Contraturas musculares

Autor: Joao Carlos Maia  /   Outubro 04, 2011  /   Publicado em Lesões e Doenças  /   23 Comentários

Contraturas muscularesSabia que cerca de 50% do nosso peso corporal é constituído por tecido muscular? E que este está dividido em 400 músculos diferentes, todos eles envolvidos e interligados pela fáscia muscular (uma fina camada de tecido conjuntivo)?

Portanto o surgimento de contraturas musculares (trigger points em inglês) é extremamente comum e acontecerá a todas as pessoas em alguma altura da sua vida. No entanto, a razão porque elas ocorrem ainda é pouco conhecida, mesmo no meio desportivo.

O que acontece é que, mesmo em repouso, cada músculo possui um tónus muscular de base, quase como se fosse um elástico que tem sempre uma ligeira tensão, como forma de estar preparado para actuar mais rapidamente, sempre que for solicitado. Este tónus é conseguido à custa da activação de um pequeno número de fibras musculares, com uma localização dentro de cada músculo relativamente comum a todas as pessoas.

As contraturas musculares (pontos específicos localizados no músculo, que se assemelham a um nódulo e que são extremamente sensíveis à palpação) consistem na contracção involuntária e permanente de algumas fibras de um feixe muscular, o que pode dar dor no próprio local ou dor referida noutra parte do músculo, devido à tensão excessiva aplicada sobre a fáscia muscular que recobre esse músculo.

A razão para o aparecimento das contraturas ainda não é totalmente conhecida, mas sabe-se que alguns factores aumentam a probabilidade de as desenvolver:

  • Má postura e o mau gesto técnico
  • Stress psicológico
  • Falta de flexibilidade e a rigidez muscular
  • Fadiga generalizada

Sabe-se também que os músculos mais ligados à manutenção de posturas, constituídos maioritariamente por fibras do tipo I, são mais propensos a desenvolver contraturas musculares. Assim, supõe-se que as contraturas musculares se devem muito mais a posturas incorrectas e maus gestos técnicos/desportivos do que propriamente ao excesso de esforço, origem mais frequente de micro-rupturas e rupturas musculares, assunto que abordaremos no próximo artigo.

Entre as zonas mais afectadas estão geralmente: a região da base do pescoço, entre as omoplatas, ao fundo das costas e na região do nadegueiro.

 

Esteja alerta para os seguintes sintomas

  • Dor e tensão localizadas num ponto muito específico do músculo, que agravam à palpação.
  • A presença de um nódulo muscular perceptível à palpação
  • A dor pode irradiar, principalmente quando a contratura é pressionada
  • Limitação da amplitude de movimento e força muscular por dor

 

Diagnóstico

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica e exame atento do tecido muscular são geralmente suficientes para identificar uma contratura muscular. No entanto, é importante notar que esta condição normalmente surge na sequência de outras patologias ou disfunções, pelo que a identificação e tratamento dessa causa subjacente é essencial para garantir uma reabilitação óptima, com risco reduzido de recidivas.

 

Tratamento

A maioria dos pacientes com esta condição reage bem ao tratamento com fisioterapia. O primeiro objectivo do tratamento será identificar e tratar a patologia que está a causar o aumento da tensão miofascial e consequente formação de contraturas musculares. Assim, poderão ser utilizadas:

  • Técnicas de correcção de desequilíbrios musculares, de fortalecimento e alongamento (como PNF e RPG)
  • Correcção de más posturas e reeducação postural activa, através de RPG.
  • Avaliação do padrão de marcha e aconselhamento sobre palmilhas de compensação para correcção de dismetrias ou de alterações morfológicas do tornozelo e pé.

Muitas vezes estas alterações são suficientes e não chega a ser necessário o trabalho directo sobre o músculo, no entanto, quando o é, poderão ser utilizadas as seguintes técnicas:

  • Ionização e aplicação de ultra-sons
  • Aplicação de calor local (com panos húmidos, não mais de 20 minutos e desde que não hajam sinais inflamatórios evidentes)
  • Massagem e mobilização dos tecidos afectados e a toda a extensão da fáscia
  • Alongamentos localizados dos músculos afectados
  • Estimulação eléctrica neuro-muscular, que terá melhores resultados se aplicada com um sistema de biofeedback.
  • A acupunctura poderá ser benéfica no alívio da dor localizada

 

Exercícios terapêuticos para uma contratura muscular

Os seguintes exercícios são apenas exemplos e podem ser prescritos durante a reabilitação de uma contratura, dependendo do músculo/grupo muscular afectado. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.

