Pré-época – como abordar

Autor: Nuno Caetano  /   Dezembro 05, 2012  /   Publicado em Treino, Triatlo  /   6 Comentários

Enquanto que o termo mais utilizado na língua inglesa é “off-season”, no nosso país está banalizado o “pré-época”, muito provavelmente devido às modalidades coletivas.

O termo off não parece o mais adequado pois parece significar a ausência de preparação, o que não acontece na realidade. Pré-época significa que estamos a realizar tarefas que auxiliarão os blocos de treino posteriores específicos. O que é mais adequado. Off-season é aquele par de semanas de férias em que não suamos o vestuário desportivo uma única vez.

Nota prévia: este artigo foi elaborado para triatletas e/ou corredores que apontam os seus picos de forma/competições-alvo para a partir de meados de 2013.

Quer seja a melhorar a técnica de nado de forma mais intensa, a melhorar os níveis de flexibilidade ou reforço muscular, “pôr” alguns quilómetros de intensidade baixa nas pernas pedalando, etc., não estamos parados. Há sempre um evento de BTT, uma corrida Trail para desfrutar da natureza, corridas populares para todos os gostos, onde fazemos questão de estar presentes, pelo simples prazer da prática desportiva.

Mesmo que possa parecer que aquela Maratona de BTT, uma Maratona de Corrida num destino perto, uma Corrida Trail de 70km num local bonito, são apetecíveis, podem deitar a perder a nova época.

Antes de tudo, o organismo e estruturas articulares podem ainda não estar recuperados das últimas competições, e processo de treino, da época anterior. Depois, o volume e intensidades baixaram e não estamos tão em forma, logo não preparados para alguns eventos. E claro, há sempre a possibilidade de risco de lesões, principalmente se não nos preparamos convenientemente.

Esta fase da época deve servir para um recomeço aos Planos de Treino de forma consistente, cumprindo as tarefas delineadas pelo Treinador, construindo uma base sólida para a época que se avizinha. Isto não significa sessões de bike de 5h ou corridas de 2h de duração mesmo a velocidade de passeio. Antes, trabalho técnico de qualidade, mantendo a capacidade aeróbia, ritmo, potência, velocidade, flexibilidade e reforço das estruturas musculares envolvidas.

Triatletas: devem dedicar metade (por vezes mais) das horas semanais de treino ao desenvolvimento da Natação. A não ser que tenham passado milhares de horas na água enquanto nadadores jovens, a Natação é o segmento em que a progressão é mais lenta, a motivação “cai” mais facilmente pois os resultados e melhorias demoram a aparecer. Só os resistentes que não baixam os braços colherão os melhores frutos. No caso da Natação não falo numa só época, em muitos casos.

Para os triatletas recentes, com 2/3 anos de prática, também ainda é tempo de evoluir no Ciclismo. Mais uma vez, os gestos motores e solicitações musculares são específicos e é necessário tempo para sermos competitivos e conseguirmos integrar melhores grupos (em Triatlo em que é permitido andar na roda) ou conseguirmos um segmento sólido de Ciclismo em Triatlos onde o Ciclismo se processa em contra-relógio, sem roda.

Corredores: devem aproveitar este momento para analisar a sua técnica de corrida e postura, reforçar as estruturas mais debilitadas (por exemplo ombros anteriorizados e costas cifóticas não permitem uma perfeita respiração), desenvolver a flexibilidade mio-articular, realizar trabalho de velocidade (muitos não fazem um sprint de 5 segundos durante um ano inteiro logo estão a perder as suas fibras musculares rápidas!), executar sessões de técnica de corrida – que podem ser bastante exigentes e ao mesmo tempo podem ser divertidas!

Alguns conselhos gerais para a pré-época:

– não te inscrevas em eventos de forma impulsiva já que não realizaste preparação específica;

– para quem apresenta níveis baixos de massa gorda: deixa o peso corporal aumentar 2 ou 3 kg – o que não significa ingerir maiores quantidades de açúcar, gordura ou comida processada (quando voltares a perdê-los mais tarde vais voar e é um processo saudável para o organismo);

– ao participar em eventos desligar o chip “competição” – aproveita e vai com a família/companheiros, a conversar e a desfrutar – ficar em 100º ou 200º vai dar ao mesmo (!);

– integrar estes eventos no Plano de Treino: se no fim-de-semana participas numa corrida de 10km temos de ter isso em consideração no Planeamento;

– deixa de lado em algumas sessões as barras, bebidas e géis energéticos. Primeiro, porque as sessões não são tão longas e intensas, segundo porque não deixam de ser alimentos que sobrecarregam os órgãos (altas concentrações de açúcar). Prefere alimentos naturais, mas que paralelamente têm os nutrientes e energia que precisas: banana, castanha, frutos secos, mel.

Hoje em dia as competições e corridas vêm ter connosco de todas as direções: corridas populares, maratonas BTT, free-runnings, corridas Trail, orientação, etc etc etc!

Temos de manter o nosso foco nos Objetivos Primários para a Época 2013.

Definimos também eventos como Secundários, que auxiliam a apurar a forma ou fazemos deles treinos específicos e Terciários, que servem para treinar e /ou conviver. Mas estes dois últimos nunca podem pôr em causa os primeiros.

Vai, aproveita e diverte-te, mas com lógica e com o pensamento nos momentos mais importantes da época.

 

Nuno Caetano

VAIMAISLONGE.NET – Programas de Treino Desportivo

Treinador da Escola Municipal de Triatlo – MatosinhoSport, EEM.

Treinador de Triatletas e Corredores.

Provas de Trail

6 Comentários

  1. Carlos Coelho 5 de Dezembro de 2012 12:54

    Parabéns por mais um artigo sobre o qual, pelo menos para mim, não existe muita informação.

  2. Nuno Caetano 5 de Dezembro de 2012 17:57

    Obrigado Aldina e Carlos 😉 1 Abraço

  3. Fernando Pereira 5 de Dezembro de 2012 19:32

    Obrigado por este Excelente artigo, porque eu sou daqueles que vou a todas as corridas, talves por ter começado a correr muito tarde e este artigo foi um alerta para mim um Abraço.

  4. Carla Mendes 15 de Dezembro de 2012 21:56

    Nuno, parabéns pelo teu artigo! É muito importante o que referes. Tenho cumprido, natação é fundamental nesta altura! E as provas que tenho participado tem sido a um ritmo e distancias moderados, porque não estou à vontade nos trails e variar, conviver, conhecer pessoas,desfrutar da natureza após semana de trabalho, etc é sempre um reforço positivo na motivação em geral. Obrigada pelas dicas! 🙂

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.