5ª Meia Maratona do Douro Vinhateiro

Autor: Vitor Dias  |   Categoria: Notícias

Muito calor e muito pouca água parece ter sido a nota dominante nesta prova realizada hoje. A maioria dos atletas queixam-se deste facto e da fraca organização do evento. Se participou, deixe aqui o seu comentário.

Artigos relacionados

PUBLICIDADE
24 HORAS A CORRER

Tags: , , ,

157 Respostas a “5ª Meia Maratona do Douro Vinhateiro”

  1. Rui Santos escreveu:

    Carissimos,
    gostaria de saber de alguem da zona de são joão da madeira e que vai ao douro vinhateiro, gostaria de saber da possibilidade de se combinar ir em conjunto e assim, alem da compamhia poder dividir as despesas de transporte.
    abraços

  2. Vitor Dias escreveu:

    Segundo informações que me acabaram de chegar, a Meia maratona do Douro Vinhateiro não correu nada bem. Muito calor (mais de 30º) e sem água para os atletas. Algo inimaginável que irá concerteza dar muito que falar nos próximos dias.

  3. rui vieira escreveu:

    Foi de facto inacreditável.
    Nunca pensei ver nada assim. Durante 21 Km não recebi uma água da organização. Só aos 17 Km um popular socorreu os atletas com uma mangueira ligada a um poço.
    Pessoas a desfalecer, ambulâncias por todo lado, mas só na meta quando tomaram consciência de que o caso era muito grave.
    Lamentável a todos os níveis.
    Se não morreu ninguém, o que desconheço, foi por verdadeiro milagre.

  4. manuel teixeira escreveu:

    Amigos
    Foi o meu baptismo.O desafio do meu amigo de Lousada a quem chamam de bombeiro, qual “misão impossivel”, provocou o meu entusiasmo.Gostei porque terminei bem.Não gostei porque a expectativa que levava para desfrutar da corrida, do convivio, da natureza/paisagem, foi completamente secundária perante tamanha “crueldade” organizativa.Felizmente não foi necessário accionar o seguro de responsabilidade civil, a ser, seria muito triste.Será notícia por muitos tempos, pelos piores motivos infelizmente.Estes senhores da organização deveriam vir à comunicação social (tal como promoveram intensivamente o evento) e dar a cara.Nâo é o facto da homologaçao da carrida (trajecto) que tornará a corrida mais célebre, mas sim a capacidade criativa e inovadora que cativará atletas, turistas e todos quantos gostam do “prazer de correr”.

  5. Isabel Henriques escreveu:

    É de facto uma vergonha o que aconteceu numa prova tao divulgada…se foi tão divilgada por ser a mais bel, agora será vista pot mtos como sinonimo de “seca”….Sofri o mesmo q Rui Viera, fantastica a boa vontade do Sr. e surpreendente o movimento das pessoas para nos disponibilizar água, mas ja era tarde para recuperar:( Nunca pensei que tal acontecesse, nem numa corrida “dessas” que surgem por ai, tal foi visto!!!! Eu espero bem que seja noticia por estes dias, pois ainda agora pergunto” O que fizeram aos 12 euros q pagamos?” (fora as caminhas) Estas organizaçoes deixam mt a desejar…

  6. Vitor Dias escreveu:

    Caros:
    Este ano não estive presente nesta prova mas pelo que me têm dito, foi inacreditável o que lá se passou. Solicito que deixem aqui os vossos comentários e lamento que até ao momento no site oficial da prova não haja qualquer comunicado a tentar explicar o que realmente se passou realmente.

  7. Pedro Ferreira escreveu:

    Não fui à prova, mas já me chegaram outros relatos do sucedido. Até pensei que era exagero, mas já percebi que não. Vi as imagens na TV e as pessoas da caminhada levavam água, mas não vi os atletas da meia a receberem abastecimento. Existem várias formas de protesto que me ocorrem: não participar mais nesta prova; escrever uma carta à organização; divulgar nos blogues as condições desumanas a que os atletas estiveram sujeitos; criar um grupo no facebook a denunciar o sucedido. O que não pode suceder é sermos coniventes com esta desorganização!

  8. Vitor Dias escreveu:

    Olá Pedro
    Esse grupo acabou de ser criado:

    http://www.facebook.com/?sk=messages&tid=1284889254628#!/group.php?gid=119350664769503&ref=nf

  9. Nelson Perneta escreveu:

    Viva amigos.Infelizmente o nosso atletismo é bem maltratado,assim com estas condições nem merece mais comentários.Boa semana a todos

  10. Fernando Pereira escreveu:

    OLÁ A TODOS.

    FOI UMA VERGONHA O QUE ACONTECEU HOJE NA 5ª MEIA MARATONA DO DOURO 2010.
    FORA COM ESTAS ORGANIZAÇOES, NUNCA MAIS.

