Entrevista com Sara Moreira

Autor: Vitor Dias  /   Janeiro 24, 2013  /   Publicado em Entrevistas  /   16 Comentários

Entrevista com Sara MoreiraSara Moreira, por várias vezes medalhada com as cores da bandeira portuguesa, é uma das mais importantes atletas nacionais, tendo ainda pela frente uma promissora carreira. Com os olhos postos nos 10.000 metros dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016), são muitos os objectivos a médio prazo, não estando afastada a hipótese de experimentar a maratona. Saiba tudo o que partilhou connosco nesta entrevista exclusiva para o CorrerPorPrazer.com.

“CORRER POR PRAZER É … Sentir o cansaço no corpo e não querer parar”
Sara Moreira

Quando começou a correr e porque razão enveredou por esta modalidade?

O atletismo surgiu na minha vida de uma forma natural, tinha ainda 8 anos quando fui fazer um corta-mato escolar com todos os meus colegas de sala, ganhei e fui logo convidada a ingressar num clube que entretanto já acabou. Penso que com o passar dos anos fui passando a viver com o atletismo e este tornou-se uma paixão.

 

Qual o melhor e pior momento da sua carreira?

O desporto e em particular o atletismo ensinou-me a ser aquilo que sou hoje, tudo o que tenho devo ao atletismo. Claro que já tive maus momentos, as lesões são sempre momentos tristes, no entanto o pior foi sem dúvida o castigo de 6 meses devido a um controlo positivo. O melhor é difícil dizer qual foi, felizmente já tive bastantes, mas talvez tenha sido a minha primeira medalha como absoluta em Torino 2009 na pista coberta.

 

Em conversas com atletas de outros países, nota que estes têm melhores condições do que os atletas portugueses? Se sim a que nível?

Portugal é um país pequeno e consequentemente com poucas infraestruturas, na minha opinião os atletas portugueses fazem milagres atendendo às condições que têm. Daquilo que conheço de outros países, faltam-nos por exemplo centros de treino onde possamos encontrar tudo, como percurso de cross, pista coberta, pista ao ar livre e centro de recuperação. Acredito que têm sido feito alguns esforços para melhorar as condições mas também depende de todos. A cultura desportiva deve mudar em Portugal.

 

Porque razão não temos mais atletas de elite? Pensa que o desporto escolar está a fazer o seu trabalho bem feito, ou o futebol ainda “aniquila” por completo as restantes modalidades?

No meu caso por exemplo comecei no desporto escolar, embora com uma ajuda essencial do meu clube, os clubes pequenos na minha opinião fazem toda a diferença. Por exemplo aqui na vila onde vivo (Roriz) conheço algumas crianças que queriam correr mas não existe clubes por aqui e torna-se difícil os pais deslocarem-se bastantes kilómetros 2/3 vezes por semana para os filhos poderem treinar. No fundo eu acredito que isto é o reflexo da falta de apoios por parte das autarquias.

 

A Sara já viveu de perto (e na primeira pessoa) o tema doping. Como vê tudo o que se está a passar à volta de Lance Amstrong?

O doping é um tema delicado no desporto, infelizmente ele sempre existiu e sempre vai existir, é certo que vivi uma situação muito difícil no entanto sempre fui e continuo a ser 100% contra o doping, aquilo que se passou comigo não passou de um controlo positivo a uma substância que em nada melhorou o meu rendimento, ou seja, não tive intenção de me dopar. Paguei por um erro e neste momento depois de ter recomeçado vejo a vida com outros olhos. Quanto ao caso Amstrong, na minha opinião e sabendo-se agora que sempre se dopou deve pagar por isso, embora hajam muitas outras entidades e pessoas que deverão ser chamadas á responsabilidade, acho que ele não deve pagar por isto sozinho.

 

Pensa avançar para a maratona? Se sim, quando?

Se me fizesse esta questão há alguns anos atrás eu diria claramente que não, ser maratonista não fazia parte dos meus planos, neste momento vejo a maratona como um objectivo futuro e irei experimentar, só ainda não sei quando. Possivelmente em 2014 só para sentir as sensações, uma vez que o objectivo Rio 2016 passa pelos 10000m.

