A minha maratona de Milão

Autor: Vitor Dias  /   Abril 15, 2011  /   Publicado em Crónicas
Tags: 42 kms, maratona, milão, porto runners
Tempo de Leitura: 5 minutos

A minha maratona de Milão

O assador estava demasiado quente, mesmo assim pus lá toda a carne e o almoço saiu gourmet, saiu mesmo o melhor de sempre.

A PREPARAÇÃO

Desde o final do ano passado que esta maratona começou a ser preparada por grande número de atletas da minha equipa (Porto Runners). Ao todo inscreveram-se para esta prova 42 corredores, todos eles na prova rainha. Desde essa altura que se começaram a elaborar planos de treinos, uns conhecidos e outros novos. Foi o meu caso e do meu amigo Luis Pires. Analisamos e pusemos em marcha um plano de 12 semanas. Trata-se de um plano do treinador brasileiro Ayrton Ferreira e que o nosso amigo João Meixedo nos chamou à atenção numa revista Atletismo de há uns meses atrás. O plano era arrojadíssimo. De um não inicial, passamos a um talvez e depois a um “vamos a isto”. Com tal plano, havia muita coisa a considerar, sendo a principal, a forma de como arranjar tempo para o fazer. Como sempre foi a família a pagar a maior factura. Seis dias por semana, com um único dia de descanso (sábado). Foram 12 semanas de treino intenso mas que não me custou nada em termos físicos e principalmente psicológicos. Não fiquei farto de correr em altura nenhuma do plano. Talvez tenha sido pelo facto do mesmo ser muito variado, nada monótono mas principalmente pela companhia. Correr com o Luis Pires é como estar numa aula e não querer que a campainha toque. Foram 1166 Kms de corrida num total de 100 horas. Nunca corri tanto em tão pouco tempo. Cumpri o treino a 90%. Falhei 7 treinos  por impossibilidade familiar ou profissional, ou em alguns casos por opção de descanso.

A VIAGEM

A deslocação à capital da moda era vista com alguma expectativa por toda a comitiva. Ao todo éramos quase 100 pessoas. Grande convívio, grandes momentos de descontracção, grande companheirismo. Fosse qual fosse o resultado obtido, todos se dariam por satisfeitos. Afinal a corrida tem sido apenas um pretexto para nos divertirmos. A nós se juntaram outros companheiros portugueses aos quais quero destacar a equipa Sunset Runners, que com a sua simpatia abrilhantou muitos dos momentos passados.

A PROVA

Foi uma semana de olhos postos na metereologia. As previsões eram de tempo quente e de humidade reduzida. A própria organização emitiu na quarta-feira anterior um comunicado a alertar para o facto. Na véspera, chegamos a ser abordados por atletas italianos que nos falavam em “Caldo”. Calor, calor, calor. Estávamos mais do que à alerta e avisados. Eu dou-me mal com o calor e optei por levar camisola de alças e não levar boné, óculos, lenço ou outro qualquer adereço. A ideia era praticamente “tomar banho” em todos os abastecimentos de forma a baixar a temperatura corporal. Fomos para o local da prova de metro (transportes gratuitos para quem ia correr), eu o Luis Pires, o João Meixedo e o Vasco Batista. Grande ambiente no metro, quase só atletas em direcção à Feira de Milão onde o tiro de partida nos esperava às 09h20. Á chegada grande grupo da Porto Runners em amena cavaqueira. Juntamo-nos para descontrair e para a habitual foto de família. De seguida partimos para um aquecimento de cerca de 20 minutos isto depois de enfrentar as já numerosas filas de casas de banho. Fomos para o local de partida e entramos no controlo previamente escolhido aquando da inscrição. (3h00 a 3h30). Pouco depois lá íamos nós rumo à cidade que distaria cerca de 15 Kms do local da partida. Despedimo-nos uns dos outros porque isto de irem uns devagar demais e outros depressa demais é coisa que prejudica uns e outros. O Vasco, o Luis e o Carlos Rocha arrancaram para junto dos balões das 3 horas e eu fiquei-me mais atrás, embora a um ritmo superior ao que previamente tinha estipulado. Mesmo assim, o balão das 3 horas andou ali na minha linha de visão até pouco depois dos 10 Kms. A minha ideia era andar um ritmo um pouco mais que o normal aproveitando a temperatura ainda não muito alta. Quando ela subisse como o previsto, eu poderia ter já uma boa margem de vantagem já com o objectivo da minha nova marca pessoal garantida. Foi a primeira maratona que fiz completamente sozinho. Perdi o medo de o fazer, concentrei-me e levei a coisa a sério. A preparação tinha sido boa e nunca me tinha sentido tão em forma. O alcatrão foi deslizando debaixo dos meus pés com grande naturalidade, e aos 10 Kms, aos 15 Kms e à Meia maratona, passei com um tempos inferiores às minhas melhores marcas nestas distancias. Como era isto possível? Noutras circunstâncias ficaria assustado, aqui não fiquei. Eu sabia que estava bem preparado e que só o calor ou uma quebra muito grande me faria não alcançar o meu objectivo e muito menos não acabar a prova. Fui aguentando o calor e o cansaço nos últimos 8 Kms e consegui acabar com 10 minutos de vantagem sobre a minha melhor (Berlim 2009), com o tempo de chip de 03h07m51s e um tempo oficial de 03h08m12s.