 

 

 

 

 

 

 

Correcção postural da cervical e ombros

Em pé ou sentado, rode os ombros para trás e para baixo, enterre o queixo e imagine que tem uma linha a puxar-lhe o topo da cabeça. Mantenha esta posição durante 20 segundos. Repita entre 8 a 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.

 

 

 

 

 

 

Alongamento da cadeia posterior

Sentado, com a perna a alongar esticada. Tente chegar com as mãos o mais abaixo possível. Mantenha essa posição por 20 segundos. Repita entre 3 a 6 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.

Antes de iniciar estes exercícios deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

Referências:

Majlesi J, Unalan H. Effect of treatment on trigger points. Curr Pain Headache Rep. 2010 Oct;14(5):353-60.

Lavelle ED, Lavelle W, Smith HS. Myofascial trigger points. Med Clin North Am. 2007 Mar;91(2):229-39.

 

Autor: João Maia – Fisioterapeuta

Fonte: www.fisioinforma.com

 

24h Portugal 2018

23 Comentários

  1. Paulo Rodrigues 4 de Outubro de 2011 18:02

    Parabéns pelo artigo!
    Muito elucidativo!
    Abraço

  2. Ana Carolina 23 de Julho de 2012 21:11

    Adorei o art.º. Extremamente bem escrito, de forma sucinta e clara, como só consegue quem sabe o que diz.
    Na verdade ainda não percebi se tenho uma contratura uma vez que alguns dos sintomas são comuns a uma contratura, outros não. Há 5 dias treinei pernas (musculação). No dia seguinte, como é normal sentia-me “dorida”, também no gémeo esq.º, o que considerei normal visto que tinha treinado gémeos. 2 dias depois, porém, começo a sentir os músculos dos gémeos “presos”, bastante doridos. Como que “prendiam” quando dava um passo e, em determinadas posições, como quando agachava, continuavam a contrair dolorosamente. Como sempre não liguei e continuei com os meus treinos e aulas. 3 dias depois do referido treino, porém, comecei a notar bastantes dores e a tal contração involuntária do gémeo esquerdo tornava-se mais frequente e dolorosa. Ao 4.º dia, à noite, já me queixava bastante. Ontem já não conseguia andar. Tentei fazer gelo (15 min. de 1h e meia em 1h e meia), mas parece que os sintomas pioraram a partir de então e deixei de fazer (também “fiz” calor, o que pareceu aliviar alguma coisa, mas neste momento não estou a fazer nada pois que não quero agravar o quadro). Tenho aplicado anti-inflamatório localmente mas trata-se de um alívio passageiro.

    Hoje continuo sem conseguir dar um passo completo pois que parece que o gémeo (“interno”) está rígido, sem conseguir executar o movimento de flexão plantar na perfeição. Dói bastante e afastou-me dos treinos, o que ainda dói mais:( .Mas não sinto a perna quente nem tenho nódulo, pelo menos até onde consegui “apalpar” visto que não consigo tocar muito no gémeo por causa das dores.

    O que poderá ser? Alguém pode esclarecer-me, por favor? Obrigada.

  3. João Maia 28 de Julho de 2012 11:10

    Cara Ana Carolina, A história que descreveu é muito frequente na prática clínica. O que acontece é que durante a prática desportiva mais intensa existe sempre uma “agressão” aos músculos, que é perceptível pela inflamação que a sucede (processo que é normal e necessário para a regeneração e crescimento do tecido muscular). O “normal” é essa inflamação durar entre 48 a 72h, pelo que é comum sentir-se dorido e as pernas pesadas até 2/3 dias depois do esforço. No entanto, quando não se respeita um período de descanso/intervalo entre treinos, a agressão é mais significativa podendo desenvolver-se realmente contraturas, e se forçarmos ainda mais quando o músculo ainda não recuperou totalmente o risco de provocar uma pequena ruptura é bem maior, prolongando ainda mais o período de dor e, consequentemente, recuperação da “agressão”. A esta altura já deve ter percebido o paralelismo com a sua situação. A questão a apreender é: dosear o tempo de repouso/esforço é fundamental, tanto para evitar lesões como para conseguir resultados (força/volume muscular) mais rápidos. Em termo de tratamento, contraturas e rupturas (quando pequenas, como parece ser o caso), assemelham-se bastante, pelo que poderá ter uma ideia por este artigo, e pelo referente a rupturas musculares: http://www.correrporprazer.com/2011/11/rupturas-musculares/ Espero ter ajudado Atentamente João Maia

