“Já lá moras! T’ás fodido!”

Autor: Vitor Dias  /   Julho 07, 2009  /   Publicado em Vivências  /   25 Comentários

Luís Pires é um atleta muito conhecido dos atletas de pelotão. A sua figura simples, a simpatia que irradia e os ensinamentos que nos transmite, não deixa ninguém indiferente. Como se isso não bastasse, o Luís acabou de escrever uma crónica (quase livro) acerca da última prova que realizou.

Desculpem-me o vernáculo do título deste artigo mas não resisti. Trata-se de uma passagem da crónica do Luís aquando da confirmação da sua inscrição na ultra maratona de Bienne – Suiça (100 Km).

Depois de 36 maratonas e 6 ultras maratonas, em 7 anos de corrida, o Luís oferece-nos uma crónica fantástica onde a sua humildade vem ao de cima. É que em todo o seu percurso de corredor, esta foi a única prova em que desistiu, por volta dos 87 Kms. Deverias estar mesmo a morrer disse-lhe eu e todos os que o conhecem pensarão da mesma maneira.

Esta crónica, a que aconselho vivamente a ler, serve de “aperitivo” a uma entrevista que o Luís nos dará brevemente e a que os nossos leitores terão a oportunidade de participar.

A crónica da ultra de Bienne – Suiça, poderá ser lida clicando aqui.

Obrigado Luís por partilhares connosco esta tua aventura.

Run Summit

25 Comentários

  1. Jjoaquim Adelino 7 de Julho de 2009 3:05

    Li toda a história, é fascinante.
    Parabéns ao Luís por ter superado tamanha privação, ele foi um grande campeão. Uma palavra de incentivo, com este espírito o próximo desafio irá ser ultrapassado com sucesso.
    Um abraço.

  2. José Esteves 7 de Julho de 2009 12:56

    Em primeiro lugar queria dar-lhe os meus parabéns pela excelente maneira com que conseguiu descrever essa experiência o que muito me emocionou e também pela coragem com que enfrentou todo esse sofrimento. Parabéns e muito sucesso para os próximo desafios.

  3. Nuno Sá Lima 7 de Julho de 2009 14:37

    Grande é pouco para definir o Luís Pires. Conheço-o há algum tempo, já corremos e andámos juntos na maratona do Porto. Depois de ler este extraordinário relato, só me resta enviar-lhe um abraço do tamanho do Mundo e desejar-lhe as maiores felicidades para as batalhas que se avizinham. Força Campeão.

    Nuno Sá Lima

  4. Paulo Rodrigues 7 de Julho de 2009 15:00

    Estou fascinado com este relato!
    Luis,tu também tens sido uma grande referência para mim.
    Fazer 87kms nestas condições,principalmente psicológicas, é obra!
    Não hão-de faltar oportunidades para fazermos uns treinos e umas ultras juntos,está-nos no sangue.
    Grande abraço e parabéns

    Paulo Rodrigues

  5. Ant,onio Conde 7 de Julho de 2009 22:25

    Pois! O autor do título sou eu mesmo!
    Como é evidente, não foi minha intenção lançar o anátema sobre este meu grande amigo, antes pelo contrário a ideia era o exorcisar todos os naturais sentimentos de ansiedade (vulgo medo) que nós sempre experimentamos quando decidimos fazer uma ultra.Uma espécie de grito de catárse antes de um grande desafio.
    Infelizmente acabou por ser literal o seu sentido… ou quase.
    O grande Luís Pires, assumidamente o meu grande mentor nestas coisas das corridinhas, esteve como sempre ao seu melhor nível, ainda que não pareça à primeira vista! Explico:
    correr 87 km com o fervor que eu testemunhei e sob as piores condições fisicas e animicas, só mesmo este grande campeão!
    Mais uma grande lição para todos nós! No atletismo importante, na vida fundamental!
    Obrigado Luís por me deixares correr ao teu lado.

    António Conde

  6. Carlos Rocha 8 de Julho de 2009 0:32

    Amigo Luís,

    Já tinha lido há algum tempo o teu relato sobre a Ultra da Suíça. Não vou dizer que está muito bem escrita, que escreveste com a alma e o coração, etc., etc… porque já ouvistes essas palavras. Agradeço também a tuas palavras para comigo, Obrigado.

