Entrevista a Carlos Sá

Autor: Vitor Dias  /   Agosto 20, 2013  /   Publicado em Entrevistas  /   1 Comentário

Entrevista a Carlos SáTal como já tínhamos anunciado, publicamos hoje a entrevista realizada a Carlos Sá, com perguntas feitas pelos nossos leitores. Numa altura em que o atleta português já se encontra há vários dias em estágio em Chamonix para a sua participação no UTMB, damos a conhecer pormenores da vida de um corredor que começou do zero tal como a maioria de nós.

Paulo Trindade
Qual foi a sensação quando percebeu que ia ganhar a corrida do Vale da Morte?

Foi um momento mágico, difícil explicar estes sentimentos.

Tenho um sonho antigo, fazer pódio numa das provas mais emblemáticas do Mundo, em ambientes extremos (Badwater, UTMB e MDS), ganhar foi ouro sobre azul.

 

Filipe Jorge
Para provas como a que acabou de ganhar ou mesmo para a que vai fazer agora do Mont Blanc, como é que se treina a cabeça para estas provas, ou por outras palavras como é que nos motivamos mentalmente para elas?

Em primeiro lugar é necessário amarmos muito este desporto, sentirmos que podemos fazer sempre mais e colocar desafios cada vez mais exigentes à mediada que vamos superando os nossos limites. Só assim encontramos a motivação para treinar a 100% todos os dias, fazer multi-desportos também ajuda, eu sou apaixonado pelo desporto ,pratico com regularidade Bike, Alpinismo e corrida.

 

Fernando Varela
Numa prova de dureza extrema como a que foi a Badwater, com momentos dificílimos, qual foi o segredo para ultrapassar aquele que haja sido o momento mais difícil?

Já passei por momentos mais complicados e extremos  ao longo da minha vida e isso ajuda muito a enfrentar as dificuldades. A cada desafio superado ficamos mais fortes psicologicamente e isso tem um peso muito grande no desfecho de cada prova/desafio.

 

João Laranjeira
Penso que é de concordância global que a alimentação é um ponto essencial no desempenho de um atleta de alta competição! Qual é a base da tua dieta alimentar?

Sem dúvida, não sou extremista e como um pouco de todo, mas dou preferência à dieta Mediterrânica, tenho a felicidade de morar num meio Rural e poder cultivar grande parte dos meus alimentos.

 

Luis Sousa Pires
Parabéns pelo épico triunfo na Badwater, prova que acompanhei com total interesse e entusiasmo. Também estarei no Ultra Trail du Mont Blanc e, sendo a minha primeira prova com mais de 100km, pergunto qual vai ser o principal obstáculo, e como me preparar para essa dificuldade? Se ainda for a tempo, claro! E, já agora, tendo o UTMB a elevação máxima de 2525mt, será muito relevante – para mim, cujo único objectivo é terminar – não ter feito nenhum treino de altitude? Obrigado, e boa sorte para Chamonix!

Creio que é comum nesta prova os últimos 40 kms serem os mais duros, é o acumular de vários factores e convém estar ainda com energia para enfrentar mais esta última maratona.

Mais que treinar em altitude, convém estar em altitude, caso venhas uns dias antes, tenta passar várias horas acima dos 2500m, isso pode ajudar e muito, caso nunca tenhas estado a estas altitudes vais perceber se o teu corpo se adapta a este fenómeno, há pessoas que já tem problemas de hipoxia acima dos 2000m e isso em esforço  e num ambiente extremo é muito complicado gerir.

 

Simão Padrão
Na badwater, a determinada altura o mexicano disse para seguir sozinho pois estava mais forte. Se o mexicano não lhe tivesse dito isso o Carlos teria seguido na mesma? Ou teria ficado e provavelmente sido alcançado pelo australiano?