  4. marcelo panarotto 29 de Dezembro de 2012 21:04

    ola boa tarde,sofro com dores nas costas no lado esquerdo somente principalmente durante o sono o que me faz acordar durante a noite,as vezes essa dor irradia para o braço ja fiz todos exames imaginaveis de coluna e nada foi constatado.faço exercicios regularmente como academia e nataçao.segundo minha quiropraxista existem nas minhas costas varias contraturas que com massagem e antiinflamatorios melhoram mais depois voltam.oque posso fazer para esta dor cronica sumir?

  5. Diana 8 de Novembro de 2013 22:07

    ola Boa noite

    Ultimamente reparei na alteração nas minhas pernas, tipo parece que uso uma meia apertada e fica aquela cova, mas não é ficaram assim as minhas pernas… será dos músculos?

    Obrigado pela ajuda.

    Cumpts

  6. Didiana 8 de Novembro de 2013 22:07

    Boa noite

    Ultimamente reparei na alteração nas minhas pernas, tipo parece que uso uma meia apertada e fica aquela cova, mas não é ficaram assim as minhas pernas… será dos músculos?

    Obrigado pela ajuda.

    Cumpts

  7. joel rocha 9 de Março de 2014 14:30

    Estava correndo 10 km a 12 km de 3 a 4 vezes por semana. Estava adorando, mas apareceu uma dor, agora após o 2º km que me impede de correr. Dói no movimento de levantar a perna, músculo abaixo da panturrilha. Estou muito frustrado.

  8. Fatima B. Santos 22 de Março de 2014 12:53

    Sou massoterapeuta, tenho um cliente que tem nodulos na lateral esquerda da lombar, contratura muscular muito tensa.com a massagem nao tenho conseguido sucesso. tem alguma sugestão. grata

  9. José Roberto 20 de Abril de 2014 15:55

    Fátima B Santos, já tive um paciente na mesma situação, resolvi o problema só com a Acupunctura e Fitoterapia 🙂 cumprimentos.

  10. Attaritha Fernandes 6 de Julho de 2014 0:58

    Ola boa noite pessoal, tenho um nodulo na canela que é visivel quando agacho, fui ao medico porque tive umas dores imensas nos gémeos e como vou frequentemente ao ginásio, nao me aguentava nada com as dores até porque ele incha com o pouco esforço que faço sobre ele. O medico disse que tenho distensão muscular ja por muito tempo e tambem ligou isto ao facto de eu ter o nodulo na canela, foi me receitado uns comprimidos para as dores e pomadas para dores musculares. Mas ainda nao resolveu quase nada porque as dores vem e vão, e isto so incha e aumenta o tamanho do nodulo que antes nao era assim. Ja tenho outra consulta marcada mas sistema publico é muito lento. Sera que voces podem me ajudar de alguma forma?

    Obrigado desde ja!
    Cpmts

  11. Nuno Nabais 28 de Agosto de 2014 23:17

    Ola

    Estive parado algum tempo e recomecei a correr este mes mas tem me acontecido algo k nunca tinha sentido antes.
    Nos primeiros 2km sinto enormes dores nos gemeos ao ponto de ter de parar para alongar e fazer uma breve massagem pq estao completamente rigidos sem flexibilidade nehuma. Só assim consigo dps continuar.

    Alguem sabe arazao para isto e/ou como evitar?

