Susana Lourenço – Com 100 Kgs terminou a sua primeira meia maratona

Autor: Vitor Dias  /   Setembro 26, 2011  /   Publicado em Entrevistas, Mulher Corredora, Vivências  /   29 Comentários

Susana Lourenço - Com 100 Kgs terminou a sua primeira meia maratonaNão passou de todo despercebida na Meia Maratona Sport Zone (Porto), não apenas pela sua compleição física mas sim pela garra e determinação com que foi até ao fim, mesmo quando duvidaram que o conseguisse. Esta entrevista pretende sobretudo saber a sua história e inspirar outras pessoas a acreditar que, como dizia na medalha, “querer é poder”.

Susana Lourenço é uma das muitas pessoas que pode ser vista a correr nas marginais do Porto e Gaia. Sorriso rasgado apesar do esforço, é vê-la aos sábados e domingos a correr pelo simples prazer que a corrida lhe aufere. No passado dia 18, terminou a sua primeira meia maratona, no Porto. Nem os seus actuais 100 Kgs a impediram de o conseguir. Esta médica dentista de profissão já pesou 121 Kgs, já pensa noutras provas e em Março de 2012 irá participar na meia Maratona de Paris.

 

Como chegou a este peso?

Aos meus 10 anos de idade comecei a engordar e sou o que chama comedora compulsiva, ou seja, a comida acalma-me quando estou nervosa. Isto aliado com a tendência genética para engordar e o prazer pela comida resultou em fórmula explosiva.

Corre também para emagrecer ou apenas corre por prazer e tira partido dos outros possíveis benefícios que uma actividade como a corrida possa trazer como o controlo do peso?

 

Há 7 anos surgiram-me fasceites plantares nos dois pés e na consulta com o ortopedista ele referiu que o excesso de peso seria uma das possíveis causas. Queria-me operar. Estive cerca de 1 ano a tomar anti-inflamatórios mas um dia cansei-me das dores e decidi que ia perder peso e acabar com elas. Como o meu pai corre há muitos anos e tinha um tapete em casa, decidi começar a correr. Comecei a correr com 120 kg e comecei por fazer 1min a correr (tempo que aguentei da primeira vez que tentei) e 5min a andar. Com o passar do tempo fui encurtando os minutos a andar e aumentando os a correr. Perdi num ano 33 kg sozinha, sem ajuda de médicos… só eu, o tapete e alguns cuidados alimentares.

Quando finalmente decidi começar a correr na rua, comecei a ir para o parque da cidade e aí sim foi quando a verdadeira paixão aconteceu. Corro sem dúvida por prazer e tento fazer com que a corrida nunca se transforme em fonte de stress para mim. Nunca vou correr se estou com o tempo contado. Prefiro ir correr à noite e correr relaxada do que ir treinar e pensar que estou a ficar atrasada.

Se me pergunta dos benefícios da corrida….fico na dúida do que responder. A corrida faz bem á saúde, sem sombra de dúvida, mas tem muitos malefícios também. É desporto de alto impacto para as articulações e torna-se perigosa pela tendência que todos temos que nos impor objectivos ás vezes demasiados ambiciosos e fazer com que exijamos demasiado do corpo.  Por isso eu corro por prazer, com tudo de bom e de mau que isso me possa trazer.

Mas também corro para emagrecer, até porque pelos tais objectivos que nos impomos o peso atrapalha e muito!

Mas a questão do peso é muito complicada. Não me parece que a corrida funcione para controlar o peso e explico porque digo isto.

Existem várias questões: quando alguém decide perder peso encaramos sempre a questão como “vou fazer dieta para atingir x peso”. O que é terrível porque quando chegamos à nossa meta, relaxamos e facilmente a nossa querida balança nos traz de volta à realidade.

Outra razão é que a corrida estimula imenso o apetite, portanto se não estivermos preocupados com a alimentação facilmente engordamos.