    Quero dizer aqui publicamente que o mais importante que deveremos tirar das tuas palavras é “Saber Desistir Quando Tiver Que Ser” para não provocar danos maiores. Penso que foi isso que te aconteceu, saber quando parar para recuperar rápido, poder apanhar o avião e mais importante que tudo o resto, chegar bem a casa. Do teu texto temos uma boa lição de experiência do nosso colega e nenhuma desmotivação, pelo contrário.

    Os alpinistas costumam dizer que uma expedição começa quando saem de casa e termina quando chegam bem a casa, chegar ao ponto mais alto é só mais um detalhe da expedição. O Pedro Amorim pode confirmar as minhas palavras na próxima expedição dele ao Kilimanjaro a seguir a Freita.

    Uma das coisas que tenho receio será um dia quando tiver que parar e não saber faze-lo, já aconteceu com outros em provas mais pequenas que vão parar ao hospital e passam lá o resto do dia.

    Sei que vais ou já tenhas recuperado bem desta mais uma das tuas aventuras e em Setembro farás uma boa Maratona em Berlim. Tenho também a certeza absoluta que com a tua companhia iram fazer um grande tempo na prova.

    Desejo-te a continuação de bons treinos e dentro de algum tempo iremo-nos encontrar nas provas.

    Um abraço,

    Carlos Rocha

  7. Manuel Romero Valente 8 de Julho de 2009 0:48

    Luís Sousa Pires

    Não vou dizer que és o meu herói – não porque o não mereças, bem pelo contrário – porque sabes que é isso que penso de ti e que te conheço há tempo suficiente para garantir a quem quer que seja que onde estiveres é e sempre será para dar o MÁXIMO.
    Não fiquei surpreendido pela dificuldade da prova e ainda muito menos pelo querer demonstrado até ao tal KM 87 … Todos nós sabemos que em circunstâncias normais fazias os 13 em falta e se calhar mais outros tantos.
    Fiquei admirado, isso sim, com a qualidade da crónica, a forma vivida como escreveste tudo aquilo porque passaste e a categoria com que transmitiste aquilo a que chamaste “falhanço”. Quantos se poderão gabar de fazer 87 Km em tais cisrcunstâncias?
    AMIGO, é nestas alturas que vêm à tona os GRANDES e aqueles que mesmo no momentos menos bons, sabem admitir com NOBREZA e com GRANDEZA que poderiam e deveriam ter feito melhor.
    Como sempre, foste GRANDE e é assim que quero continuar a ser teu AMIGO.

    Saudações desportivas
    MGC / PORTORUNNERS

    PS – Ficamos clientes das crónicas…
    Agora queremos mais !!!

  8. José António 8 de Julho de 2009 22:50

    Bom, li a crónica com todo o interesse, e claro com uma grande admiração e respeito por quem já anda á muito nestas coisas das corridas. A mim, como “principiante” fica-me a referencia de uma grande pessoa, e grande atleta.
    Apenas quero deixar-te um abraço Luis

    Zé António

  9. Geraldino Silva 9 de Julho de 2009 10:56

    Amigo Luís,

    Como já sabes pois já antes te tinha comunicado, o último parágrafo do teu relato atribuído à tua irmã Bé, expressa de facto o essencial do que eu penso relativamente ao teu extraordinário desempenho e obstáculos ultrapassados na Ultra Maratona de Bienne, e seguramente foi a tua prova mais conseguida de sempre de todas as que realizaste até hoje, pois fazer o que fizeste, e a capacidade de sofrimento que consigo perfeitamente imaginar que tiveste durante pràticamente 50/60 kms, só está ao alcance de alguns muito poucos, dotados de uma força mental superior !!!

    Foste simplesmente FANTÁSTICO !!!

    Como bem diz a tua irmâ, se tivesses “desistido” antes !! (ou segundo a minha óptica, se tivesses decidido terminar a prova ainda mais cedo do que o fizeste!!!), a minha opinião seria a mesma que ela, pois é das pessoas que seguramente melhor te conhece e sabe que és simplesmente um VENCEDOR p/ natureza, e só os vencedores com a tua fibra são capazes de descobrir o momento certo de terminar uma prova, e tu deste uma grande lição nesta !!!!