É difícil prever esse tipo de coisas, durante a primeira parte da corrida tínhamos o Eduardo (Brasileiro que tirou 1h ao recorde da 135 do Brasil) isolado a cerca de 40min. Disse sempre à minha equipa de apoio que não estava preocupado com isso, o Osvaldo provou que é o mais regular na Badwater, tinha 4 participações sempre nos dois primeiros lugares, isso mostrava-me que era aquele os ritmos dos vencedores, e estava certíssimo. O Eduardo pagou caro a ousadia.

Quando decido ir embora faltava 70km para o final, tive receio de ser muito cedo e quebrar  na parte final, mas consegui aguentar e controlar, já o Autraliano não fazia ideia que estava a recuperar daquela maneira e só nos apercebemos muito em cima, daí eu ache que dois carros de apoio sejam fundamentais até porque o nosso apesar de ser novo, esteve prestes a dar o berro.

 

Ricardo Caetano
Como em princípio vai no grupo da frente. Há o risco de se perder durante o percurso, durante a noite por exemplo? Votos de excelente prova!

Impossível, todo o percurso é feito em estrada e  muito  fácil de orientação.

 

José Carlos Fonseca
Como é humanamente possível fazer o que fez?

Tenho demostrado que com VONTADE tudo é possível. O primeiro passo e mais difícil foi saltar do sofá e perder mais de 30 quilos.

 

Paulo Pires
Como se consegue recuperar fisicamente em tão pouco tempo? Que cuidados especiais com a alimentação permitem repor e regenerar a massa muscular que inevitavelmente foi consumida durante uma prova tão dura como a badwater?

Tenho conseguido ao longo desta época  resultados incríveis  com desafios a cada 40 dias, estou muito satisfeito com a minha capacidade de recuperação, não sei como vou aguentar o UTMB mas já meti mais de 50.000m de desnível e este fim-de-semana ganhei mais uma maratona com mais 1000m de desnível acumulado que a Serra D’Arga e com um tempo fabuloso de 4h35min.

Vejo relatos de vencedores anteriores na Badwater que dizem que são precisos mais de três meses para se recuperar e voltar a treinar normalmente, mas o meu grande desafio para este ano é terminar as quatro competições mais importantes em ambientes extremos e diferentes, falta o UTMB espero terminar mais este desafio independentemente do resultado.

Alimentação equilibrada e a forte componente genética pode estar na base de tão boa adaptação recuperação de desafios como estes que estou constantemente a concretizar, mas essa avaliação fica para os especialistas.

 

Joao Pedro Pereira
Para quem treina para a sua primeira prova de 100km deverá ter em alguma consideração um objectivo pessoal demarcado? Sendo que o mais importante e delineado é o aprender. Ou conciliar os dois? Aprender e demarcar uma vontade própria e pessoal. Ou somente estar presente nessa prova sem pensar em mais nada?

Sentir os sinais do nosso corpo, preocupação máxima com hidratação e alimentação, dividir a prova por etapas, de abastecimento em abastecimento, nunca pensar que ainda faltam 100km para o final e já estou empenado, faltam  10km até ao próximo abastecimento e quando lá chegar vamos ver como estamos, isso ajuda muito em termos psicológicos

Andar sempre ao nosso ritmo, nunca tentar acompanhar alguem mais rápido, ter atenção à frequência cardíaca.

 

Álvaro Reis
Como se motiva para continuar, depois de correr os primeiros 50 Km?

Por vezes é mais difícil sair para um treino de 2h durante a semana a chover, frio,…. quando estamos em prova sabemos quando temos o objectivo concluído e em quanto tempo queremos acabar, por vezes o GPS até atrapalha e mostra-nos constantemente quantos kms faltam e isso pode desmotivar caso estejamos em sofrimento. Costumo dizer: É só um pé à frente do outro.

 

Joaquim Barbosa
Há uns anos as provas de “atletismo de estrada” (sobretudo no porto) cresceram exponencialmente e levaram a um crescente numero de praticantes, (antes sedentários, agora atletas) motivados pelo desafio de culminar uma prova de resistência, algumas encaradas como “prova de vida”, sem medir consequências do “esforço mal gerido e medido”. Agora aparece o Trail Running, Ultra Running, etc… A minha questão é a seguinte: Um atleta que se inscreve numa prova deste “calibre” não deveria preencher uns certos requisitos, médicos-fisicos?, até para salvaguardar a própria organização? Um abraço e boa prova!