 

Quais os próximos objetivos a médio prazo?

O ano 2013 começou da melhor forma, não posso esconder que gostaria de continuar no caminho das vitórias é para isso que trabalho diariamente. Tenho agora no início de Fevereiro a Taça dos Clubes Campeões Europeus de Cross onde espero ajudar o Maratona a conseguir um bom lugar, em Março tenho o Campeonato Nacional de Corta- Mato longo, prova que nunca venci na minha carreira e que gostaria imenso de conseguir e ainda em Março espero lutar por uma medalha no Campeonato da Europa de pista coberta. No Verão há Campeonato do Mundo e este ano quero preparar-me para estar entre as melhores do Mundo.

 

Como vê a evolução do nº. de corredores de pelotão em Portugal?

Correr é algo que está na moda e é com enorme orgulho que vejo cada vez mais pessoas a saírem á rua diariamente para correr, que lutam pelos seus objectivos pessoais e que são felizes a correr. Recentemente na Maratona do Porto tive oportunidade de acompanhar alguns dos que correram a prova e senti de facto o espírito que se vive no pelotão. Espero que a moda pegue e que continue aumentar o número.

 

O que pensa fazer quando terminar a sua carreira de atleta?

Tenho a matricula no curso de fisioterapia congelada mas gostava de terminar o curso um dia e exercer mais tarde, no entanto também gostaria muito de continuar ligada ao atletismo, com uma escola para os mais pequenos.

 

Que mensagem gostava de deixar para os atletas desta nova geração (profissionais e amadores)?

Sinto cada vez mais que todos temos que ter objectivos na vida para nos sentirmos realizados, só posso desejar a todos que nunca deixem de acreditar nos vossos sonhos e que lutem por aquilo que desejam realmente alcançar, só assim fará sentido continuar. Força para as vossas corridas e lutas.

16 Comentários

  1. Gonçalo Costa 24 de Janeiro de 2013 9:26

    É uma vergonha! Como é que depois de um artigo sobre o caso Armstron dão voz a alguém que já foi apanhada com doping? E diz-se ser 100% contra? LOLOL Alguém que de um dia para o outro (no inicio de 2007) deixou de ser atleta de “pelotão” para chegar ao top do atletismo português… Só acredita quem quer.

    Mundo de hipocrisia…

  2. Tiago Carvalho 24 de Janeiro de 2013 11:03

    A Sara é sem dúvida uma grande atleta. É um facto que (deliberadamente ou não) cometeu um erro pelo qual já pagou. Hoje em dia não existe nenhum atleta de elite, seja qual for o desporto, que não ande sempre nos limites.
    Agora comparar o mais complexo caso de doping alguma vez detectado a este… é só fazer “google” para perceber as diferenças.

  3. Vitor Dias 24 de Janeiro de 2013 12:30

    Caro Gonçalo Costa:

    Se leu com atenção o artigo acerca do caso Armstrong, o mesmo espelha duas opiniões diferentes (Susana Lourenço e Filipa Vicente) e muitas outras surgiram em comentários ao artigo. A nossa intenção foi mesmo essa, ou seja abrir um debate sobre uma questão são sensível como esta e não punir ou branquear na praça pública este ou aquele atleta.

    Na minha opinião pessoal, o grande problema desta questão nem passa propriamente pelos atletas “apanhados”, pois estes cumprem com as penas aplicadas, mas na suspeição que passa a pairar sobre todos os que ganham ou batem recordes (já não falta quem fale em Michael Phelps e outros).

    No caso da Sara, cumpriu pelo eventual erro que cometeu, embora seja difícil de compreender que se possa ser punido por ter acusado um produto que em nada beneficia o rendimento desportivo.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  4. Orlando Silva 24 de Janeiro de 2013 14:44

    Antes de mais parabéns à Sara Moreira pela sua grande carreira até ao momento!Qualquer atleta está sujeito a ser apanhado nas malhas do doping! E hoje em dia com os controlos anti-doping mais apertados é muito mais difícil fugir!A Sara já pagou por isso, e não deixou de ser a grande atleta que é, por ter tido um deslize na carreira!