Foi o que me aconteceu… quando cheguei aos 87kg (peso que tive aos 16 anos!) relaxei, respirei fundo e decidi aproveitar a vida, continuei a correr mas engordei 13kg o que me trouxe de volta aos 100kg.

Preocupa-se com a sua alimentação? Não necessariamente fazendo “dieta” mas procurando comer os alimentos certos.

 

Desde que comecei a correr preocupo-me muito mais do que antigamente mas confesso que vou dando uns “tiros” fortes na alimentação saudável, até porque o que sabe melhor faz sempre mal.

Porquê a corrida e não outro desporto?

Ao longo da minha vida sempre fui fazendo desporto mas sem durar muito tempo porque não gostava de nada. Sou claustrofóbica por isso os espaços fechados não me aliciam. Adoro a natureza e o ar livre. A corrida para mim além de uma grande paixão e fonte de prazer, permite-me o “desligar do cérebro” que tanto precisamos e nunca senti com nenhum outro desporto. Aliado ao facto de que não temos horários fixos, nem ficamos dependentes de ninguém.

Acontece-me imensas vezes quando vou para o estrangeiro e por causa do jet lag, acordar ás 3h da manha e desesperar por não ter nada para fazer. Para mim é fácil de resolver… equipo-me e lá vou eu! Noite fechada e eu a curtir uma corridinha!

 

Consultou um médico para saber se poderia praticar exercício físico?

Não, mas todos me aconselham a fazer.

Alguma vez ouviu “bocas” na rua?

Quase numa base diária! Há sempre pessoas que se acham treinadoras e dão os seus palpites, há os “machos latinos” que acham que se não mandarem “bocas” até parece mal e até há mulheres que também acham que têm algo a dizer.

Dependendo da minha disposição e da “boca”, pode sair resposta torta ou não. Já me aconteceu ficar “amiga” de um dito “macho latino”… passou por mim o primeiro dia e mandou “boca foleira” e eu nada disse, passou o segundo dia e repetiu a graçola, ao terceiro dia quando ia a abrir a boca perguntei-lhe se não tinha nada de novo a dizer! O grau de admiração foi tal que começou-me a cumprimentar sempre que me vê e se estou uma semana sem aparecer diz logo que notou a minha ausência!

Mas a verdade é que apesar de muitas vezes ouvir “bocas” pouco agradáveis, sou muito acarinhada pela comunidade de corredores que me rodeia o que me motiva bastante.

O que dizem os seus amigos? Não é normal uma mulher com o seu peso ter a força de vontade que tem e muito menos se expõe da forma que o faz…

Os meus amigos já me conhecem. Nunca fui pessoa de me preocupar muito com o que os outros pensam de mim. Não podemos agradar a todos e a minha postura é que quem não gosta de mim que não se aproxime. Quem não gosta de me ver correr, tem boa solução… é só olhar para o outro lado!

Mas é engraçado ver que consigo entusiasmar alguns amigos a começar a correr e a partilhar a minha paixão. A maior parte das pessoas, quando tentamos fazer com que comecem a correr, diz sempre que não gosta porque não tem resistência para isso. Mas se lhes ensinarmos como fazer os primeiros treinos, a corrida consegue conquistá-los.

Como é a sua rotina habitual de treinos?

Para mim é muito complicado manter uma rotina de treinos regular. Nunca fui uma pessoa muito disciplinada, além de que no meu trabalho é complicado ter horários certos. Por isso prefiro não stressar com o tema. Procuro fazer no mínimo dois treinos por semana e corro sempre aos sábados e domingos. Aconselho-me com o meu “treinador” que é o meu pai e que me chama á atenção quando começo a exagerar. Como adoro correr, facilmente começo a correr todos os dias e a exagerar, fazendo com que as lesões me surjam.

A corrida está a mudar a sua vida?

