Correr por quem não o pode fazer

Autor: Vitor Dias  /   Março 12, 2009  /   Publicado em Iniciativas
Tags: maratona, paralisia cerebral, solidariedade

Apesar de já ter colocado este artigo há uns dias atrás, resolvi “republica-lo” de forma a agradecer a todos os quantos colaboraram nesta campanha e a relembrar que quem o pretenda fazer, ainda poderá colaborar.

Na semana pós maratona, farei aqui um ponto da situação, assim como o anúncio da entrega do valor correspondente à instituição beneficiada.

Há um ano e meio que dedico parte do meu tempo livre à corrida. É algo que nunca pensei fazer, tal como quase toda a gente que nunca o fez. Há muitos anos que não fazia exercício físico e não sabia o que estava a perder. Não vos vou aqui explicar os benefícios inerentes à actividade física, pois, para além de eles serem evidentes e amplamente divulgados, não tenho formação adequada nessa matéria.

Ao fim de um ano de corrida, fiz a minha primeira maratona (Porto – Outubro de 2008). Fazer uma maratona é algo difícil de compreender para quem corre regularmente e impensável para quem nunca correu, como era o meu caso. No entanto “os nossos limites estão entre as nossas orelhas”, nada é impossível.

Em Outubro eu vivi esse momento mágico que é correr a mítica distância de 42.195 metros e no próximo dia 5 de Abril, irei tentar repetir a façanha, percorrendo os 42 quilómetros da Maratona de Paris.

No entanto, não quero que a dita magia seja apenas só minha e pretendo partilhá-la com aqueles que não podem correr e com aqueles que queiram ajudar estes últimos.

Assim, por cada quilómetro que eu corra na maratona de Paris, eu doarei um euro à Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral (Delegação do Porto) e convido-vos a doarem para esta campanha os quilómetros (euros) que entenderem. Como não pretendo desistir, à minha parte serão 42 euros.

Para tornar esta campanha isenta e credível, contarei com a ajuda do Sr. José Neves que fará a recolha dos “quilómetros oferecidos” e que me acompanhará em todos os contactos feitos com a Associação beneficiada.

Sou dos que pensam que quanto mais oferecemos, mais recebemos e sei que alguns de vocês pensarão como eu.

Em Paris, cada quilómetro que eu percorra, pensarei em cada um dos que ajudaram esta causa e em cada um dos que beneficiarão dela.

Leia também ...  Vespas atacam maratonistas na Áustria

A campanha decorrerá até ao próximo dia 31 de Março.

Contem comigo para qualquer esclarecimento, eu conto com a vossa boa vontade.

Obrigado

De que forma pode contribuír?

A forma de contribuír será efectuando transferência bancária directamente para a conta da APPC, para o NIB: 0035 0091 0001231153025. Após a transferência, deverá enviar email para [email protected], indicando o valor da transferência, nome, morada e nº. de identificação fiscal. A APPC enviará para a morada indicada o recibo respeitante à dádiva, que servirá para efeitos de IRS.

Quem é a Associação do Porto de Paralisia Cerebral?

A Associação do Porto de Paralisia Cerebral – APPC é uma instituição particular de solidariedade social, sem fins lucrativos que presta serviços nas áreas da reabilitação, formação, integração das pessoas com paralisia cerebral e situações neurológicas afins, com o objectivo de proporcionar autonomia, qualidade de vida e inclusão social, numa lógica de apoio ao longo da vida dos indivíduos.

O desporto como instrumento de inclusão – Uma das modalidades desportivas mais procurada pelos cidadãos com paralisia cerebral é o boccia. Os atletas portugueses têm obtido excelentes resultados a nível internacional, seja em competições mundiais, europeias ou paralímpicas. Temos no Porto dois campeões do mundo, campeões europeus e algumas medalhas de ouro. Estes atletas com deficiência também têm resultados brilhantes, embora não tenham a divulgação pública que merecem. A APPC- Porto já organizou os Campeonatos do Mundo e da Europa e diversos campeonatos nacionais de boccia.
Para além desta actividade desportiva, os utentes podem ainda praticar natação e futebol.

Desde sempre a APPC aposta na intervenção das pessoas com deficiência como actores directos e decisivos dos caminhos de futuro. O futuro não é de alcance fácil e é cada vez mais importante a intervenção directa das pessoas com deficiência. A missão da APPC resume-se na afirmação permanente das capacidades das pessoas com deficiência, numa sociedade ainda com dificuldade em aprender a viver com a diferença.

Mais informações acerca da APPC, poderão ser obtidas no seu site em www.appc.pt

Sobre Vitor Dias

Autor e administrador deste site. Corredor desde 2007 tendo completado 54 maratonas em 15 países. Cronista em Jornal Público e autor da rubrica Correr Por Prazer em Porto Canal. Site Oficial: www.vitordias.pt
Polipromotion

8 Comentários

    X