  5. abilio monteiro 24 de Janeiro de 2013 18:15

    Olá a todos,
    a meu ver o caso doping,não se resume só aos atletas,mas tambem em grande parte aos patrocinadores,e clubes que com o alto desempenho dos atletas tirarem partito munetário,esquecendo-se que os atletas são humanos.
    A fasquia fica tão alta,e são tão presionados com resultados,que os atletas ficam sem muita margem de manobra,e a solução mais facil passa pelo doping.
    A meu ver,não só o atleta,mas tambem todos os responsaveis pelo ensentivo,haviam de ser não castigados,mas irradiados para sempre.Podia ser que o desporto se tornasse mais limpo.

  6. José Henrique Carvalho 24 de Janeiro de 2013 19:16

    A Sara Moreira é um exemplo de humildade sé assim os campeões teem valar a palavras da Sara não enganem são sentidas muito sucesso para ti a todos os niveis Sara moreira

  7. Sara Moreira 25 de Janeiro de 2013 0:38

    Boa Noite a todos! Antes de mais dizer-vos que agradeço imenso a oportunidade que me deram de fazer esta entrevista e de algum modo dar-vos a conhecer um bocadinho mais da minha maneira de ser e estar. Quero agradecer a cada um o apoio, o carinho e o respeito. Assim desta forma também respeito a opinião de cada um de vocês, no entanto tenho muito orgulho na pessoa que sou e em tudo o que conquistei por mérito próprio e por isso volto a repetir que paguei por um erro que cometi, assim tenho a minha consciência tranquila e a minha posição perante o doping mantém-se (sou 100% contra). Lamento que ainda existam pessoas que não vêem ou não querem ver a diferença entre o meu “caso” (positivo a um estimulante contido num suplemento, como provei perante as entidades competentes) e uma vida de dopagem consciente como é o caso do Lance (conforme o mesmo declarou). Assim penso que não tenho nada mais a esclarecer. Cumprimentos da atleta Sara Moreira

  8. Vitor Dias 25 de Janeiro de 2013 8:52

    Foi um enorme prazer ter entrevistado a Sara Moreira.

    Só uma pessoa com a sua simplicidade e humildade, vem a público responder aos que discordam do seu ponto de vista.

    Outro qualquer ignoraria, ela fez questão de responder de uma forma precisa e concisa.

    Parabéns mais uma vez pela atleta e pessoa que é.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  9. Paulo Antunes 26 de Janeiro de 2013 19:14

    Acabo de ler a entrevista e os comentários aqui escritos, e por breves momentos pensei que afinal não tinha lido a mesma entrevista que algumas das pessoas que expressaram livremente os seus comentários.
    Isto porque esta entrevista acaba por fazer de vários assuntos desportivos e pessoais, não é uma entrevista centrada no assunto doping.

    Confesso que gostei da entrevista que li, no entanto penso que é mais importante afirmar sem qualquer tipo de favor, até porque não conheço a Sara Moreira, que o que mais me impressionou foi o seu comentário, demonstrou que é uma pessoa que sabe ouvir, algo que cada vez é mais dificil as pessoas conseguirem fazer, e que de uma forma natural emiti a sua opinião sem criar qualquer tipo de confronto entre o que ela é e pensa e aquilo que legitimamente os outros acabaram por escrever.

    Se a entrevista teve conteúdo, o seu comentário espelhou a grande pessoa que é.

    Sendo assim só poderei dar os parabéns ao blogue pela entrevista e a Sara Moreira pelo que é e por tudo aquilo que já conseguiu conquistar.

    Quero voltar a afirmar que este meu comentário não é nenhum favor a atleta, não a conheço mas desde este momento que invejo, no bom sentido, quem a conhece porque tem a possibilidade de conviver com um grande ser humano.

    Cumprimentos a todos,

    Paulo Antunes

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*