Canelite

Autor: Joao Carlos Maia  /   Maio 25, 2012  /   Publicado em Lesões e Doenças  /   3 Comentários

CaneliteA canelite pode ser definida como uma inflamação dos tecidos moles da perna (canela) que causa dor, e é agravada pelo exercício.

Esta lesão é originada pela inflamação dos tendões, músculos ou periósteo, causada por um desequilíbrio entre os músculos da barriga da perna e os da canela, e são muito comuns em praticantes de caminhadas ou corrida, principalmente em superfícies duras ou irregulares.

As canelites podem dividir-se em canelites anteriores (as mais comuns), em que a dor se estende pela face anterior e lateral da perna, e em canelites posteriores, estendendo-se a dor pela face posterior e medial da perna até à região interna do tornozelo, e é comum ocorrem em ambas as pernas ao mesmo tempo.

Alguns dos factores de risco para esta lesão incluem, sobrecarga de treino, aumento brusco da intensidade de treino, obesidade e alterações da arcada plantar. O clima frio aumenta o risco desta lesão, pelo que é fundamental fazer um bom aquecimento antes do exercício.

Esteja alerta para os seguintes sintomas

Dor na perna, podendo estar associada a sensação de fadiga muscular e inchaço.

Diagnóstico

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica detalhada e exame da perna são geralmente suficientes para diagnosticar uma canelite. Um raio-X pode ser pedido para descartar a hipótese de uma fractura de stress da tíbia.

 

Tratamento

O tratamento, numa fase aguda, em que existe dor significativa e sinais inflamatórios, consiste em:

  • Descanso: Evite fazer longas caminhadas e pare o desporto que provocou os sintomas durante 2 a 4 semanas. Poderá praticar desportos sem impacto ao solo, como natação ou ciclismo.
  • Gelo: Aplique uma compressa de gelo na área lesada, colocando uma toalha fina entre o gelo e a pele. Use o gelo por 20 minutos e depois espere pelo menos 40 minutos antes de aplicar gelo novamente. Pode repetir 2 a 3 vezes por dia.
  • Massagem suave para mobilização dos tecidos moles
  • Dieta equilibrada: dieta rica em proteínas, antioxidantes e ácidos gordos essenciais também pode acelerar a recuperação. Para atletas de alta-competição, durante a fase inicial de reabilitação em que o seu nível de actividade é bastante menor do que o habitual, a reposição hídrica e de fibras é fundamental para promover o normal funcionamento intestinal.

Numa fase sub-aguda, em que já não se verificam sinais inflamatórios ou dor, deve ser retomada gradualmente a actividade desportiva. O tratamento em fisioterapia deve incluir:

  • Exercícios para melhorar a flexibilidade, força e equilíbrio muscular entre os músculos da perna.
  • Reeducação do gesto desportivo. Pode ser aconselhada a massagem com um cubo de gelo sobre a zona da lesão (3 a 5 minutos) depois das primeiras sessões de treino.
  • Fortalecimento excêntrico dos músculos da perna e treino proprioceptivo.
  • Aconselhamento sobre o calçado desportivo. É fundamental o calçado proporcionar um bom amortecimento do impacto ao solo e um suporte adequado da arcada plantar.

Na maioria dos casos o tratamento conservador é suficiente, mas para casos reincidentes o tratamento cirúrgico pode ser indicado. Na maior parte das vezes a cirurgia não resolve o problema na totalidade, mas pode melhorar significativamente os sintomas.

 

Exercícios terapêuticos para as canelites

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos durante a reabilitação de uma canelite. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.

Alongamento dos gémeos

De pé, com as mãos ao nível dos ombros apoiadas na parede. Colocar a perna a alongar esticada e atrás, dobrar à frente o joelho da outra perna, com as costas alinhadas. Mantenha essa posição por 20 segundos.

Repita entre 3 a 6 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.

 

 

Alongamento do compartimento anterior da perna

Ajoelhado, com um rolo no peito dos pés e as costas alinhadas. Baixe o máximo possível a bacia de encontro aos calcanhares. Mantenha a posição durante 20 segundos.

Repita entre 5 a 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.

 

 

 

 

Propriocepção do membro inferior

Em pé, apoiado na perna lesada e com esse joelho ligeiramente dobrado. Com a ponta do outro pé tente desenhar um círculo no chão, com o maior diâmetro possível e em que o pé apoiado fique no seu interior.

Repita entre 5 a 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.

Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

 

Thacker SB, Gilchrist J, Stroup DF, Kimsey CD. The prevention of shin splints in sports: a systematic review of literature. Med Sci Sports Exerc. 2002 Jan;34(1):32-40.

Galbraith RM, Lavallee ME. Medial tibial stress syndrome: conservative treatment options. Curr Rev Musculoskelet Med. 2009;2(3):127-33.

Moen MH, Tol JL, Weir A, Steunebrink M, De Winter TC. Medial tibial stress syndrome: a critical review. Sports Med. 2009;39(7):523-46.

 

Autor: João Maia – Fisioterapeuta

Fonte: http://pt-br.facebook.com/pages/Fisioinforma/136139426461879

 

Correr Por Prazer nomeado para blog do ano 2018

3 Comentários

  1. Paulo Martinez 7 de Dezembro de 2015 11:06

    Bom dia,
    Mudei a minha forma de correr a cerca de 6 meses.
    Antes apoiava o calcanhar primeiro e a cerca de 6 meses estou a treinar apoiando primeiro a parte da frente do pé.
    Resultado? corro mais rapido, mas, fico com dores nas tibias e nos gemeos,é normal?que posso fazer?

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.
Blogs do Ano - Nomeado Desporto