Crioterapia

Autor: Ana Maria de Freitas  /   Março 17, 2009  /   Publicado em Lesões e Doenças  /   27 Comentários

Crioterapia

A palavra Crioterapia deriva do grego (Krios) que significa Frio e Terapia (tratamento). Ou seja, refere-se ao tratamento através do frio.

A crioterapia é a aplicação terapêutica de uma substância ao corpo, promovendo a diminuição da temperatura dos tecidos e consequentemente a redução do calor corporal.

Esta técnica engloba uma série de técnicas específicas que utiliza o frio nas formas: líquida, sólida e gasosa com o objectivo terapêutico de baixar ou mesmo retirar o calor do corpo induzindo a um estado de hipotermia, para favorecer uma redução da taxa metabólica local, promovendo uma diminuição das necessidades de oxigénio pela célula.

A sua utilização remonta ao século 2500 AC, quando utilizada pelo povo egípcio, como método analgésico e anti-inflamatório. Estas propriedades tornaram a sua utilização numa prática comum durante o século XIX, pelo médico do exército de Napoleão Bonaparte. Era na realidade o método mais utilizado em situações de amputações. Em meados dos anos 70 começa a ser utilizada como prática comum nas lesões desportivas e a sua utilização estende-se até aos nossos dias.

Que efeitos fisiológicos proporciona a Crioterapia?

• Anestésico;
• Diminuição da dor;
• Diminuição do espasmo muscular;
• Estimula o relaxamento;
• Permite a mobilização precoce;
• Melhora a amplitude de movimento;
• Reduz o edema e hematoma;
• Diminui a circulação e os processos inflamatórios;
• Preserva a integridade das células do tecido lesado (evita morte celular).

Em que situações podemos utilizar a Crioterapia?

• Traumatismos mecânicos;
• Dores cervicodorsolombares;
• Processos infecciosos;
• Edemas pós-traumáticos.
• Espasmos musculares;
• Artroses;
• Lesões periarticulares: tendinites, bursites;
• Alguns pós operatórios (ex: artroplastia total do joelho).

O uso do gelo como terapia, é largamente utilizado na reabilitação desportiva e/ou em qualquer traumatismo. É um recurso prático, de fácil acesso, de baixo custo e de simples utilização, sendo que, quanto mais precocemente for utilizada, melhores serão os resultados, na medida em que a vasoconstrição provocada pela acção do frio, vai certamente ajudar a reduzir o edema e a dor.

A crioterapia é uma das medidas mais utilizadas na fase aguda de um traumatismo, quer a nível articular, muscular e/ou ligamentar. A escolha deste método deve ter em consideração a área a ser tratada, na medida em que o tempo de aplicação varia consoante o local afectado, ou seja, um local que apresente menor quantidade de tecido adiposo requer um menor tempo de exposição ao frio, comparativamente a uma área com grande quantidade de tecido adiposo.

Quais os métodos de Tratamento?

A escolha do método de crioterapia pode ser de várias formas. Esta vai depender da acessibilidade da região anatómica, do tamanho da área a ser tratada, do tipo de traumatismo e do tipo de resposta que se pretende obter. Assim, é possível utilizar:
• Bolsas Frias – este tipo de bolsas podem ser compradas e são reutilizáveis, apresentando-se em diferentes tamanhos e formas. Muitas das vezes esta bolsa é substituída por um vulgar saco plástico, onde no seu interior se colocaram vários cubos de gelo (inteiros ou picado). Deve ser aplicado por períodos de 15 a 20 minutos e preferencialmente várias vezes ao dia. Este método promove um arrefecimento superficial e a sua eficácia é de apenas 5 a 10 minutos;
• Compressas Frias – consiste em utilizar uma toalha molhada em água fria ou cubos de gelo (inteiros ou picado) dentro de uma toalha/pano e depois dobrá-la em forma de uma compressa;
• Massagem com gelo – o gelo pode ser aplicado directamente sobre a forma de massagem. É muito eficaz em zonas de pequenas dimensões como a região tíbio-társica (tornozelo), sobre um músculo, um tendão e as articulações do membro superior;
• Imersão em água gelada – Podemos dizer que será uma das técnicas mais eficazes, no entanto, ainda a menos utilizada no desporto nos nossos dias. Consiste em introduzir a área afectada num recipiente (a mais usado é a banheira) com água e cubos de gelo. È muito útil (mas muito dolorosa) para evitar as micro-rupturas. Este método provoca uma rápida diminuição da temperatura e da dor. Útil em extremidades como cotovelo, braço, mão e tornozelo, podendo também ser utilizada em grandes superfícies corporais como a região lombar ou membro inferior. Na aplicação desta técnica devemos ter em consideração que a perda da temperatura da água ocorre na medida em que o gelo derrete, logo para a mantermos, devemos repor o gelo constantemente. Ainda será de considerar que a água, nos 5 minutos iniciais após a imersão, tende a aquecer na região que circunda a região que está a ser tratada, logo devemos movimentar a água de uma forma constante para que não interfira com o tratamento. Nunca será demais relembrar, por uma questão de higiene, que essa água não deve ser reaproveitada para novo tratamento. O tempo de imersão é regulado atendendo ao quanto se pretende reduzir a temperatura local.

