Corrida discrimina mulheres

Autor: Vitor Dias  /   Dezembro 02, 2015  /   Publicado em Mulher Corredora, Notícias, Slider  /   6 Comentários

mulher_discriminadaCorrem, treinam e pagam os mesmos valores nas inscrições. No entanto, no que respeita aos escalões e atribuição de prémios, o género feminino é discriminado em relação ao masculino na maioria das provas.

As mulheres sentem esta injustiça e o Correr Por Prazer é da mesma opinião. Na maioria das provas há muito menos escalões femininos do que masculinos, seja em trail ou na estrada, já não acontecendo o mesmo na modalidade de orientação.

Sabemos que há menos mulheres do que homens a correr (por enquanto) mas isso não nos parece justificação. Uma mulher não tem culpa que tenha menos adversárias e se não há rigorosamente nenhuma diferença no que respeita ao preço da inscrição ou outros pormenores, porque tem que haver neste? Será uma forma de as organizações pouparem em prémios e troféus? Não será esta uma justificação redutora e deveriam as mulheres ter rigorosamente as mesmas regalias nas provas, já que têm também as mesmas obrigações?

Quais as provas em que há igualdade e quais as que fecham os olhos a esta situação?

Aguardamos as vossas opiniões.

Artigos relacionados

  • Inquérito a mulheres corredorasInquérito a mulheres corredoras No sentido de elucidarmos os nossos leitores acerca dos hábitos das nossas corredoras, resolvemos lançar um pequeno inquérito totalmente anónimo, pedindo a vossa colaboração no seu preenchimento. Não são precisos mais […]
  • Alice Lopes – a irrequieta mãe que todos motivaAlice Lopes – a irrequieta mãe que todos motiva Tal como os homens, as mulheres também não se medem aos palmos. Basta olhar para a mulher que nos últimos tempos tem presença quase garantida nas três primeiras posições seja em provas de estrada ou de trail. Com 39 […]
  • Nem todos corremos por prazerNem todos corremos por prazer No título deste artigo, não me refiro aos atletas de elíte que fazem das corridas o seu ganha pão. Esta é uma história bem diferente. Maria irá participar amanhã na Maratona de Lisboa para mostrar como as mulheres […]
  • Azores Trail Run – Quase todos querem voltarAzores Trail Run – Quase todos querem voltar Resultado de inquérito aos atletas mostra que a maior parte aproveitou para ficar alguns dias na ilha e fazer turismo. Realizada em maio último na ilha do Faial, a segunda edição do Azores Trail Run (ATR) contou a […]
  • Oferta de 20 inscrições para a Alegro Meia Maratona de SetúbalOferta de 20 inscrições para a Alegro Meia Maratona de Setúbal O Correr Por Prazer, numa parceria estabelecida com organização da Alegro Meia Maratona de Setúbal, irá sortear 20 inscrições para esta prova , que se irá realizar no próximo dia 20 de Setembro - […]
Place Clubs

6 Comentários

  1. Maria José Cadete Morais 2 de Dezembro de 2015 14:16

    Sou corredora meia maratonista, tenho 56 anos, seria interessante uma premiação por faixa etária, apenas com um troféu que geralmente é simples e não onera muito, pagamos os mesmos valores, seria um incentivo a mais p os atletas.

  2. Diogo Lucas 2 de Dezembro de 2015 18:54

    Sinceramente, já chega! As mulheres estão sempre a querer benefícios e não igualdade de géneros! Tenho 20 anos, faço trail, e desde que participo em provas, não me lembro de uma única prova que tivesse menos escalões femininos do que masculinos! Das duas uma, ou só existem prémios para geral (e ai as mulheres podem sair penalizadas porque os homens em geral conseguem melhores performances que as senhoras) ou existem para vários escalões nos dois géneros!
    E se for para queixar, porque não falam da ausência do escalão sub23 (nos dois sexos) numa grande maioria das provas de estrada em vez de falaram dos inúmeros escalões que existem em ambos os géneros?
    E se falam das injustiças, nesse sentido, também podem falar nas provas só para mulheres? Isso faz algum sentido? Correr não tem que ser diferenciado! Cada um pode ganhar a sua corrida e este tipo de coisas não faz sentido.
    Podem ver isto como um discurso machista mas é o contrário, por dar imenso valor às senhoras, é que quero igualdade de sexos e não a desigualdade que os movimentos feministas querem (mas disfarçam). As mulheres conseguem fazer o mesmo que os homens (se lutarem por isso), não precisam de estar sempre a vitimizar-se com tudo!

  3. Orlanda 3 de Dezembro de 2015 0:23

    A diferença nos escalões acontece muito nas corridas de estrada, enquanto nos trails é menos frequente.
    Não é uma questão de prémios, é uma questão de classificação por escalões. Será justo uma senhora de 50 anos ser classificada juntamente com outras de 40 anos, quando, na mesma prova os homens tem escalões M40, M45, M50, M55, M60 e muitas vezes nas senhoras só existe F40 e F45?
    Não me parece correto. Corro há quase três anos, sou veterana, e gosto de saber a minha classificação junto das atletas da minha idade, não com atletas mais novas, que naturalmente correrão mais rápido. Não me interessam os prémios, mas gosto de saber “onde me situo” com atletas da minha idade.

  4. Sónia Tubal 3 de Dezembro de 2015 0:28

    Somos descriminadas sim, muitas vezes nem sequer a tshirt de mulher temos direito e ficamos com um saco de batatas que nunca vamos utilizar. Neste campo ainda vivemos com alguma falta de visão, uma tshirt de prova gira e que se goste correr vários treinos e vários olhos, desperta interesse na prova e pode fazer muita diferença. Somos menos sim, mas pagamos o mesmo valor, corremos os mesmos km e os mesmos percursos… Se numa prova existir apenas um elemento de um determinado escalão masculino, este nao é abolido, então porquê fazerem isso aos escalões femininos? Enfim…

  5. Miriam 3 de Dezembro de 2015 0:44

    Os escalões deviam existir para as mulheres tal como existem para homens, correr fora de escalão é desmotivante.

  6. Orlando Duarte 3 de Dezembro de 2015 16:34

    Este é um tema já muito debatido noutras ocasiões mas, infelizmente, sempre actual.

    Diz-se que os escalões e os prémios nos escalões femininos devem ser proporcionais à respectiva participação. Em princípio, estou de Acordo. Pois, em provas de cariz muito local e, por conseguinte, com pouca participação, já assisti muita vez a entregas de prémios onde os troféus ficaram na mesa por não haver classificadas para os receber… ora, nem oito nem oitenta!

    Contudo, não me parece que seja o caso das duas provas referidas pela Flor Madureira! Como tal, considero altamente negativa tal decisão, com a agravante de serem provas com nomes de mulheres grandes atletas e que certamente, no início das suas carreiras, sentiram na pele esse e outros tipos de descriminação negativa e que se continuassem a participar nestas provas voltariam a sentir…

    Por fim, deixo um claro exemplo altamente negativo para as mulheres e, sobretudo, para as veteranas com 40 ou mais anos:

    Maratona do Porto 2015

    4402 classificados

    558 mulheres classificadas / 12.7%

    134 – F20
    115 – F35
    309 – F40 / 55.3% das mulheres!

    Sem mais considerações, pergunto: Acham justo?!

    Orlando Duarte

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2017 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.