A corrida mudou radicalmente a minha vida… tornei-me uma pessoa mais consciente do meu corpo e das suas capacidades. Penso que até a nível intelectual a corrida me mudou, nas muitas horas em que corro sozinha e tenho longas conversas comigo mesma e analiso a minha vida.

Quais os seus objectivos a curto e longo prazo na corrida?

Os meus objectivos na corrida são sempre divertir-me e tirar o maior prazer que conseguir dela. Depois desta meia maratona, estipulei o objectivo de a fazer para o ano em 2h. Mas isto sou eu a colocar a fasquia bem lá em cima para me obrigar a treinar bem! Muito sinceramente acho que não tenho espírito para a maratona, por isso as meias são uma boa distância para mim.

O que sentiu ao terminar a sua primeira Meia Maratona?

Uma mistura muito forte de sentimentos…. Primeiro de felicidade e realização! Nunca diria quando comecei a correr que alguma vez conseguiria acabar uma meia maratona. Uma alegria imensa por poder dizer que a minha primeira meia maratona foi na minha cidade linda, que eu tanto adoro. Um carinho muito grande pelas pessoas que me acompanharam e me apoiaram durante a prova. Um sentimento de tristeza pela ausência do meu companheiro de corrida e treinador, que é o meu pai, que por um infortúnio da vida não pode correr mais. A sua presença comigo na prova teria tornado a meia maratona num momento 100% perfeito na minha vida.

Agradecimento: Filipa Vicente

29 Comentários

  1. Filipe Jorge 26 de Setembro de 2011 8:40

    Olá a todos, eu também comecei a correr para perder peso há cerca de 1 ano, depois de 6 anos em ginásios sem grande resultado saí e comecei a correr. Neste primeiro ano, já perdi 10kgs, mas o meu metabolismo é muito lento e a perca de mais peso começou a estabilizar o que por sua vez fez com que começasse a desmoralizar. Depois de um primeiro ano de corridas, onde já fiz 4 meias maratonas e várias de 10km começaram algumas dores, primeiro no Joelho, já ultrapassada, depois uma Pubalgia, que com ABS específicos tenho conseguido superar, mas agora começou na anca, as duas, assim como na parte interior e desta vez tem sido muito complicado correr, na pratica vai ser mais um revés na caminhada para a perca de peso. Abraço a todos e Susana continua.

  2. Paulo Rodrigues 26 de Setembro de 2011 10:49

    Já conheço a Susana há alguns anos, no entanto nunca falamos muito. O que mais me impressiona nela, não é o seu aspecto físico, mas sim, a sua simpatia! Sempre que nos cruzamos a treinar e acontece um “bom dia”,”boa tarde” ou “boa noite”, vem sempre acompanhado de um sorriso!
    Parabéns e um grande abraço ao Lourenço!

  3. Luís Rodrigues 26 de Setembro de 2011 11:09

    Não me ocorre mais nada a não ser: Respect!

    Tendo perdido 24kg a correr, conheço pessoalmente alguns dos obstáculos e dificuldades que a Susana enfrentou. Só aumenta o respeito pelo seu esforço.

  4. Tamara 26 de Setembro de 2011 12:31

    Esta senhora é uma força de inspiração para todos nós, mesmo para aqueles que não precisam de emagrecer. A garra e a determinação com que faz as coisas é espectacular.
    Os meus parabéns.

  5. isaac costa 26 de Setembro de 2011 13:16

    parabéns e não desistas. a força de vontade e o correr por prazer fazem que todo este sacrifiçio valha a pena.
    mts parabens

  6. sandra 26 de Setembro de 2011 16:16

    Desejo que possas continuar a correr assim com essa felicidade, por toda a vida. Também treino sozinha e sei como é essa sensação de liberdade plena! É de tal forma viciante, que já não podemos passar “sem ir á rua”, como os nossos amigos patudos! Parabéns pela tua coragem… é preciso uma grande determinação para se enfrentar essas “bocas foleiras”. O mais desagradável é que muitas dessas bocas estão enfeitadas por cigarros, e é a coisa mais nogenta, quando um corredor vai a passar, levar com esse ar fedorento e tóxico! Continua a correr e a ser feliz, e a perder peso, também! Sem esforço e persistência, nada se consegue. A nossa cabeça comanda tudo! Beijinhos!