Sem dúvida, temos que ser responsáveis pelas nossas ações, costumo dizer que sou audaz, não um louco que se mete a fazer o que faz sem a devida preparação e cuidados.

Cada um deve sentir viver os seus momentos de superação, assim faz muito  mais sentido o treino e esforço diário, com objetivos fortes ficamos mais equilibrados mentalmente.

Mas nunca deveremos ultrapassar os nossos limites nem pensar que uma forte bateria de exames pode não fazer parte dessa preparação para esses objetivos.

 

Rui Gonçalves
Que conselho pode dar o Carlos Sá a quem já faz provas de estrada mas quer se aventurar em trilhos?

Basta se iniciar, se possível em provas que tem alguma credibilidade, rapidamente faz um grupo de amigos que lhe mostra as melhores provas, melhores ténis, ……..

Nunca começar pelas longas distâncias, provas até 20km com pouco desnível e isto se habitualmente faz meias maratonas.

 

João Fonseca
Qual a importância que tem para si os treinos de aclimatação efectuados no local da prova, e com que antecedência gosta de os executar?

A importância é elevada, conhecer bem os trilhos ajuda imenso, treinar e dormir em altitude está provado que é benéfico para um bom desempenho.

 

António Pinheiro
Contavas com aquela recepção no aeroporto? O que se sente naquele momento?
Em provas como a Badwatter, ou a Maratona das Areias, muitas coisas te devem passar pela cabeça. Alguma vez sentiste medo?

Não contava com tamanho mediatismo e recepção nesta prova,  as pessoas mobilizam-se com os bons resultados, estou muito agradecido a todos que dispensaram dos seus afazeres para me dar um abraço.

Nunca senti medo nestas provas, já em Janeiro no Aconcagua não posso dizer o mesmo, senti o peso da solidão e que estava muito próximo do meu limite, ali ninguém me podia auxiliar, cada decisão que tomara iria ditar o desfecho e a nossa entrada no parque foi alertada com a morte de dois colegas por esgotamento e consecutiva hipotermia.  Ter a audácia de subir  3 vezes em 6 dias acima dos 6.500m  com duas a fazer cume 6962m, podia não ter a energia suficiente para fazer este desafio em segurança.

 

Francisco Carneiro
Sendo dois fatores importantes: a condição física e a vontade de superação, qual destes dois considera mais importante?

O segundo sem dúvida.

 

Hugo Lacerda
Que tipo de preparação psicológica especifica efectua para tipos de provas diferentes como a badwater ou ultra trail mont blanc ?

Cada prova, desafio como eu gosto de chamar é um desafio diferente, mas com o mesmo sentido, viver experiências diferentes como aquelas que não dominamos  da-nos alguma motivação extra mas ao mesmo tempo insegurança, tudo isto é um jogo que gostamos de fazer e viver.

 

Em que consiste o seu treino diário para além da corrida?

Tenho introduzido com alguma regularidade a bicicleta de estrada, gostava muito de BTT mas desde que me espetei a +/- 70km/h contra um muro senti que queimei mais um bónus  🙂 portanto…. Na estrada conseguimos ter um frequência cardíaca mais estável e poupar articulações.

 

Que tipo de treino efectou para perder os 30 kilos antes de se tornar ultra maratonista?

Tudo pode ser encarado como treino, os bons hábitos alimentares são os mais importantes.

Enquanto estamos com muito peso é de evitar desportos como o futebol, corrida durante mais de 1h, etc. O impacto nas articulações é brutal e como não temos ainda massa muscular desenvolvida ainda pior, dar preferência á bicicleta, heliptica , caminhadas longas, entre outros desportos como natação, etc.

Azores Triangle Adventure 2018

One Comment

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.