2 anos a correr, 5000 Kms de prazer

Autor: Vitor Dias  /   Agosto 14, 2009  /   Publicado em Vivências  /   21 Comentários
Foto: José Mimoso

Foto: José Mimoso

Embora os blogs normalmente retratem a vida, os hobbies e/ou as opiniões dos seus autores, sempre evitei essa espécie de “auto-promoção” a que os mesmos nos remetem, preferindo sempre escrever artigos que interessem muito mais a todos os que correm do que propriamente de me dedicar a um certo narcisismo inusitado. Mas hoje não resisti porque estou feliz e contente e por ter decidido começar a correr com regularidade há precisamente 2 anos.

Foi a 14 de Agosto de 2007 que considero ter começado a correr. Depois de ter passado pelo futebol e futebol de salão nos tempos em que a idade dá para quase tudo e de ter por diversas vezes tentado correr com regularidade, este foi o meu dia D. A regularidade que tinha conseguido até então era correr ao domingo durante pouco mais de meia hora e penso que o máximo que consegui foram 4 ou 5 domingos seguidos. Lá voltava novamente, mas a regularidade não era coisa que eu tivesse ainda conseguido alcançar.

Não vos vou contar uma bonita história que me aconteceu naquele dia de Agosto. Foi um dia completamente normal em que num final de tarde resolvi ir correr. Foram 34 minutos, 5 Kms percorridos desde casa até ao Estádio do Dragão, 3 voltas ao mesmo e regresso a casa, com a média de 6,18 min/Km e os “bofes” a saír pela boca fora. Este dia tem a particularidade de ser véspera de feriado, o que facilitou o facto de eu correr pela primeira vez em dois dias seguidos, que por acaso acabaram por ser três. As dores musculares não me impediram de prosseguir e embora não tenha prosseguido a regularidade daqueles 3 dias, corri naquele mês de Agosto 31 Kms, o que era muito para quem estava parado há muito tempo e pesava quase 80 Kgs. No mês seguinte corri quase o dobro e numa das vezes completei pela primeira vez 10 kms sem parar. Eu sabia que a evolução tinha que ser lenta e assim o fiz. Por vezes tinha vontade de correr mais depressa mas fui paciente. Correr sozinho, principalmente no início, pode não ser boa ideia e aqui assumiu papel principal o meu amigo José António. Obrigado Zé. Se não fosses tu, se calhar eu ainda pesava perto de 80 Kgs e provavelmente iria continuar a participar nas caminhadas e continuar a ficar espantado como é que conseguias fazer meias maratonas.

A partir daqui comecei a despender mais tempo a ler sobre corrida do que propriamente a correr. Livros, revistas e internet, valia de tudo. Nesta vertente foi essencial para mim ler o livro que o meu amigo Paulo Rodrigues me emprestou. Foi o livro o “Ultramaratonista” de Dean Karnazes, assinado pelo próprio e que o Paulo o guarda quase que religiosamente. Li este livro num só dia. Soube mais tarde que isso aconteceu com mais do que uma pessoa. Eu afinal era uma pessoa normal, ou então os outros também são malucos. Mal eu imaginava que um ano depois iria poder estar a falar com esse “monstro” das corridas.

Para além de ter tido essa bela ideia de ter começado a correr, tive outra que foi registar todos os meus treinos e provas. É um enorme aliado na motivação. Parece uma coisa complicada mas com a ajuda do SportTracks e do meu Garmin, tudo se torna simples.

5000 Kms de prazer

Foram mais precisamente 5080 quilómetros percorridos no decorrer destes 2 anos (324 Km em 2007, 2814 km em 2008 e 1942 no presente ano). Quilómetros de prazer, de suor, de conquistas, de lesões, de lugares que desconhecia, mas essencialmente de pessoas que foram surgindo no meu caminho. Amigos, colegas ou ilustres desconhecidos com quem meto conversa, são o melhor que a corrida nos proporciona.