Esta técnica é muito usada nos atletas de triatlo e corredores de longa distância. De referir a atleta Vanessa Fernandes que a utiliza para prevenir lesões
• Aerossóis – consiste na aplicação de um spray pressurizado no local afectado. Este método é muito utilizado em alguns desportos (ex: futebol). O tempo de aplicação é breve e a temperatura baixa rapidamente.

A crioterapia por si só não conduz à cura de nenhuma patologia, no entanto, podemos considerá-la como um instrumento valioso que auxilia no tratamento de várias afecções musculares e articulares. Será como um recurso de intervenção na sintomatologia dolorosa, diminuindo o espasmo muscular, as reacções inflamatórias e o edema.

Artigos relacionados

  • Pubalgia: difícil de diagnosticar e de tratarPubalgia: difícil de diagnosticar e de tratar Existem muitas dores que afligem atletas e desportistas em geral, sendo que algumas têm características que chegam a ser confundidas com outras patologias. Nestes casos, o diagnóstico correcto é imprescindível para que […]
  • Pubalgia – Exercícios de prevenção e de recuperaçãoPubalgia – Exercícios de prevenção e de recuperação Já aqui falamos desta lesão no artigo Pubalgia: difícil de diagnosticar e de tratar. No entanto pareceu-nos oportuno este vídeo de 6 minutos onde podemos ver vários exercícios de prevenção e recuperação para esta […]
  • Tendinite! Sabem o que é?Tendinite! Sabem o que é? A tendinite faz parte de um grupo de lesões associada às denominadas tendinopatias, que representam um número significativo entre os problemas musculoesqueléticos desportivos. Estas lesões estão na maioria das vezes […]
  • Asma, Alergia e Desporto: um “triatlo” duro de vencerAsma, Alergia e Desporto: um “triatlo” duro de vencer A asma é uma doença do foro respiratório. Consiste numa inflamação crónica a nível dos brônquios, geralmente associada a uma obstrução generalizada das vias aéreas, que em indivíduos mais susceptíveis pode provocar […]
  • A Gripe A nas corridasA Gripe A nas corridas Seremos nós corredores mais vulneráveis a esta doença do que os sedentários? Parece-me inevitável que no início do Outono, princípio do inverno muitos serão os afectados por esta doença, que embora possa não ser tão […]
Ecotrail da Madeira

27 Comentários

  1. Erick ângelo 22 de Março de 2009 15:12

    Muito bom!
    na minha monografia irei falar sobre crioterapia só que to com dificuldade em achar artigos e periodicos sobre este tema!
    Gostei muito deste artigo salvei em meus arquivos!
    Gostaria que se voces pudessem mandar pra mim sites filiados a voces que tivessem artigos e periodicos sobre crioterapia, pois eu pretendo fazer uma revisao bibliografica!
    obrigado! abraço!

  2. Ana Maria de Freitas 22 de Março de 2009 21:48

    Obrigado pelo comentário. Para se manter actualizado subscreva a nossa newsletter.

  3. eduardo aguiar 25 de Março de 2009 14:54

    gostei muitos dessas informações pois estou fazendo minha monografia sobre esse tema e essas informações foran de grade ajuda.
    fesurv universidade de rio verde.

  4. Rui Raimundo 14 de Abril de 2009 18:27

    ola. sou estudante de fisioterapia e estou a realizar o meu projecto sobre a influencia da criterapia na propriocepçao na articulaçao tibiotarsica mas estou com dificuldades em encontrar material. se por acaso alguem tiver alguma coisa, se nao se importar envie me para [email protected].
    a informaçao que vem em cima e muito pertinente…
    saudaçoes academicas…

  5. João Correia 17 de Maio de 2009 0:14

    Boas! Precio de saber que regras devem ser respeitadas na aplicação das técnicas de crioterapia nas situações de imersão para fins de recuperação/prevençpão de lesões. Obrigado.