  7. Pedro Seixas 26 de Setembro de 2011 16:25

    Boa tarde.
    Grande artigo este com uma grande mulher. É destes exemplos que precisamos. Eu peso 90 Kgs e comecei a correr há 1 mês. Se tivesse vontade de desistir, já não o faria tal me motivou este artigo. Obrigado Susana e obrigado ao Correr Por Prazer. Os meios de comunicação social portugueses só pensam em futebol. Ponham os olhos neste site. Precisamos de exemplos positivos coisa que as TV’s não fazem mas felizmente há sites como este que esses sim são de utilidade pública. Bem hajam.

  8. Rui Pinho 26 de Setembro de 2011 16:48

    Parabéns à Susana!
    Não é fácil passar por tudo o que se passa quando caminhamos para o peso normal. As pessoas estranham sempre a determinação dos outros por não terem a coragem de mudar, de dar o passo necessário para o seu próprio bem estar. E refugiam-se em escárnio e maldizer, numa forma cobarde de tentarem diminuir aquilo que nós conseguimos. Também eu já perdi muitos quilos desde que, há 4 anos, decidi emagrecer. E ainda não estou no peso ideal, embora tenha deixado, nestes 3 anos de corrida, 44 kgs pelo caminho. Também eu passei pelas bocas e pelo espanto, mas como a Susana diz quem não quiser ver que olhe para o outro lado.
    Força Susana, continua a treinar que as 2h na próxima é um tempo atingível se continuares com essa determinação e prazer na corrida.
    Parabéns também ao Correr por Prazer por dar voz a este imenso pelotão de amadores que correm por prazer.

  9. Paulo Monteiro 26 de Setembro de 2011 17:36

    Parabéns à Susana.
    Conheci a Susana na viagem de autocarro do Fluvial até à partida, ela é amiga do Luís Fonseca que correu comigo a mini de 7Km. Deu para perceber que é uma mulher de grande coragem e determinação na pequena conversa que tivemos. Confesso que fiquei surpreendido quando nos disse que ia fazer a meia e eu só lá estava para a mini. Não temos todos a mesma força de vontade e determinação.
    Mais uma vez parabéns.

  10. Conceição 26 de Setembro de 2011 18:06

    Parabéns Susana.

    Acho que não vou poder escrever o que eu estou a sentir pelo o qu Susana fez so posso dizer é uma pessoa duma simpatia fantastica uma determinação fora do normal a Susana mostra o que é o amor de correr não para os ditos “PB” mas sim CORRER POR PRAZER

    Parabéns para a Susana e também paro o seu grande treinador que é um grande Senhor

  11. Miguel Santos 26 de Setembro de 2011 18:10

    Parabens Susana.
    Deixo aqui uma palavra de carinho à Susana pela sua força , coragem e determinação.
    Continua a correr porque a quem o faz como tu o fazes tudo te é permitido .
    Eu tb fiz a meia maratona,(1H34M) e tb peso 100Kg, como tal sei bem que na próxima vais melhorar o teu tempo.
    Em relação “as bocas foleiras” , que essas sirvam de Doping para as tuas próximas conquistas.
    Parabéns.