    Se tb não tivesses ido à prova, a minha opinião seria idêntica, pois julgo que mentalmente deixaste de a considerar como um objectivo mais importante que todos os outros problemas mais prioritários da vida pessoal que te envolveram nas semanas anteriores à prova (e ainda bem que isso te aconteceu, pois é bem sinal de que estás mesmo bem !!!), para além do erro fatal da falha da alimentação ao longo da mesma, pois como tu sabes, sem o necessário e imprescindível combustível durante a prova, só possível de ser cometido p/ tua menor motivação na prova, fruto do atrás exposto !!!

    A tua descrição é simplesmente FABULOSA, e vai seguramente ajudar muitos outros colegas a reverem cautelas nos procedimentos a adoptar na abordagem a qq desafios que se proponham realizar !!! Porque saber quando “desistir” ou “terminar a prova mais cedo”, é seguramente das coisas mais difíceis de fazer e só quem se conhece muito bem e mantém o controlo do corpo pela mente, é que o consegue fazer, e este conhecimento é fundamental num atleta !!!

    PARABÉNS Luís !!!

    Sabes bem que já fizeste pràticamente tudo o que havia a fazer, apesar de saber que continuarás sempre a querer surpreenderes-te, e ultrapassar novos limites, mas acredita que esta VITÓRIA de Bienne, é capaz de ter sido uma das tuas melhores provas, se é que não foi a melhor, tendo em conta as condições adversas em que o fizeste !!!

    E eu acredito SINCERAMENTE, que em Berlim vais fazer as 3h s/ qq problemas, e sem passares por um décimo do sacrifício que tiveste em BIENNE, por isso te digo, tão cedo não vais conseguir realizar uma prova tão FANTÁSTICA como esta última, e dado que tudo acabou por correr bem, deves sentir-te bem ORGULHOSO da mesma !

    Um abraço

    Geraldino

  10. Miguel Paiva 9 de Julho de 2009 11:16

    Agradeço ao Vitor Dias por partilhar connosco este extraordinário relato de uma prova fantástica. Conheço o Luis Pires apenas de o ver nas provas e por vezes a treinar nas ruas do Porto. A partir de hoje fiquei a conhecer o atleta e o homem. A ambos (ao atleta e ao homem) quero expressar a minha grande admiração.

    abraço
    MPaiva

  11. Luis Miranda 9 de Julho de 2009 22:35

    Agradeço ao Vitor e ao Luis,este relato extraordinario,de uma experiencia inesquicivel, de um atleta que tem ter muito orgulho no seu feito.

    E que é modesto ao dirze que não tem muito jeitos para as escritas.

    Um abraço

    Luis Miranda

  12. Miguel Saraiva 9 de Julho de 2009 23:42

    Sem dúvida, emocionante!
    Um sonho, um feito, uma determinação e uma motivação notáveis!
    É com orgulho que fico a “conhecer” pessoas extraordinárias como o Luis!
    Muitos Parabéns!

  13. "Irmã Bé" 10 de Julho de 2009 16:34

    Há, sem dúvida, quem ame o infinito.

    Há, sem dúvida, quem deseje o impossível.

    Mas há, sem dúvida, quem não queira nada.

    Três tipos de idealistas, e o Luis nenhum deles.

    Porque ele ama infinitamente o finito.

    Porque ele deseja impossivelmente o possível.

    Porque quer tudo, ou um pouco mais, se puder ser.

    Ou até se não puder ser ……

    PS – Como irmã (babada ..), agradeço todos os comentários. Justos, digo eu !!!!!

  14. João Pedro Craveiro 13 de Julho de 2009 12:42

    Para além de ter lido e relido todo o artigo, tomei a liberdade de o reencaminhar para varios amigos. Muitos deles, provavelmente nunca correram nada… Os comentarios que tenho recebido têm sido hilariantes : “Aquele gajo (Luis Pires) é completamente doido!!! ; “nunca imaginei que alguem pudesse correr aquelas distancias” ; “so os treinos ja me cansaram” ; ” é um heroi”… enfim tenho guardado comigo todos os comentarios. Para ti, Luis, um grande abraço. Tens sido um grande exemplo para todos nós , e este é mais um GRANDE exemplo. Só quem te conhece e sabe a garra e o empenho que das a todos as tuas provas, imagina tambem o que tera sido esta prova!! Da minha parte continuaras a ser sempre uma grande referencia!! Se o anuncio da NIKE diz que não ha impossiveis, deve ter sido feito a pensar em algumas especies muito raras como TU!!