    JC

  6. silei 21 de Maio de 2009 20:37

    oi minha tcc é sobre crioterapia,na parte estetica se tiver algum periodico ou livro relacionado q possa me mandar agradeço.

  7. Rosilene Alves 23 de Junho de 2009 1:17

    Gostaria de saber as descrições com justificativas fisiologicas o efeito do spray de gelo e quando utilizá-lo?
    Obrigada!!!

  8. Maria Aparecida 22 de Março de 2010 15:20

    Estava precisando achar um artigo desse para meu trabalho de faculdade,gostei muito deste artigo porque pude tirar duvidas a respeito de tal e é uma linguagem bem facil de se entender. Obrigada!

  9. thatianne rocha 5 de Junho de 2011 22:47

    olá sou estudante de fisioteria da Faculdade de Tecnologia e Ciências..
    este artigo me ajudou muito na materia de eletrotermofototerapia . continuem escrevendo artigos esclarecedores como este ..
    obrigada

  10. duu 15 de Setembro de 2011 17:20

    massa o site gostei muito loco

  11. jéssica 3 de Outubro de 2011 18:38

    olá!
    minha dermatologista utilizou a crioterapia para retirar uma verruga, ficou uma bolha de sangue gigantesca, e depois de 7 dias essa bolha estourou. Agora só está a pele da bolha. Porém, a minha verruga ainda está presa no meu dedo, só que está toda preta. O que vai acontecer agora, pq a dermatoligista não me orientou muito bem. Será que vou precisar aplicar de novo?? Agradeço muito se me responder!

  12. Ana Maria de Freitas 7 de Outubro de 2011 21:37

    Ola. Lamento informa-la mas algo está errado nesta situação. Na minha opinião a crioterapia (no verdadeiro sentido da palavra) não deve ser aplicada nestas situações. No fundo a verruga não foi retirada mas apenas queimada pela ação do frio e logicamente ficou lá, com a agravante de ter associado um hematoma ( a dita bolha de sangue). Peça para ser bem avaliada.

  13. natanael fragoso 4 de Novembro de 2011 17:35

    Espero que eu consiga tratar da minha queloide ,mas não encontro em minha região sou do interior de sp

  14. NELIO DE PAULA 25 de Novembro de 2011 17:23

    Gostaria de ter informações de médicos ou clínicas em Vitória ES. que fazem o tratamento da clioterapia (nitrogênio spray).
    Agradeço
    Nelio de Paula

  15. jose 29 de Dezembro de 2011 22:51

    tenho espondiloartrite cervical o gelo tira a inflamacao pois indique alguma coisa grato

  16. Rossana Sarubbi 25 de Janeiro de 2012 14:32

    Tenho Poroceratose Superficial Disseminada um pouco nos braços e nas pernas. Será que consigo melhorar o aspecto com a crioterapia?
    Aguardo resposta. Obrigada.

  17. Luciane Cardoso 19 de Julho de 2013 16:51

    Ola! Preciso esclarecer uma dúvida…
    Estou fazendo o tratamento de Crioterapia em casa utilizando um gel que comprei numa loja de cosmética. A finalidade seria reduzir volume, mas estou com duvidas se estou fazendo o procedimento correto.Estou aplicando o gel 3x por semana. Tenho que fazer exercícios logo a seguir a aplicação? A Crioterapia causa algum dano a pele? Em relação as varizes, podem aumentar ou é aconselhável?

  18. Filipa 31 de Outubro de 2013 11:33

    “Diminuição do espasmo muscular
    Estimula o relaxamento”

    Expliquem-me isto, por favor… Na minha óptica, o frio faz exactamente o reverso.. Aumenta o espasmo muscular… Expliquem-me por favor..

  19. Filipe Jorge 21 de Julho de 2015 22:44

    E qual a vossa opinião no “tratamento” de varizes. Com o calor e a corrida as varizes internas que tenho na parte inferior das pernas faz-me ter imensas dores quando estou a correr. Qual seria na vossa opinião o tratamento que deveria fazer para minimizar esta situação. Obrigado

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2017 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.