  12. José António Freitas 26 de Setembro de 2011 19:31

    Foi com certa emoção que li todo o artigo da Susana e nele vislumbrei a coragem, a determinação, a constância, a perseverança, a resistência/resiliência, o exemplo de uma Mulher cujo espírito de sacrifício “arrasa montanhas”, afasta obstáculos, vence as inclemências do tempo e aprendeu em devido tempo que “os cães ladram mas a caravana passa”.
    Muitos que depreciam as caminhadas/corridas acabam por também começar a correr…
    Uma palavra de carinho, respeito, simpatia pela Susana, fonte de inspiração para vencer as dificuldades da vida em geral e para desfrutar do incrível prazer de correr em comunhão com a Natureza. Também queria lembrar aqui o “seu Treinador”. Lamentar a sua impossibilidade para o atletismo.
    Seria injusto não lembrar também o autor deste espaço, Vitor Dias, agradecendo-lhe a oportunidade das pessoas ligadas ao Correr Por Prazer (sem aspas) se expressarem transmitindo ensinamentos que nos incentivam a continuar a busca.
    Mas a origem deste artigo é a Susana. Para ela o meu reconhecimento pelo prazer que desfrutei ao lê-lo mas, acima de tudo a lembrança para que, com o treino personalisado, não pare nunca antes e depois de ultrapassar as 2 horas na meia maratona.
    Parabens!

  13. Daniel Silva 26 de Setembro de 2011 22:08

    Muito bem vc é um belo exemplo,eu corro a 2 anos , em media 25 km por semana,tive problemas na pelves( bacia )uma dor muito forte apareceu, tive que parar de correr por 35 dias coloquei gelo (crioterapia)foi que me salvou,troquei de tenis e recomecei a correr…3000 mil metros a 5000 mil metros depois passei pra 8000 mil metros e hoje estou chegando aos 15 mil metros… Continue a correr viu…Parabens !!!! meu MSN [email protected] um abraço!!!!

  14. Susana Lourenço 26 de Setembro de 2011 22:22

    Olá a todos. Muito obrigada pelas vossas palavras e gostaria de responder a algumas considerações:

    Filipe não desanime. Em relação ao que comenta do metabolismo, a mim o que me aconteceu é que com o passar do tempo o corpo habituou-se à corrida e para conseguir perder peso tenho de comer cada menos… ou seja, agora só consigo perder peso passando mesmo fome! O que torna a perda de peso ainda mais complicada. Em relação ás lesões, também tenho muita tendência para as fazer. Acho muito importante o “sabermos ouvir o nosso corpo” – ir com calma nos treinos, intercalando distâncias e velocidade e tendo a noçao de que cada um tem o seu timing de evolução. E quando as lesões surgem, procurar um bom fisioterapeuta. Eu sofri dores horrorosas com as fasceites e nenhum médico me dava solução a não ser tomar comprimidos. Até que encontrei um “anjo da guarda”, um fisoterapeuta que num mês e meio me deixou completamente sem dores. E com a agradavel supresa de que neste periodo de tratamento, eu sempre em stress a perguntar-lhe se podia correr… ele só me dizia ” dê-lhe com toda a força”!!

    Pedro nunca pense em desistir. No inicio não é facil, mas pode ter a certeza que vale a pena. Se eu consigo toda a gente consegue… é só preciso ser teimoso e persistente.

    É sempre um prazer conversar com colegas corredores.

    Desejo-vos a todos bons treinos e quem sabe se não nos cruzamos um dia destes?

  15. Francisco Lobo 26 de Setembro de 2011 23:00

    já nos cruzamos muitas vezes no parque da cidade, e é dificil não reparar em ti (apesar de nunca te ter mandado umas bocas) e na força de vontade que tu mostras. Para mim és um exemplo (tal como a Marisa Barros que corre conosco no parque o é). Adorei a tua entrevista (também já me aconteceu pelo jetleg sair do hotel para correr a horas estranhas e ainda chegava a tempo de abrir o pequeno almoço.
    Parabéns pela conclusão da MM (a cerja no topo do bolo)
    Abraço e continua

