Correr atrás de desafios

Autor: Vitor Dias  /   Setembro 07, 2009  /   Publicado em Notícias  /   8 Comentários

Hoje de manhã bem cedo, ao percorrer a marginal portuense, deparei com um número considerável de corredores. Isso não é uma situação anormal e ainda bem. No entanto, reparei também na quantidade de pessoas que caminhavam, andavam de bicicleta, praticavam surf, para além dos habituais sedentários pescadores. Mas o que terão todos em comum?

Mesmo sendo dia de semana, são muitas as pessoas que se levantam cedo para aproveitar os primeiros raios solares. Isso não acontece somente aqui no Porto, mas em qualquer lugar onde a brisa do mar ou ar do campo nos dá a energia necessária para mais um dia de trabalho.

Mas o que trás tanta gente a praticar algo que gosta antes de um atarefado dia de trabalho, mesmo sabendo que esta actividade o vai deixar cansado, ou porque não ficou a dormir mais um bocadinho? Penso que tudo se resume à procura de um bem estar físico e emocional e ao desafio ou objectivos em vista.

Seja para perder peso, para chegar ao fim de determinada prova, para fazer a sua melhor marca ou para sentir o prazer do peixe a picar e levá-lo para casa, acho que é por isso que eles lá estão. Tudo é um desafio, por mais pequeno que seja. Se fosse fácil qualquer uma destas empreitadas, não estariam ali essas pessoas. Se fosse lançar o anzol à água e o peixe viesse de imediato, concerteza que aqueles pescadores não estivessem ali. Se fosse fácil percorrer uma maratona, não estariam ali tantos outros, se fosse fácil entrar na água fria aquela hora da manhã, os surfistas concerteza estariam a dormir.

Parece que temos tendência a fazer o que não é fácil. “Dos fracos não reza a história” e “faz o que sempre fizeste e terás os resultados que sempre obtiveste”, parece serem chavões que nos leva a tentar fazer algo diferente de quem não pode ou não quer optar por um estilo de vida diferente.

Se não fazes ainda parte dos que optaram por um estilo de vida diferente da ainda maioria das pessoas, muda. Planeia um desafio, seja ele qual for. Faz com que que ele transforme a tua vida, fala com quem já o fez e quais as vantagens que daí obteve, fa-lo acompanhado de familiares ou amigos.

Vais ver que há muito mais vida para além daquela que estás a viver e muito em breve te irás aperceber do que estavas a a perder…

Ultra Trail Medieval 2019

8 Comentários

  1. Luis Ornelas 7 de Setembro de 2009 16:10

    Vitor Dias

    Sem dúvida e felizmente ,,cada vez mais se v~e gente a bater a calçada em pé leve ou mesmo em p´e oesadoè preciso que estes dois pés alavanquem e mexam com este corpinho po corpão todo.Boa corrida para amanhã.Um abraço.lafornelas

  2. Jose Xavier 8 de Setembro de 2009 11:20

    Ol’;

    Gostei deste artigo, pelo incentivo a que seja planeado algum desafio, para mudar de estilo da vida sedentária que muitos levam.

    José Xavier – Holanda

  3. O Primitivo 8 de Setembro de 2009 13:44

    Excelente artigo, muito bom o enfoque no Estilo de Vida e na importância da Mudança!

  4. Pedro 8 de Setembro de 2009 16:41

    Não gostei do comentário: “…sedentários pescadores…” Isso é um pre-conceito. Pode-se ser pescador e desportista. Um escritor ou um leitor, não tem que ser necessariamente sedentário, por exemplo

  5. Vitor Dias 8 de Setembro de 2009 16:56

    Olá Pedro

    Obviamente que um pescador pode ser um excelente desportista, pode até ser campeão olímpico… claro que eu me referia ao pescador (acto de pescar em si que é uma actividade sedentária).

    Fez-me lembrar o grande futebolista José Torres que para além de ser um grande desportista era também columbófilo (que não é propriamente uma actividade dita física).

    Cumprimentos

  6. Joaquim 10 de Setembro de 2009 0:28

    Li atentamenteo o “Artigo” ou “Mensagem” intitulada “CORRER ATRÁS DE DESAFIOS” e deixo aqui os meus parabéns pelo mesmo, ao VITOR DIAS.
    Na verdade, cada vez mais se vê por todo o lado, até em locais onde a qualidade do ar é um atentado à Saúde Pública, pela manhã ou ao fim da tarde aqueles Atletas Anónimosque correm atrás de qualquer “coisa”.
    Quantas pessoas gostariam de fazer o mesmo, e por preconceitos sem razão de existir , ficam em casa, até que um dia alguém os ponha na rua a correr.
    Agora que sou um desses “Anónimos” do alcatrão, sabe-me bem ouvir, quer nos treinos, quer nas provas, palavras de incentivo e de apoio, por parte das pessoas que se cruzam comigo na rua.
    Habituei-me a fazer o mesmo e de uma forma discreta, a dar uma palavra de apoio e de incentivo a TODOS aqueles que palmilham kilómetros.
    Se também nós tivermos essa atitude perante os que correm na Estrada, nos passeios ou nas pistas, estaremos concerteza a incentivar e a fomentar para que essas e outras pessoas corram “…em busca de desafios”.

  7. Paulo Sá 10 de Setembro de 2009 21:27

    Muito bem…é uma verdade sem duvida o que muita boa gente está a perder e eu sou prova disso…a cerca de 2 anos aproximadamente estava nessa fácil e cómoda situação do comodismo sedentário. E um dia despertei e comecei a correr, o que eu andava a perder!!! Tenho 38 anos, 1,75mts e pesava 88kg..passado este tempo todo e com algum treino(ulimamente levado mais a sério) tenho os meus 73kg e faço 21,097km (meia maratona) em 1hora e 35 minutos. Sinto-me renovado e a todos tenho dito é preciso o 1º passo para se ganhar este “bichinho pela corrida” e depois tudo muda…a todos boas corrias.

  8. antónio geraldo 21 de Setembro de 2009 21:40

    pois claro que é verdade…de manhã é que se comeca o dia , sobretudo para aqueles que como eu gostam de atletismo ou de outro tipo de desporto,ou ainda simplesmente caminhar pedalar ou pescar pois que é sem duvida um combate ao sedentarismo que: no nosso pais hesiste talvez por falta de alguma cultura desportiva acho eu.

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.