O cérebro dos desportistas responde 82% mais rápido em situações de forte pressão

Autor: Vitor Dias  /   Julho 20, 2015  /   Publicado em Notícias, Slider  /   Sem Comentários

estudo dunlopO estudo realizado pela Dunlop, em colaboração com o University College de Londres, avalia a importância do rendimento mental no momento de enfrentar o stresse.

O estudo consistiu em testes físicos e psicológicos realizados por cinco desportistas de elite e outras cinco pessoas sem percurso desportivo.

A Dunlop, fabricante de pneus, realizou um estudo para avaliar a importância do rendimento mental face a situações de muito stresse em conjunto com o professor Vincent Walsh do University College de Londres (UCL). Entre os resultados obtidos, destaca-se o facto da parte instintiva do cérebro das pessoas que praticam desportos de risco responder 82% mais rápido quando se encontram submetidas a uma forte pressão.

O estudo revelou que os profissionais de desportos extremos contam com uma vantagem excecional: no teste visual cronometrado realizado no qual os participantes deviam identificar com rapidez uma série de formas e imagens após ter passado por uma grande pressão, estes desportistas reagiram 82% mais rápido que a população geral. Esta percentagem pode significar a diferença entre o êxito e o fracasso numa situação de alto risco.

 Nos dois primeiros testes que os participantes realizaram, centrados na capacidade de resposta sob pressão física, foi registada uma vantagem significativa entre as pessoas que praticam desportos de risco face aos que não praticavam desporto profissional. Enquanto em condições de esgotamento os segundos quebraram na tomada de decisões caindo as suas pontuações iniciais 60%, os primeiros melhoraram 10% na resposta individual mesmo estando fatigados.

Os dois testes posteriores procuravam conhecer como os participantes suportavam a pressão psicológica e as distrações no momento de avaliar diferentes riscos. Nestes testes as diferentes zonas do córtex devem funcionar em sintonia para evitar que o rendimento baixe. Nestes testes os desportistas foram 25% mais rápidos e 33% mais precisos que os não desportistas.

O grupo de desportistas profissionais era constituído por: John McGuinness, piloto de motos e campeão do TT Ilha de Man em várias ocasiões, incluindo a prova deste ano, onde se destacou por tomar a decisão mais rápida sob pressão psicológica; Leo Houlding, alpinista livre de fama mundial, que se destacou por ser o melhor a avaliar as possibilidades sob pressão psicológica; Sam Bird, piloto de provas de carros, que foi o que tomou as decisões mais rápidas sob pressão mental; Alexander Polli, paraquedista de base-jumping, que se destacou por ter a maior precisão na tomada de decisões rápidas; e a vencedora da medalha de ouro de bobsleigh, Amy Williams, destacou-se por tomar a melhor decisão sob pressão psicológica.

O piloto de competição John McGuinness respondeu com maior rapidez sob pressão física do que sem pressão alguma e não cometeu nenhum erro no teste. O stress era-lhe indiferente e, inclusivamente, beneficiáva-o.

Vincent Walsh, professor do UCL:

“O que faz com que certas pessoas se destaquem não é a sua qualidade nos treinos, mas o facto de serem boas sob pressão. Nós queríamos colocar à prova estes  desportistas para ver se era possível demonstrar o que os diferencia dos restantes.

Queríamos pôr à prova estas pessoas para ver se era possível demonstrar o que as diferencia das outras. Nas áreas de atividade de alguns participantes, a capacidade de tomar decisões numa fração de segundo pode marcar a diferença.

Sem dúvida estas capacidades podem ser desenvolvidas. Trata-se de enfrentar situações e desafios de forma regular até se produzir uma melhoria. Podemos não chegar a ser como John ou Leo, mas estas zonas do cérebro podem criar conexões na idade adulta e desta forma é possível melhorar.”