  16. Luis Santos 26 de Setembro de 2011 23:06

    Susana, uma história inspiradora para todos os que querem começar a praticar desporto. São histórias como a sua que me vão dando ânimo para ir tentando chegar cada vez mais longe. Se tiver oportunidade, espreite o meu espaço onde eu vou falando das aventuras desportivas d ealguém que já foi um grande fumador e que nem era capaz de pensar em andar muito, aqui (http://makejetomossoonsports.wordpress.com)
    Em relação ao seu comentário, em particular quando diz: “a mim o que me aconteceu é que com o passar do tempo o corpo habituou-se à corrida e para conseguir perder peso tenho de comer cada menos… ou seja, agora só consigo perder peso passando mesmo fome”, eu, não sendo de forma alguma um especialista nestas matérias, considero mesmo assim que essa análise não será a mais correcta. Não será a passar fome que se poderão obter resultados. Esse será um passo errado. Comer de forma equilibrada e praticando desporto, será a única forma de perder peso. O corpo já se habituou a esse ritmo? E que tal fazer treinos com ritmos variados, alternando entre o ‘trote’ e uma corrida rápida? E tentar inserir pelo menos uma ou duas sessões de ginásio, com passadeira no final do treino? Haverá certamente aqui quem perceba mais destes assuntos, mas em tudo oque vou lendo, mesmo em artigos publicados neste site, eu julgo que dessa forma os resultados iriam aparecer (e sem passar fome)
    Cumprimentos

  17. Joaquim Nogueira 26 de Setembro de 2011 23:06

    Muitos Parabéns Suzana

    Não há dúvida que escolheram a frase certa para a medalha da tua primeira meia maratona “Querer é Poder”.

    Cumprimentos

    Joaquim Nogueira

  18. Carlos Rocha 26 de Setembro de 2011 23:13

    Olá Susana,

    Parabéns pela sua prova.

    Já nos conhecemos algum tempo e sabe que admiro a sua coragem e determinação.

    Quando comecei a correr ficava admirado ao ouvir as histórias do seu Pai, sobre maratonas que tinha feito pelas capitais europeias. Para mim era uma inspiração ouvir aqueles relatos.

    Tinha uma grande vontade de correr uma maratona e fiz a minha primeira maratona em Lisboa no ano de 2005. Hoje já corri 11 maratonas de estrada e mais algumas…

    Tenho a certeza se continuar com alguns objetivos a curto, médio e longo prazo, um dia vai perder a conta as meias maratonas que correu.

    Desejo a continuação de bons treinos, no final do ano há umas provas simpáticas.

    Beijinhos.

  19. Luis Sousa Pires 27 de Setembro de 2011 19:10

    Olá Susana,

    Temo-nos cruzado algumas vezes e vi-a, em bom ritmo, na meia maratona. Estive para mandar um berro de incentivo, mas não o fiz pelo risco de ser mal interpretado (…) na próxima vez, é certinho! Pelo que tenho visto, e agora li, é uma séria candidata a se juntar ao nosso grupo, cada vez maior, de maratonistas. Com toda essa força de vontade, parece-me possível atingir esse objectivo dentro de pouco tempo, ou seja, um ou dois anos. Há que acreditar e continuar com esse prazer na corrida, que os resultados aparecerão quando menos se esperar.

    Parabéns pelo enorme exemplo!

  20. Lopes Fafe 27 de Setembro de 2011 21:36

    Olá Susana
    os meus parabéns pelo seu feito, gostei do que li,
    pois o tempo gasto, isso é secundário, porque começar e acabar é uma vitória, e é isto que fica para a história.
    Quanto ao seu treinador eu queria-lhe deixar esta frase que me ofereceu a minha filha num quadro quando eu há tempos atrás parti um pé e pensava que não ia voltar a correr.
    “….Quando não puderes correr por causa dos anos
    trota.
    Quando não puderes trotar caminha.
    Quando não puderes caminhar sózinho usa uma bengala.
    MAS NUNCA TE DETENHAS”
    “Madre Teresa de Calcutá”
    Um beijinho
    João Lopes

  21. Jorge Esteves 28 de Setembro de 2011 21:14

    Muitos Parabéns Susana! É de pessoas assim que este Mundo precisa! Força e muito boa sorte para todos os seus desafios!