A família

A minha família corre comigo. Não ao meu lado, mas está sempre presente. Se não fosse ela eu não corria. Todos os que correm sabem bem o esforço que as mesmas fazem com a nossa ausência. Faltamos horas a fio em treinos e provas, privando-os da nossa presença e não fazendo muitas vezes o que por vezes nos está incumbido devido “á maldita da corrida”. Mas se a “maldita” nos completa e faz felizes, a família mais tarde ou mais cedo compreenderá. A minha cedo compreendeu, ao ponto de não me faltar alguns miminhos como as “pasta party’s at home” ou a aletria que tanto gosto na véspera de provas ou treinos longos. Quando fiz um ano de corrida, até bolo de aniversário surpresa houve. Se calhar hoje também vai haver…

Pontos altos

Apesar de ter sido apenas há dois anos, cada dia e cada prova, sendo elas corridas com prazer, tornam-se elas mesmas em pontos altos, quanto mais não seja depois de terminadas e quando as endorfinas tratam de percorrer o nosso corpo cansado e nos dão a sensação de prazer que nem quem corre consegue realmente explicar. Nunca ninguém esquece o momento em que cortou a meta na sua primeira maratona. Eu não sou excepção e o concretizar da minha primeira maratona e a viagem e estadia para Paris a propósito da minha participação na maratona daquela  cidade são boas recordações de quem nunca lhe passou pela cabeça alguma vez alcançar.

Resta-me agradecer a todos que me têm acompanhado, sem referir nomes para não me esquecer de ninguém, pois são tantos os amigos e colegas de pelotão, aos quais eu espero retribuir da forma que sei e posso.

Por fim termino com a adaptação de uma frase de Almada Negreiros (ele referia-se a livros): Corram por prazer porque a vida é muito curta para as corridas todas que queremos correr.

Ultra Trail Medieval 2019

21 Comentários

  1. Luis Sousa Pires 14 de Agosto de 2009 10:01

    Parabéns Vitor,
    Que sejam os dois primeiros anos, dos muitos que ainda terás para correr (…) e desfrutar.
    Em boa hora começas-te a fazê-lo e, melhor ainda, decidiste partilhar connosco a tua vivência e as tuas experiências. Este teu espaço é uma enorme “mais valia”, para muitos de nós que gostam de correr. Leio com atenção, e interesse, muitos dos artigos que publicas, e tenho aprendido bastante com eles. Mais do que o número de kms ou de provas, registo a paixão com que encaras a corrida, que contagia, seguramente, muitos de nós. Não te considero narcisista, antes sim alguém com alguma vaidade e orgulho no seu percurso, que é de enaltecer. Mais uma vez PARABÉNS por este teu “aniversário”, obrigado pelo teu testemunho, e continua assim por muitos e bons anos!

  2. Geraldino Silva 14 de Agosto de 2009 11:46

    Parabéns Vítor,

    Faço tb meus os comentários do n/ colega Luís Pires, e acima de tudo que este teu artigo, seja gerador e potenciador no despoletar da motivação de muitas outras pessoas p/ tb conseguirem ultrapassar a linha fronteira entre a atitude do fazer / não fazer (desistir), para bem de melhor saúde e maior bem estar, fazendo sinceros votos que o mesmo seja um verdadeiro “click” p/ muita gente, pois nem que que seja só um(a) pessoa que possa vir a aderir a esta forma de estar, já erá valido a pena este teu artigo !!!

    Geraldino Silva

  3. Nuno Sá Lima 14 de Agosto de 2009 12:13

    Parabéns Vitor.Que este dia lhe traga sempre muitas e gratas recordações. Quem se dedica assim ao atletismo merece uma nota de apreço,consideração e estima. Obrigado por tudo o que tem feito neste curto espaço de tempo pelos atletas de pelotão.Força.

    Abraço.

    Nuno Sá Lima

  4. Paulo Rodrigues 14 de Agosto de 2009 13:08

    Olá Vitor
    Agora também vou ser um bocado narcisista!
    Não podias ter arranjado melhor fotografia para colocar,sabes concerteza o prazer que me deu ter-vos baptizado nas voltas á cidade,foi inesquecível!
    O livro do Karnazes,conforme tu sabes guardo-o religiosamente,é a minha bíblia e por incrível que pareça já o li duas vezes!
    “2 anos a correr,5000 kms de prazer” sinceros parabéns e continua com essa força contagiante!

    Grande abraço
    Paulo Rodrigues

  5. Vitor Dias 14 de Agosto de 2009 14:23

    Viva

    Obrigado a todos pelas vossas palavras. As mesmas só me dão maior responsabilidade para o futuro. Continuem a desfrutar das corridas enquanto as mesmas vos derem prazer e contem com a minha colaboração naquilo que me fôr possível fazer.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  6. Vitor Dias 14 de Agosto de 2009 14:26

    Olá Paulo

    Ontem quando ías a correr na nossa marginal portuense, apesar de ires a fazer séries, se eu não te chamasse à atenção, nem me tinhas visto. Passei por ti com um gás… Quem diria há dois anos atrás que isto iria acontecer…

    Sei que vais dizer que tu ías a correr e eu ía de carro, mas isso para mim será uma desculpa medíocre 🙂

    Um grande abraço e obrigado pela tua preciosa companhia.