A Minha Prova no Garmin Conect

Fotos da prova (facebook)

AGRADECIMENTOS

O primeiro agradecimento vai para a minha família. Ana, Gonçalo e Francisco. Vocês são a minha maior motivação e os mais prejudicados com estas minhas maluqueiras. O teu marido e o vosso pai nunca está em casa. Anda sempre a correr. Mas já viram como ele é feliz assim? Prometo compensar-vos.

Ao Luis Pires pela paciência em me acompanhar nos treinos, muitas das vezes alterando a sua rotina para se adaptar às minhas horas de treino. Foste um amigo, um treinador, um psicólogo e acima de tudo um professor. Nasceste para isto e correr a teu lado durante 12 semanas foi a maior mais-valia que tive desde que comecei a correr. Obrigado companheiro.

Ao Paulo Rodrigues, meu massagista e companheiro de conversas maratonísticas. Que a vida te sorria pois sei que nunca lhe viras as costas. Mereces tudo o que a vida tem de melhor. Bons treinos para os teus grandes objectivos futuros.

Ao Vasco Batista que foi o primeiro português a cortar a meta em Milão e à sua simpática família, que todos os domingos se levantam cedíssimo para virem de longe acompanhar-nos nos treinos longos.

Á Filipa Vicente pela sempre sábias e úteis dicas de nutrição. Força nesses treinos que a tua próxima empreitada é grande mas alcançável.

A toda a equipa da Porto Runners, Meixedo, Carlos Rocha, Rui Pinho (com novo PB em Milão), Miguel Marujo, José Barbosa, João Morais (com novo PB em Milão), Marco Silva, Fernando Costa, Rui Pinto, José António Rodrigues, Mendes da Silva, Paolo Senesi, Cristina Vale, Miguel Catarino, Paulo Freitas, Isabel Magalhães, Alberto Mendonça e a todos os que me enviaram mensagens de encorajamento.

À RTXSPORTS e à ZOOT pelo apoio logístico e por terem acreditado num simples corredor de pelotão.

DICAS PARA QUEM PRETENDE CORRER ESTA MARATONA

– Inscrição a partir de 30 Euros (até Janeiro)

– Voos directos low cost desde o Porto (Easyjet) com preços a rondar os 50 Euros

– Hotéis perto da chegada a aproximadamente 100 Euros (duplo)

– Bons abastecimentos líquidos e sólidos durante a prova

– Expo maratona fraca mas com muitas ofertas

– Camisola de qualidade (incluída no preço da inscrição)

– Pasta Party da véspera (3 Euros)

– Bonita medalha

– Preço da alimentação na cidade um pouco cara mas com várias opções de massa e fast food a preços de Portugal

– Oportunidade de bons passeios pela cidade, a pé em descontracção, como convém

Site da prova com toda a informação necessária

– Cidade bem servida de metro (1 euro por viagem)

– Fotos da organização com muita qualidade mas bastante caras

Página da prova no facebook com muitas informações e com respostas quase que imediatas às perguntas colocadas

– Transportes públicos gratuitos no dia da prova para quem apresentasse o peitoral

– Trajecto da prova bastante bonito, com algum público assistir em algumas zonas

– Cidade com um trânsito caótico, mesmo no dia da prova onde os condutores tentavam atravessar, apesar dos voluntários e polícias em todos os cruzamentos.

– Para além da maratona, a prova tem ainda uma estafeta, pelo mesmo trajecto, dividida por 3 atletas (14 Kms, 28 Kms e 32 Kms).

– A prova teve transmissão televisiva em directo na RAI tendo o Jornal Gazzetta dello Sport publicado no dia seguinte um suplemento exclusivo acerca da mesma com as classificações de todos os atletas.

Foto: Lina Branco Batista

Leia também ...  Aurora Cunha volta a calçar as sapatilhas

Sobre Vitor Dias

Autor e administrador deste site. Corredor desde 2007 tendo completado 54 maratonas em 15 países. Cronista em Jornal Público e autor da rubrica Correr Por Prazer em Porto Canal. Site Oficial: www.vitordias.pt
Fyke

48 Comentários

    Publique um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    *