  22. Diana Araujo 28 de Setembro de 2011 22:08

    Ola
    Fiquei fascinada com esta historia e apesar de circunstacias diferentes, passei por coisas identicas.
    Adorei saber que a Susana tem o mesmo pensamento que eu: “Os meus amigos já me conhecem. Nunca fui pessoa de me preocupar muito com o que os outros pensam de mim. Não podemos agradar a todos e a minha postura é que quem não gosta de mim que não se aproxime. Quem não gosta de me ver correr, tem boa solução… é só olhar para o outro lado!”

    Parabens!!!
    Gostava de um dia falar consigo Susana, pois fiquei mesmo inspirada com vontade de nunca desistir.
    Caso deseje falar comigo, fica aqui o meu e-mail: [email protected]

  23. Susana Lourenço 29 de Setembro de 2011 0:40

    Olá mais uma vez a todos!

    Volto a agradecer a todos as felicitações.

    Obrigado pelo carinho e podem ter a certeza que o sentimento de admiração e respeito è recíproco.
    Quem quiser falar mais comigo, disponilizo o meu mail: [email protected] ou pelo facebook.

    Estejam à vontade… é sempre um prazer enorme!

    Beijinhos

  24. Humberto Barros 2 de Março de 2012 17:08

    Olá Susana,fiquei muito feliz com a notiçia muitos parabéns!!

    Em relação as “bocas” infelizmente existem pessoas tao mesquinhas mas o importante é a tua determinação e esforço,continua e ainda vens a Madeira fazer a Meia Maratona de 2013:)!!

    Beijinhos e bons treinos,

    Humberto

  25. paulo branco 3 de Junho de 2012 15:31

    muitos parabéns, Susana.
    de facto, nota-se em ti uma pessoa com muita força de vontade, mas se pensares só em termos de perda de peso, embora o possas conseguir, mais cedo ou mais tarde, pode não ser suficiente. olha a corrida, que tão bem agarraste pelo lado do prazer que ela te vai dando, pois o tempo, ensinar-te-á muita coisa. A corrida se a tornares num hábito, como a necessidade que temos no dia a dia de respirar, os benefícios surgirão naturalmente, entre eles, sem sombra de dúvida, aquele que tanto almejas e que é a perda de peso. A corrida ensinar-te-á (com o tempo) a escolher o que comer para te sentires bem, vai contornando para melhor a tua fisionomia, vai aumentar os teus níveis de auto-estima, ajudam-te a ignorar alguns comentários mais parvos, vão soltar-te e fazer de ti uma pessoa ainda mais feliz. não vou enumerar todos os benefícios da corrida, apenas te vou dizer que pela minha experiência, ainda curta nestas coisas da corrida, faço-a à cerca de dois anos e meio, e tanto me tem fortalecido! Só agora sinto que estou em condições de fazer uma meia maratona e, se deus quiser vai ser já no próximo domingo na figueira da foz. Tempo para a prova? Intimamente, 1h45, se calhar seria óptimo, mas prefiro pensar primeiro em acabá-la. Essa será a maior vitória. Já carrego 42 anos nas pernas e só tenho pena de ter descoberto a corrida e seus benefícios tão tarde. Tudo de bom e muito êxito.

    um abc,

  26. Joana Leite 24 de Julho de 2012 22:15

    Parabéns Susana!
    A tua força de vontade é extraordinária!! 🙂
    Beijinhos e bons treinos

  27. Maria Almeida 9 de Setembro de 2012 13:50

    Olá a todos!

