Kenneth McArthur

Autor: Vitor Dias  /   Setembro 04, 2010  /   Publicado em História  /   1 Comentário

Nacionalidade: Sul Africana

Nascimento: 10 de Fevereiro de 1881 em Dervock

Falecimento: 13 de Junho de 1960 (79 anos) em Potchefstroom

Venceu a Maratona dos Jogos Olímpicos de 1912 em Estocolmo com  o tempo de 02h36m54s

Nascido num condado do interior da Irlanda do Norte, desde adolescente mostrou ser um atleta promissor, mas não se interessou em seguir a carreira desportiva e emigrou para a África do Sul em 1901. Em 1906, após entrar para a força policial de Joannesburgo, McArthur começou a levar mais a sério o atletismo, passando a disputar corridas e a ganhar títulos em cross-country entre 1906 e 1908, quando disputou sua primeira maratona, vencendo, para surpresa de muitos, o vice-campeão olímpico dos Jogos de Londres naquele ano, Charles Hefferon. Em 1908 também conquistou o campeonato sul-africano da milha e das dez milhas.

Em 1912, McArthur foi seleccionado para representar a África do Sul na maratona dos Jogos de Estocolmo. Correndo na liderança com seu companheiro de equipa Christian Gitsham debaixo de forte calor, a dupla sul-africana distanciou-se bastante dos outros competidores até que Grisham resolveu parar para beber água, acreditando que McArthur pararia com ele. Em vez disso ele continuou a correr com toda velocidade possível, distanciando-se de tal forma que Grisham não o conseguiu mais alcançar.

Com a aproximação da linha de chegada no estádio olímpico completamente cheio, McArthur começou a sofrer seriamente da fadiga provocada pelo esforço de correr 42 km no calor e quase teve um colapso próximo da chegada, sendo animado por um torcedor sueco que invadiu a pista e lhe colocou uma coroa de flores à volta do pescoço gritando palavras de encorajamento.

Foi o suficiente para ele disparar para a chegada, vencendo a prova com 58 segundos de diferença para o segundo classificado, Grisham, em 2h36m54s, estabelecendo um novo recorde olímpico.

Na temporada seguinte, McArthur teve um acidente e foi obrigado a abandonar o atletismo. Em toda a sua carreira correu um total de seis maratonas vencendo-a todas.

Fonte: Wikipédia

Trilhos da Aboboreira

One Comment

  1. Nelson Perneta 4 de Setembro de 2010 20:20

    Olá Vitor:Parece que naquelas alturas,era muito comum ,haverem colapsos devido ao calor.Os abastecimentos talvez seriam bem poucos ou quase nehuns,quando já estava de rastos completamente sem forças,este atleta na minha opinião,foi ajudado pelo poder da sugestão,ao subconsciente.Sendo perfeitamente legal,são mistérios da mente.que funcionam e dão resultados provados.Boa semana

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.