árdua missão.

  • Acorde no dia 25 e siga a sua rotina normal, se possível treine mesmo que não cumpra o plano e seja mais curto.

  • O almoço de Natal, habitualmente peru, enquadra-se perfeitamente numa rotina adequada. Se tem batatas fritas, petisque uns palitos, não se esqueça que a procissão ainda vai no adro.

  • Siga a mesma regra da sobremesa do dia anterior, escolha das “menos calóricas” ou simplesmente fruta.

  • Deixe a mesa das delícias para o lanche, escolha entre bolo-rei e os fritos.

  • Tente terminar aqui com todos os doces, iguarias, etc. distribuindo pelos vizinhos ou até pelos mais carenciados. Dê uma ceia de Natal a quem realmente precise.

  • Volte aos cuidados, recomeçando os seus cuidados normais do dia-a-dia.

  • Se foi o anfitrião, o ideal é que tivesse feito apenas o necessário para os convidados e que não tenha sobrado muito, mas se sobrou procure distribuir. Se tiver em casa, já sabemos o que vai acontecer.

Se nada disto correr bem, dia 26 volte ao plano porque o que realmente a/o vai engordando não é (só) o que come no Natal mas também entre o Ano Novo e o Natal.

Provas de Trail

One Comment

  1. FERNANDO PEREIRA 6 de Dezembro de 2013 21:18

    OLÁ FILIPA BOA NOITE.
    VAI SER MUITO DIFICIL,NÃO CAIR NA TENTAÇÃO.
    BOAS FESTAS PARA TODOS.
    FERNANDO PEREIRA

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.