    Vitor Dias

  7. Filipa Vicente 14 de Agosto de 2009 18:14

    “As pessoas influenciam-nos, as vozes comovem-nos, os livros convencem-nos, os feitos entusiasmam-nos”
    John Henry Newman

    😉 Estás desgraçado,já tendo alguns feitos e alguma influência nos que te rodeiam, vais ter mesmo de escrever um livro porque é o que falta!

    Parabéns! Que contes muitos (anos de corrida), os outros deixa para lá.

  8. João Fortuna 14 de Agosto de 2009 18:40

    Amigo Vitor,

    Conquistaste o lugar que mereceste, acrescentando-te saúde e melhorando a auto-estima. Todos que te rodeamos temos a obrigação de devolver em apreço e amizade a fonte de informação que nos proporcionaste. Mais uma vez o sucesso vem quando juntamos a paixão com as nossas capacidades técnicas e profissionais e por isso auguro-te um futuro ainda mais risonho. Mas hoje quero aproveitar para dar os parabéns ao homem para além do atleta. Porque a simplicidade do teu trato e o altruísmo de algumas iniciativas cativarão ainda mais almas e corpos para o atletismo. Parabéns!

  9. miguel lopes 14 de Agosto de 2009 23:10

    Parabéns pela dedicação.

    A alusão aos blogs essa espécie de “auto-promoção” a que os mesmos nos remetem, preferindo sempre escrever artigos que interessem muito mais a todos os que correm do que propriamente de me dedicar a um certo narcisismo inusitado parecu-me desnecessáriamente ofensiva para quem tem artigos:

    A minha Maratona de Paris
    A Minha Primeira Maratona
    As minhas provas
    II Meeting Blogger

    Desejo-lhe a melhor das sortes, mas nunca devemos considerar-nos intlectualmente imaculados e devemos sempre evitar juizos criticos assentes em preconceitos pré-definidos.

    Abraço e parabéns

  10. Jose António 14 de Agosto de 2009 23:55

    Parabens Vitor,

    Palavras para que?, como dizia o outro. As evidencias falam por si.
    Um abraço Vitor….e claro, é para continuar

    Zé António

  11. Vitor Dias 15 de Agosto de 2009 9:30

    Caro Miguel Lopes

    Quero antes de mais agradecer o seu comentário, que me merece a maior das considerações. Não foi minha intenção menosprezar qualquer blog e a forma como os seus autores escrevem, sejam artigos pessoais ou não pessoais. Pretendi apenas dizer que tenho tentado enveredar “por uma linha editorial” diferente. Diariamente visito variados blogues de corrida e aprendo muito com eles, mesmo os que só escrevem sobre si próprios. Aliás escrevi acerca disso há uns dias atrás: http://www.correrporprazer.com/2009/07/a-corrida-e-um-desporto-democratico/ e não é por acaso que tenho a secção links e blogs onde na mesma constam uma lista por mim escolhida e que visito com alguma regularidade.

    Tem razão quando diz que também falo de mim (e não só só esses 4 artigos) mas dentro de um total de 320 posts colocados, parece-me um número quase residual.

    O objectivo inicial deste site, continua a ser motivar e motivar-me para a pratica da corrida. Enquanto correr e escrever me derem prazer, por aqui continuarei.

    Uma vez mais, agradeço o seu comentário com votos de boas corridas.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  12. Marco Silva 15 de Agosto de 2009 22:07

    Companheiro Vitor,

    Quero-te dar os meus parabens, pelos teus feitos, poucos ou muitos, não interessa, eles são TEUS.
    Felicitar-te e desejar que continues assim, com a tua simpatia, na companhia da tua tambem simpática familia, porque esta, para nós, para quem corre é muito importante, com o seu carinho e presença, e falo tambem por mim.

    Que venham muitos mais KMs na companhia dos teus amigos de pelotão, incluindo eu, porque aquelas séries são “durinhas”.

    Grande Abraço.

    P.S. – Ainda espero te ver nas Ultras.

