Ganhe massa muscular a correr

Autor: Filipa Vicente  /   Novembro 11, 2013  /   Publicado em Alimentação, Treino
Tags: Alimentação, massa muscular

A corrida (de meio fundo e fundo) é um desporto muito saudável, promove o convívio, o espírito de entreajuda, permite estar ao ar livre, acarreta um gasto calórico que ajuda no controlo do peso e tem muitos outros benefícios físicos, fisiológicos, metabólicos e psicológicos que são facilmente reconhecidos. No entanto, é extremamente catabólica do ponto de vista do tecido muscular. Por isso muitos corredores debatem-se com muita dificuldade na tentativa de ganhar massa muscular. Saiba o que fazer

Incorpore treino de força

Não, não basta correr e muitas vezes “só correr” torna-se ainda pior para aquele que é o órgão do movimento no seu corpo. O treino de força permite trabalhar capacidades que a corrida não desenvolve produzindo adaptações necessárias para a manutenção e, idealmente, ganho de massa magra mesmo que lentamente.

No início bastam alguns agachamentos, lunges, elevações numa barra fixa (ou remada invertida numa barra baixa) e flexões no solo mas o ideal é aumentar o nível de dificuldade incorporando resistência em alguns destes exercícios.

 

Não corra apenas “devagar”

O esforço lento, prolongado e contínuo ocupa grande parte do seu dia-a-dia de treinos mas esse é precisamente um motivo pelo qual não há progresso a nível anabólico. Esforços muito prolongados e a baixa intensidade não promovem, e podem mesmo inibir, as adaptações metabólicas, fisiológicas e hormonais responsáveis pelos processos de hipertrofia muscular nomeadamente os níveis de hormona de crescimento e testosterona, induzindo níveis elevados de cortisol, uma hormona catabólica que pode não ajudar nada na gordura abdominal.

Incorpore treino de velocidade mesmo para grandes distâncias, corra X km do seu treino longo  a um dado ritmo e faça treino intervalado 1 a 2x por semana. Recorde os artigos sobre treino de velocidade e sobre fartlek.

Não negligencie a proteína

Muitos atletas de fundo vivem de massa, arroz e batatas e alguns mantêm mesmo padrões alimentares próximo de um vegetarianismo quase estrito porque os hidratos de carbono são considerados o combustível de eleição. Não está totalmente certo, é necessário incluir proteína, especificamente de alto valor biológico.

A proteína de alto valor biológico fornece os aminoácidos essenciais necessários para garantir os processos de reparação e crescimento musculares. Devido ao seu score de aminoácidos e à sua digestibilidade, são muito superiores às proteínas vegetais mesmo quando comparadas com a combinação estratégica de cereais e leguminosas.

Por isso, comece por incluir uma fonte proteica de alto valor biológico na maioria das suas refeições, sobretudo e com maior destaque depois do treino.

Aposte na carne, no peixe e nos ovos complementando com derivados do leite. Se tem dificuldades em cumprir as suas necessidades proteicas, inclua um suplemento de concentrado proteico.

Filipa Vicente

Leia também ...  Contagem decrescente para a partida

Sobre Filipa Vicente

Nutricionista (CP1369N) e Professora universitária (IUEM). Escreve para o Correr Por Prazer desde a sua criação em 2008. É essencialmente uma facilitadora de escolhas na busca da melhor versão de nós mesmos. Site oficial: www.filipavicente.net
Trans Penêda Gerês

8 Comentários

    X