Héctor Ares, responsável de comunicação e RP na Goodyear Dunlop Iberia:

“Estamos satisfeitos com este fascinante trabalho para entender como a pressão afeta a nossa capacidade de resposta nesse preciso instante em que se decide tudo. Para nós, o rendimento não tem só que ver com carros e competições desportivas, é uma atitude. Os estudo dunlopprofissionais de desportos de risco, que têm rendimento sob pressão e estão sempre a procurar novos desafios, partilham a mentalidade da Dunlop de ‘Forever Forward’, indo sempre mais além e procurando melhorias contínuas.”

Para saber mais sobre os resultados do estudo e testes realizados clique aqui.

Sobre a Dunlop

A Dunlop é um dos principais fabricantes mundiais de pneus de altas e muito altas prestações, com um impressionante historial de êxitos em desportos motorizados. A Dunlop é o parceiro técnico da BMW Motorsport e AMG Customer Motorsport.

A extensa experiência de Dunlop nas pistas tem dado origem a tecnologias inovadoras aplicadas a pneus desenhados para a condução diária. Em 2013 foi o 125º aniversário da Dunlop e a introdução do nosso fundados de pneus.

Depois dos seus primeiros recordes em alta velocidade, a Dunlop celebrou o seu primeiro triunfo nas 24H da Le Mans em 1924 e atualmente é o fabricante de pneus com mais vitórias nesta corrida, somando um total de 34. Os campeões de LMP2 em Le Mans nos Campeonatos do Mundo de Resistência da FIA e também na corrida de 24H de Nürburgring, usaram Dunlop. 2014 viu como as equipas de LMP2 de Dunlop se encontravam no Pódio de Le Mans e no título das European Le Mans Series (ELMS), quando uma série em que as equipas Dunlop ganharam 11 das 13 corridas disputadas nas últimas três temporadas.

Os pneus Dunlop também são usados nas Top Touring Car Races de todo o mundo, incluindo o campeonato mundialmente famoso Australian V8 Supercar e o Campeonato Britânico de Touring Car. Os últimos pneus de estrada da Dunlop são específicos para a montagem em veículos galardoados da Jaguar, Audi, Mercedes, Volkswagen, Renault, BMW, Maserat AMG, Bentley, Seat, Mini, Toyota.

Artigos relacionados

  • Qual a melhor hora para treinar?Qual a melhor hora para treinar? Depende dos seus objectivos. Vai ao ginásio ‘quando pode’? Saiba que, dependendo do seu objetivo, há uma altura ideal para praticar exercício físico. Várias investigações se têm dedicado a determinar o momento exato […]
  • Guimarães conquista corredoresGuimarães conquista corredores Esta semana fomos a Guimarães duas vezes e verificamos que a cidade está rendida à corrida. Na passada segunda-feira estivemos no Guimarães Corre Corre, que se tornou num fenómeno quase inexplicável no que ao número […]
  • Azores Trail Run – Quase todos querem voltarAzores Trail Run – Quase todos querem voltar Resultado de inquérito aos atletas mostra que a maior parte aproveitou para ficar alguns dias na ilha e fazer turismo. Realizada em maio último na ilha do Faial, a segunda edição do Azores Trail Run (ATR) contou a […]
  • Porto City RacePorto City Race A Porto City Race abriu numa etapa noturna em ambiente histórico, com a centro do evento e chegada a realizarem-se no Forte de S.João Baptista e os percursos a percorrerem as ruelas da Foz velha no mesmo mapa da etapa […]
  • Portugueses venceram o Banco BIC – 24 h PortugalPortugueses venceram o Banco BIC – 24 h Portugal Decorreu no passado fim-de-semana a segunda edição da corrida de resistência Banco BIC –  24 h Portugal, que juntou, no parque da cidade de Vale de Cambra, três centenas de atletas provenientes de oito países. O […]
100k Portugal

Publique um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Copyright © 2008-2015 Correr Por Prazer ®. Todos os direitos reservados.