  13. Meixedo 16 de Agosto de 2009 13:40

    Olá
    Parabénes e um abraço.
    Vais-me desculpar mas vai um abraço especial para esse tipo que está aí na outra ponta da foto 🙂
    Ainda está por fazer a minha primeira volta à cidade.
    Abraço,
    JP

  14. Paulo Rodrigues 16 de Agosto de 2009 22:29

    Olá Meixedo
    Aqui está o tipo da outra ponta da foto!!!!
    Será com todo o prazer que te apadrinharei na tua primeira volta á cidade!
    Agora vê lá se apareces para treinar,pois parece que andas a malandrar um bocado.

    Abraço
    Paulo Rodrigues

  15. Arlindo Matos 16 de Agosto de 2009 22:36

    Olá Vitor,

    Muitos parabéns, extensivos à família.
    Que sejam muitos anos e muitos kms.

    Um abraço

    Matos

  16. Eduardo Botelho 17 de Agosto de 2009 17:19

    Eu comecei a ir com regularidade ao Ginásio desde 23 de Julho de 2007. Tinha 121 Kg, 440 de colesterol e 127 de glicémia. Caminhava 500m os pés doíam-me. Comecei a ir 3/4/5 e mais tarde 7 vezes por semana. Um amigo de lá, incentivou-me a correr, primeiro corria na passadeira e no parque da paz, depois, em meados de 2008, iniciei a minha participação em corridas. A primeira foi a da ponte 25 de Abril, seguiu-se a Marginal à noite, depois a corrida da Santa Casa, de seguida a corrida do Avante e a Corrida do Tejo. Em 2009, para além das participei no ano anterior, em vez de correr a Santa Casa, fiz a prova dos 250 anos de Oeiras. Antes nem 1 km fazia, agora faço 10 km e tenho vontade de fazer mais, mas ainda não tive corragem e tempo. Actualmente tenho 104 kg, 190 de colesterol e 111 de glicémia. Já não sinto dores quando ando. Só por isso, os meus 2 anos de ginásio e de corridas valeram a pena.

  17. Vitor Dias 18 de Agosto de 2009 11:25

    Olá Eduardo

    Quanto mais pessoas conhecemos, com mais bons exemplos nos deparamos. Você é um verdadeiro campeão mesmo nunca tendo ganho nenhuma medalha. É com exemplos como o seu que cada vez mais gente sai para as ruas para correr. Continue assim e dê-nos a conhecer a sua evolução, que irá ser com toda a certeza ainda mais motivante para quem a seguir.

    Continuação de bons treinos e quem sabe até um dia destes numa qualquer prova num qualquer lugar do país.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  18. Filipe Almeida 8 de Setembro de 2009 1:13

    Olá a todos!
    Sou o Filipe e tenho 22 anos!
    É com muito gosto que li o teu testemunho Vitor e ao longo da leitura tive pequenos momentos em que ri para mim próprio, pricipalmente quando disses-te que já não fazias desporto há muito tempo, que pesavas 80 kg e a forma como foi o teu início das corridas, pois comigo foi exactamente igual, adicionando ainda a condicionante de que eu fumava..portanto era um rir, de identificação com a tua história e de empatia!

    A 1ª vez que corri,fiz cá uma figura..ia com uns calções compridos, uma t-shirt larga e levava uma mochila (enorme) para carregar bebidas energéticas, como se o mundo se fosse desabar á minha volta, por meio de me faltarem as forças, esgotar a energia, ou até mesmo morrer de sede..!

    Pois bem, dessa 1ª vez, a muito custo fiz 7.5 km, levei muito tempo, mas acabei e desde então nunca mais parei..hoje em dia não consigo passar sem correr pelo menos 3 a 4 horas por semana e é com muita alegria que vejo a minha performance a melhorar a cada dia, pois antes precisava de muito esforço e os meus bpm andavam sempre nos 180/185/190, agora andam nos 169/180 a andar a um ritmo de +/- 04:30 por km!

    Não há palavras para descrever quando chegamos ao fim da meta, ou do que estipulámos para aquele treino..só sei que é tão bom, é como um vício e para além de ter aumentado a auto-estima agora transponho esta capacidade de chegar ao fim de uma corrida, para conseguir passar muitos obstáculos do dia a dia.

    Nunca pensei vir a gostar tanto de uma coisa, que antes ignorava..superei-me e surpreendi-me, espero que o nosso exemplo atraia mais pessoas para correr e regularmente, pois no Inverno, só costumo ser eu a correr num circuito á frente de casa, mas no Verão nem se cabe lá..!

    Um grande abraço a todos os que gostam de correr e peço desculpa pelo texto longo, não quero roubar o protagonismo ao Vitor, longe de mim, ainda sou um petiz ao pé dele, pois 5000 KM é um grande marco, Parabéns!