    Obrigado desde já
    Boas corridas
    Nuno

  12. marco silva 28 de Abril de 2015 23:55

    ha dois anos que venho tido dores nas costas na zona entre a homoplata e ombro direito que ataca o pescoco as vezes mas mal preciono passado algum tempo doi muito na zona que precionei que e na homoplata o que podera ser? fazia ginasio mas ate passar agora nao posso fazer sera que tem cura? e passara? visto que estou a fazer electroterapia e massagem no fim da electroterapia.

  13. José Conceição 4 de Maio de 2015 14:10

    Tive uma tendinoze no tendão de Aquiles, estive praticamente parado 6 meses sem fazer o que mais gosto a corrida a pé, no entanto sempre andei de byke neste período sem qualquer tipo de problemas, fiz fisioterapia ao tendão e tive uma pequena melhoria mas o espaçamento do tendão continuava correr impossível, mas com o decorrer dos tratamentos lá fui conseguindo muito devagar mas quando acabava estava sempre a coxear, entretanto fui fazer 6 tratamentos de onda-choque ( 1 ) por semana melhorei e já não coxeio, mas na corrida mesmo muito devagar ao fim de 15 a 20′ minutos já não posso correr pois devido a defender-me do tendão contraí uma contractura na parte superior do gémeo, o tendão de Aquiles não me doí, tenho feito em casa calor no gémeo e auto- massagem, já não sei que fazer. Pergunto que fazer novamente ondaschoque desta vez no gémeo, só massagem ou haverá outro tipo de tratamento ! Agradecia aconselhamento.

  14. ÉDER LIMA 21 de Julho de 2015 15:57

    Bom Dia! Eu estive com uma contratura no músculo atrás da coxa esquerda, sou canhoto e estava muito frio na noite do jogo de futebol, não corrí na quadra para alongar e no segundo chute de um lado ao outro minha musculatura contraiu e depois soltou para o chute na bola, e dai eu senti que enbolou ou acavalou os nervos e sai do jogo na hora pois não podia caminhar, coloquei gelo nas 24 horas iniciais e depois fiz vapor uns dias, depois procurai uma fisioterapeuta e fiz 5 sessões de massagem no local e fiquei sem dor nenhuma, mas só que o nervo parece que encheu como um balão e ainda não voltou completamente ao normal, não está inchado nem tenho dor e a fisioterapeuta me disse que tem que dar elasticidade ao músculo para ele ficar normal, estou indo na musculação 2 vezes por semana. qual é a solução para este nervo ou músculo voltar ao normal? Aguardo sua resposta e muito Obrigado! ÉDER LIMA, RS

  15. giovana machado 7 de Dezembro de 2015 2:49

    Oi estou com cerca de umas 4 contraturas no braço direito.
    Já fiz acupuntura, injeção de antiflamarotio local, tomo anti flamatorio e relaxante muscular, fiz massagem. Já não sei mais oq fazer.
    Pelo mensagem duas vezes na semana doi , formiga todo o braço.
    Sem contar a outra q tenho no braço esquerdo .

  16. Isis Boa Pereira 13 de Outubro de 2016 11:00

    Olá!
    Eu sofri um acidente a cerca de dois anos e fiquei com uma sequela muscular, no lugar q eu recebi a pancada ficou com depressão palpável. Gostaria de saber qual o nome q se dá e como faço para ter minha musculatura como antes?

  17. João Carlos Brittes 13 de Dezembro de 2016 17:35

    Boa tarde.

    li o artigo e me identifiquei, sofro a cerca de 4 anos com dores diárias na região do pescoço lado esquerdo escapular que irradiam para o braço ate os dedos, já realizei exames de ressonância, eletroneuromiografia e ultrassom, porem nada identificado, apenas como pontos gatilhos ou síndrome do desfiladeiro toraxico, ja fiz muitas sessões de Fisio, quiropraxia, acupuntura, natação, ate aparelho dentário coloquei pois relataram que poderia ser originaria de apertamento, mordida cruzada, pois bem agora estou fazendo um processo de infiltrações, bloqueios na região escapular, mas ainda continuo com as dores, faço uso diário de anti-inflamatórios para poder passar o dia, minhas corridas e demais atividades físicas, estão super compromissas por essa situação, acordo com muita dor todos os dias e minhas noites são sempre acompanhadas de dores .

  18. Pingback: Rupturas musculares | Correr Por Prazer ®

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.