    Estou totalmente emocionada com todos os comentários que aqui li e, principalmente, com a história da Susana. Obrigada!!!
    Procurei um artigo para me inspirar a correr e descobri este à primeira. Também nunca fui muito dada ao desporto, talvez nunca tenha tido uma educação virada para ele e, talvez, também, seja um pouco preguiçosa. Na verdade, preciso de emagrecer e estou farta das dietas. Elas ajudam, mas depois tudo volta ao mesmo;-(. Costumo fazer bicicleta em casa e até gosto, mas tenho uma amiga minha, mas que infelizmente mora longe, que diz que a corrida é maravilhosa para emagrecer e, também, para tonificar pois com 34 anos e já com algumas dietas pelo caminho, o corpo fica flácido e não é bonito…principalmente para nós quando nos olhamos ao espelho. Vou tentar mudar esta minha postura e ganhar coragem E AGIR!
    Obrigada a todos.

    beijinhos,
    Maria

  28. Susana Lourenco 9 de Setembro de 2012 22:30

    Boa noite a todos!

    As minhas desculpas em tardar a responder mas não tinha visto os comentários novos.

    Humberto: adorei a ideia da meia maratona na Madeira! Quem sabe? 🙂 obrigada pelas suas palavras. Bjinhos

    Paulo Branco: espero que a MM da Figueira tenha sido uma experiência tão espectacular para si como a MM do Porto foi para mim. Obrigada pelas suas palavras! Bjinhos

    Joana: Uns bons treinos para si tb! Bjinhos

    Maria Almeida: tanta coisa que eu lhe podia dizer! A corrida para mim é uma paixão tão forte que sempre que encontro alguém que não corre ou que está a iniciar, sinto uma necessidade imensa de entusiasmar as pessoas! Lol acho que faz muito bem em deixar a preguiça do lado!
    A idade que é importante é a mental porque essa é a que nos permite viver a vida na sua plenitude! Conheço muita gente que começou a correr aos 50 e 60 anos e hoje fazem maratonas, por isso vai muito a tempo! Mas queria avisa-lá de alguns factores importantes em relação a começar a correr:
    – muita gente pensa que vai tentar correr e consegue correr logo meia hora. É muito raro isso acontecer! Eu comecei por correr 2 min e caminhar 5min intercalado e fui, com o passar do tempo, aumentando o tempo a correr e a diminuir o tempo a caminhar. Com calma, sem ficar dorida nem espalmada…. a corrida é um desporto de paciência e persistência.
    – em relação ao emagrecer, é importante que tenha presente que a corrida vai aumentar bastante o apetite. O que quer dizer em termos práticos, que inicialmente até pode perder peso sem fazer dieta mas depois o corpo habitua-se ao facto de correr e torna-se cada vez mais difícil de emagrecer. Só para ver, em Março fiz a meia maratona de Paris e estive lá 4 dias com uns amigos… Voltei 2kg mais gorda! Mesmo a correr a meia maratona! Dito isto, não se distraia com a alimentação! Infelizmente Isto é uma luta constante!
    – e para não ser chata consigo, queria só dizer-lhe que tenha muita atenção ás sapatilhas com que corre porque se nao forem as indicadas para si podem trazer-lhe problemas de saúde. E escute sempre o seu corpo!

    Como já deu para ver, quando o assunto é corrida é difícil eu parar de falar!

    Neste momento encontro-me lesionada com uma tendinite na sacro-ilíaca e por isso não vou partecipar nesta meia maratona do Porto no dia 16… Mas vou estar presente a apoiar os amigos! quem quiser aparecer e trocar dois dedos de conversa comigo é muito bem vindo! Se estiver por perto Maria, apareça e falamos um pouco! Quem sabe? Quando eu puder correr ainda fazemos um treininho juntas? 🙂

    Boas corridas para todos! Bjs

  29. Fernando Gonçalves 3 de Abril de 2016 16:15

    Depois de ter parado de correr durante, quase, dois anos, após cerca de oito a correr semanalmente, e com várias meias maratonas e 3 maratonas feitas, digo com muito orgulho….OBRIGADO SUSANA.
    Por me teres incentivado, por me teres acompanhado, por ralhares comigo, enfim….POR SERES MINHA AMIGA.

    RESPECT

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*