    🙂

  19. Blota 23 de Setembro de 2009 20:01

    Ola.
    Ás vezes tenho algum tempinho para ler os artigos do teu site do qual te orgulhas tanto e pela qual tanto tempo perdes em frente a um simples ecrã (que de atrante nada tem!!). Na realidade não posso deixar de te dar os parabéns e de te elogiar pela pessoa que és, pela simplicidade dos teus gestos, pelas amizades que consegues fazer quando percorres kms de alcatrão e pela capacidade que tens de escrever palavras e frases que levam o mais sedentário a começar a aprender a “andar” novamente…
    A tua personalidade não se deixa vencer pelo cansaço, nem pela derrota! Sabes o que queres e alcanças sempre os teus objectivos com ou sem ajuda. És um vencedor nato e tens a garra de um leopardo (animal que gosto muito…depois de um belo gato…!).
    Continua. Vive a felicidade de cada momento.A familia está presente e apoia, mas sofre pela ausencia, pelo cansaço, pela falta de umas palavras… no momento certo. Mas mesmo assim estamos cá!

    Beijocas.

  20. Jaime Trabucho 16 de Janeiro de 2010 11:14

    Adoro Correr, sinto-me fantastico, perdi 12kg e baixei 5 ppm em repouso. tenho 44a e comecei há apenas 7 meses.
    Ao Vitor parabens e obrigado por partilhares a tua experiencia neste site, dá-te trabalho, mas incentiva-me e a muitos outros que nem ao trabalho de comentarem se dao.
    Aos dois amigos que supra referiram a sua melhoria de saude com a corida, pois é, é mesmo fantastico.
    è optimo correr, é optimo partilhar amizades e descontração, como o mundo seria melhor se mais praticassem regularmente desporto.
    boas corridas

  21. Pingback: 3 anos a correr, 7700 Kms de prazer |

  22. Rui Pinho 15 de Agosto de 2010 12:42

    Olá Vitor!
    Antes do mais, obrigado pelo seu, fantástico trabalho. É este blogue a minha cábula de treino, nutrição, equipamento, etc. Tenho em si a imagem de todos nós, atletas de pelotão. Aqueles que, não correndo para classificações premiadas monetariamente, correm para o merecido prémio, essa grande vitória, de acabar as provas. Nós que fazemos o grosso do pelotão, somos todos mais do que amigos, porque só nós sabemos o que sofremos.
    Falava há 15 dias com o António Leitão na sua loja em Espinho precisamente do desconhecimento que as pessoas têm do sacrifício que todos passamos para chegar a concretizar distâncias superiores a 10, 20 ou 40 km’s.
    Há 3 anos atrás pesava 134 kg. Nem sei os valores de colesterol nem de glicemia que tinha, sei que não ía no bom caminho. Depois de alguns anos, até aos 25, ter praticado muito futebol e futsal, ter sido um atletico segurança, parei. Foram 9 anos de inércia, vida sedentária e pior que tudo, fumava desde os 15. Comecei então uma dieta. Num ano, com caminhadas e muita fominha, perdi 8 kg. Decidi deixar de fumar. Estavamos em Julho de 2008, e pensei que, com a paragem do fumo, recuperaria os kg’s que tinha perdido. Comecei a correr. No fim das minhas caminhadas, diárias, fazia uma pequena distância a correr (500 m). Durante o resto do ano de 2008 e até Setembro de 2009 corria, quase diariamente, 5 km’s. Primeiro com paragem a meio de 12 mn’s, depois já seguidos. Em Setembro de 2009 fiz a Corrida do Homem e da Mulher em Leça, 7 km’s em 47 mnts. Desafiado por um amigo que anda nestas andanças há muitos anos, comecei a treinar para a 1/2 Sportzone que concluí com 2h19. Só me apeteceu chorar no fim. Com o dorsal cheio de sangue e o peito a arder (falha de principiante a falta de protecção dos mamilos, a fraqueza dos gordinhos) terminei a minha 1ª grande corrida.
    Desde então não mais parei os treinos. Li o seu blogue e decidi treinar para a Maratona do Porto deste ano. Agora faço treinos bi-diários para perder mais alguns kg’s. Ao Domingo corro 20 km’s, em 2 horas. A partir de Setembro devo começar os treinos específicos. A ver vamos se me aguento. Peso 98 kg. Não pesava menos de 100 kg’s há mais de 12 anos. E nunca me senti tão vivo. Obrigado por fazer parte do meu pelotão.
    Um abraço.

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.