    Tal como me disseste muitas vezes no meio de grandes esforços tais como provas, series, rampas etc. VAMOS!!! VAMOS!!!! e tu sim já foste muito mais longe que qualquer um de nos!!! GRANDE ABRAÇO!!!

  15. Tonita Sousa Pires 16 de Julho de 2009 19:27

    Luís,
    Quem diria, que não eras muito virado para as escritas!!
    Quem sai aos seus!!! O que não é o meu caso.
    Bem, mas os comentários não são para a escrita.
    Vieram-me as lágrimas aos olhos em algumas descrições… Eu já sabia que eras especial a muitos níveis, como IRMÃO, tio, amigo, etc., mas como atleta surpreendeste-me.
    Fantástico, como é possível, eu fiquei cansada só de ler.
    Parabéns pela prova que fizeste de 87km que como tu dizes e bem “são 2 maratonas + uns trocos”.

  16. "Irmã Bé" 16 de Julho de 2009 20:45

    Luis
    Outro feito teu (talvez mais difícil do que a “ultra” ….) : conseguiste que a Tónita “entrásse” num blog !!!! E , com lágrimas e tudo ….. Com esta é que eu não contava (????). PARABÉNS aos dois !!!!!
    Quanto a mim, que adoro escrever, fico-me por aqui – não vá o teu amigo Vitor “fechar” este diálogo por súbito “entupimento” do dito. Eh ! Eh ! Eh !
    Esta é “a espantosa realidade das coisas” .

  17. João Mota Freitas 17 de Julho de 2009 13:27

    Amigo Luís Sousa Pires,

    Absolutamente Fantástico o teu relato da Ultra Maratona de Bienne. Parabéns!
    Admiro-te pela tua sinceridade e frontalidade.
    Fiquei muito sensibilizado pelas palavras que me dedicaste.

    Fui educado a ver sempre o lado positivo das diversas situações que passamos na vida. Na minha opinião, conseguiste fazer isto mesmo nesta tua experiência “negativa”.

    Vai ser um enorme prazer correr ao teu lado na Maratona de Berlim.

    Grande Abraço e Até Sempre.

  18. Vitor Dias 17 de Julho de 2009 15:13

    Viva João

    “Vai ser um enorme prazer correr ao teu lado na Maratona de Berlim.”

    Já não posso dizer o mesmo. Não que não fosse um imenso prazer, mas porque não vos consigo acompanhar 🙂 Antes da partida e no final, lá nos encontraremos. Bons treinos.

    Cumprimentos

    Vitor Dias

  19. João Fortuna 20 de Julho de 2009 21:34

    Viva Luís:

    Nem sempre consigo gerir o meu tempo para não perder relatos de vida que são imprescindíveis serem lidos. O teu marcou-me e só consigo classifica-lo,apesar de tardiamente, como VERDADEIRAMENTE INSPIRADOR! Como tenciono acompanhar-te dentro de 2 ou 3 anos numa destas fantásticas aventuras, editorial , humana e atleticamente mereces uma medalha! Bem hajas e o Dean que se cuide…

    Um grande abraço

    João Fortuna

  20. João Miguel Vieira 22 de Julho de 2009 11:58

    Viva Luís,

    Mais uma vez parabéns por este teu feito. Não podia deixar de te escrever umas palavras depois de ler este teu “livro” que, como tive oportunidade de te dizer, é simplesmente fantástico e motivador para qualquer desportista.
    Estou certo que aprendi 2 lições que para mim penso serem fundamentais:
    – A boa preparação de uma prova como condição essencial para a podermos concluir
    – E que o saber desistir é bem mais importante do que chegar ao fim em condições que comprometam o futuro do desportista
    Não posso também deixar de dizer que fiquei motivado com esta leitura, e se continuar a treinar e com o entusiasmo que me tem assolado, para no futuro (alguns anos) iniciar uma nova etapa e vir a fazer uma ultra. O tempo o dirá.

