Nutridúvidas – Intolerâncias alimentares em corredores

Autor: Filipa Vicente  /   Junho 24, 2013  /   Publicado em Alimentação  /   2 Comentários

Cada vez há mais pessoas com problemas de intolerâncias alimentares ao glúten, soja e leite (como é o meu caso e o de milhares de desportistas deste país como tenho vindo a reparar em inúmeros sites ligados ao desporto pelos temas ai explanados).

Assim, gostava de lhe pedir se, ao mesmo tempo que escreve sobre nutrição para pessoas que não têm esses problemas, se podia também fornecer dicas de alimentação para as pessoas que têm esses problemas de intolerâncias alimentares (no meu caso tenho as três acima referidas). Por exemplo e sem querer imiscuir-me no seu trabalho, nos batidos de proteina podia dizer:

adicionar 2 colheres de sopa de proteina whey (e no caso de intolerância alimentar?) ou X colheres de sopa de proteina de arroz, ervilha, cânhamo

Cada vez mais se vende online ou em lojas especializadas este tipo de proteinas e em portugal há pouco informação acerca disto.

Cumprimentos,

Tahamara Dias

 

Resposta

Olá Tahamara,

De facto, as intolerâncias alimentares são relativamente frequentes e algumas só têm vindo a ser descobertas pela popularidade dos novos testes no mercado. No entanto, chamo à atenção para a falta de evidência científica de alguns destes testes, nomeadamente os que usam bioressonância como metodologia de diagnóstico.

Para detectar alergias e intolerâncias, é necessário comprovar que o corpo responde a esses alimentos produzindo substâncias como os anticorpos (quando é alergia) ou que não os digere, metaboliza ou consegue processar completamente (como acontece nas intolerâncias) pelo que podem identificar-se metabolitos desses mesmos compostos em circulação. Explicado de uma forma bastante simplista, esse tipo de determinação só é possível recorrendo a uma análise de materiais biológicos como sangue, urina, fezes e saliva. Não existem evidências credíveis de outros métodos… Portanto se as suas intolerâncias foram detectadas dessa forma… ponha um pouco em causa a veracidade desses resultados, exceto se tiver sintomas claros de intolerância.

Ainda assim, referiu-me três componentes alimentares que são por si só alergénios ou predispostos a provocar intolerâncias, havendo ou não intolerância. Desses três destaco sobretudo o leite e o glúten.

A necessidade de ingerir leite na idade adulta é um pouco polémica mas a ingestão de leite está de facto muito enraizada nos princípios de uma alimentação saudável. É importante distinguir na intolerância ao leite se esta se deve à lactose ou às proteínas do leite de vaca. Se há apenas uma intolerância à lactose, os derivados lácteos (iogurte, queijo) podem ser consumidos em substituição e a whey, especificamente, tem teores vestigiais ou praticamente nulos de lactose. Se é uma intolerância às proteínas do leite de vaca, isso sim obriga a uma exclusão completa levando à necessidade de substituição por outra fonte proteica.

Nesse campo, acho mais proveitoso usar fontes primárias como ovo, carnes magras e peixe do que proteínas de origem vegetal cujo aminograma não é totalmente idêntico ao da whey e sobretudo não lhes foram até hoje evidenciados os mesmos efeitos da whey.

O que quero dizer com isto? Se não pode ingerir whey porque é intolerantes às proteínas do leite de vaca, mais vale ingerir ovos, carne e peixe porque o seu aminograma é de muito melhor qualidade e não necessita de investir num suplemento com proteína de baixo-médio valor biológico.

No que diz respeito ao glúten, deve evitar cereais e derivados à base de trigo, centeio e cevada. Pode usar como fonte de hidratos de carbono o arroz nas suas variadas variantes, sugiro mais arroz e menos milho devido ao menor impacto glicémico. A aveia é um caso especial, nem todos os celíacos a têm de excluir mas por segurança é frequente que seja eliminada também.

Adicionalmente, pode recorrer a leguminosas como as lentilhas e ainda sementes semelhantes a cereais como a quinoa e o amaranto que são excelentes como substitutas da aveia.

No entanto, não deixo de lhe sugerir uma vez mais que reveja a forma como lhe forma diagnosticadas essas intolerâncias.

 

Ultra Trail Medieval 2019

2 Comentários

  1. Tahamara Dias 25 de Junho de 2013 10:06

    Agradeço a sua resposta.
    Em resposta à sua questão, digo-lhe que as minhas intolerâncias alimentares foram detectadas através de análises de sangue.

  2. Ancha Salvador 16 de Abril de 2014 7:35

    Bom dia Gostei da explicação; esta bem clara.

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.