    Um grande abraço, e vamo-nos encontrando em alguns treinos até Berlim.

    João Miguel

  21. Fernando Leite 23 de Julho de 2009 8:07

    Grande Luís,
    Mais vale tarde que nunca, então aqui vai o meu pensamento… li o teu relato em determinados momentos com alguma emoção, quase que como “vivendo a experiência” que sem dúvida teve momentos muito difíceis, e só um atleta com a tua determinação conseguiria levar tão longe tamanho esforço.
    Mesmo não tendo sido bem sucedido, são também estes momentos que nos ajudam a crescer dando-nos muita força interior, e Luís deixa-me que te diga que alinho um pouco pela opinião da tua irmã, embora todos nos queiramos superar e nos empenhemos nesse objectivo com toda a alma e determinação, acima de tudo está a n/ saúde e em circunstância alguma se deverá arriscar a que um esforço desmedido possa prejudicar a mesma. E a saúde como tu bem acabas por reconhecer é um equilíbrio entre a saúde física e psicológica, e esta última para grandes desafios é fundamental.
    Em jeito de conclusão acho que tiraste a devida ilação desta experiência i.e. “serviu-te de lição, mas nunca de desmotivação” e aqui não só te admiro como me revejo nessa tua posição.
    Sei que muito em breve te vou ver de novo em mais um “grande desafio” pois um vencedor como tu não se deixa abater, e quando para é só para rever a sua estratégia.
    Grande abraço e mais uma vez os meus PARABÉNS pela prova e pelo magnífico relato.
    FL

  22. Carlos Castro 26 de Julho de 2009 19:43

    Parabéns SENHOR Luís!
    E pensar que fazer 1h20 à meia maratona é um grande feito! E com menos doze anos no BI!
    Depois de relatos destes dá que pensar… São pessoas assim que nos mostram quem são os verdadeiros SENHORES da força de vontade, da tenacidade e espírito de sacrifício… enfim, da saudável ambição de superar barreiras e limites, que na maioria das vezes são criadas pela nossa própria mente!
    Vou pensar muitas vezes no seu testemunho!
    Muito sucesso no futuro, é o que lhe desejo… e não tenho a menor dúvida que terá!

  23. Rui Pinto 8 de Agosto de 2009 11:52

    Olá Luis,
    Depois de ter lido todos os anteriores comentários e que concordo,só me resta acrescentar que para mim és uma grande referência, quer como pessoa, quer como atleta.É um prazer poder disfrutar diariamente da tua companhia humildade, sinceridade e boa disposição.
    Para terminar e porque o mereces, dizer te;
    OBRIGADO POR TUDO GRANDE CAMPEÃO!

  24. Marta Campo 11 de Setembro de 2009 13:31

    Olá Luís,

    Ainda não fez um ano que o conheci, e recordo-me perfeitamente de me ter entregue o dorsal para a minha primeira prova, Family Race, 2008. Seguiram-se mais alguns encontros fortuitos, em treinos descontraídos pela foz, que nos levaram a trocar simpáticas palavras, curiosidades e incentivos à prática desta técnica tão relaxante, que é a corrida. Apesar de também eu correr por gosto, principalmente acompanhada das amigas, o meu objectivo (para já) é conseguir correr a meia maratona (o meu record são 15km!)… Foi então que practicamente “me caiu o queixo” quando, ao fazer uma pesquisa na net, encontrei o relato do Luís sobre tamanhos feitos!(já o fiz circular por todos os meus colegas de trabalho) Já o sabia maratonista, e sabia que até treinos de 50km fazia… mas 100km??? Nunca me tinha dito tal coisa… O Luís é um verdadeiro Senhor da Corrida, Doutorado em Corrida 🙂 melhor dizendo! Queria apenas felicitá-lo não só pelos km que leva nas pernas, mas pela força de vontade, simpatia, boa disposição e confiança que sempre me transmitiu…
    Espero poder integrar o PortoRunners em breve, e quem sabe, subir a fasquia dos 21 para 42km?

    Parabéns Luís!

  25. valter verde antao 27 de Novembro de 2009 1:58

    Luís voçê é um verdadeiro campeão!!!!! apesar de nao o conhecer pessoalmente, já faz parte do lote das pessoas que eu admiro. Força……. abraço

    valter

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2018 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.