    FERNANDO PERIRA

  11. Isabel Henriques escreveu:

    As imagens da Tv nao mostram nada do que eu vi e do que eu e umas centenas sentiram!!!! Já que na pagina do Fbook apagaram o que escrevi, escrevo aqui…

    Ao 5ºKm so havia Gatorade; ao 8ª Km, elementos da organizaçao passavam as paletes de agua para o lado das pessoas que ainda desciam (ja se sabia q n havia agua), nós não; até ao 17Km nao houve agua (BEM HAJA AO SR:)); tudo reclamou a quem passava… e nada; vi pesssoas a entrar em ambulancias; pessoas da caminhada a voltar atras p ajudar familiares e a avisar q n havia agua ate ao fim da corrida; vi dezenas de pessoas a andar, parecia uma procissao); bebi agua de garrafas apanhads do chao, uma maravilha, a populaçao foi fantastica; vi pessoas a comprar agua para quem passava; vi pessoas a desfalcer; vi um GNR sem saber p onde ir; vi e ouvi um carro de bombeiros com portas abertas mas sem elementos suficientes para acudir; o indiv o micro já nao sabia que dizer perante tal cenario; pessoas da organizaçao a correr de lado para outro; pessoas a nao entregar o chip; pessoas a reclamar e no meu entender a serem ignoradas…. enfim tb vi pessoas a pedir mais garrfas de vinho, na parte final, ao lado de outras como eu desesperadas por água… inimaginavel!!!!

    tudo isto com sofrimento, pois fui sempre ate onde pude… é suposto estas provas serem agradaveis para quem gosta da modalidade, a ideia é a acabar com uma boa sensação…

    Fiquei mt desiludida porque sem duvida é das corridas mais bonitas que ja fiz (ano passado)

  12. Fernando Pereira escreveu:

    MEUS CAROS
    DERAM ENTRADA NO HOSPITAL AMIGOS MEUS POR FALTA DE ÁGUA, NEM TODOS OS CAMINHEIROS TIVERAM DIREITO A UMA SIMPLES GARRAFA DE ÁGUA.
    VERGONHA DAS VERGONHAS DESTAS ORGANIZAÇÕES.

  13. Ivo Rosa escreveu:

    Estive por lá…e pelos vistos tive sorte ainda consegui abastecer ao 4 km…

    Fui a meia maratona douro vinhateiro…fui engando pela publicidade ia para a mais “bela corrida do mundo” e no final percebi que estava perante a “pior corrida do mundo” se nao era muito perto disso estaria…

    Vindo na cauda do pelotão quando cheguei perto do km 19 percebi que para alem de nao ter tido abastecimentos, acontecimentos mais tragicos estariam a acontecer junto a meta de onde abulancias estavam constantemente a entrar e a sair transportando atletas desidratados para o centro de saude…enfim…
    Duarante a viagem para casa ainda ouvi na TSF, o senhor Paulo Costa da organização que disse algo do genero: “tal como em 2009 só tivemos 6 casos precisaram de cuidados medicos, e este ano tivemos um record de participantes” (na volta ainda vai dizer que a media de incidentes baixou???) alguem explica a este senhor que ele nao devia ter qualquer tipo de incidentes? e que o valor da inscrição nao serve só para pagar os premios dos primeiros? enfim…também estou curioso de ler mais opiniões

  14. Joaquim Nogueira escreveu:

    5ª Lamentável Organização

    Há dois anos abandonaram a água na estrada para ser roubada por alguém. Este ano foi o que se viu, e sentiu quem pela última vez fez a prova. Nos primeiros 10 kms houve dois abastecimentos, chegando-se ao ponto de no primeiro os atletas terem que parar para tirar a água das embalagens, tive que vir para trás para dar uma água a um atleta de cadeira de rodas. Será que não há quem instrua minimamente estes jovens voluntários?
    Para que servem os padrinhos da prova?

  15. Luis Mota escreveu:

    Meia maratona do Douro Vinhateiro, a prova que gostaria de ter participado este fim-de-semana.
    Em boa hora corri os 17 KM de Porto de Mós – Leiria e aqui os abastecimentos para cerca de 200 atletas eram em grande número e com bastantes escuteiros a oferecer água em fila, que chegavam a festejar quando era a garrafa deles a retirada. No caminho os bombeiros tinham instalado chuveiros para os atletas se refrescarem.
    Participei pela primeira vez e foi das provas mais belas, correndo mesmo dentro de toda a gruta de Alvados. Para mim esta merece ser sim “Uma das mais belas provas de Portugal”.
    Para o ano façam como eu e venham a Porto de Mós!

  16. Isabel Henriques escreveu:

    Meus amigos caminhantes foram COMPRAR água pq não havia para eles e, segundo estes, nao foram os ultimos a chegar e nao viram ninguem a levar a agua toda, como se justifica por ai….

  17. José Carlos Dores escreveu:

    Já foi quase tudo dito…agora vão a este site e critiquem directamente a organização…
    http://www.facebook.com/pages/5000-427-Vila-Real/Global-Sport/382816712027?v=app_6261817190&ref=ts

  18. Joaquim Vaz escreveu:

    A organização não meteu água. É verdade. Não meteram água. A organização da bonita prova do Douro, mais uma vez, esqueceu-se de “meter água” entre os 10 e os 19 kms. Já é pelo menos a segunda vez que isto acontece. Há dois anos sucedeu a mesma coisa – no ano passado não sei, porque não pude participar – por isso deveriam ter aprendido com esse desacerto. Valeu, na altura, que a temperatura estava sensivelmente mais baixa e os valorosos atletas até aguentaram e terminaram sem muitas sequelas. Hoje foi mau. Houve quem desmaiasse por desidratação . É bom que para o próximo ano a organização não se esqueça de “meter água”.
    É, sem dúvida, uma prova para repetir pela sua beleza, mas nunca pela organização. Esta tem ainda algumas arestas para limar. Algumas bem vivas.
    Tenho pena de ter de escrever isto até porque sou da região e custa-me vê-la ficar com mau nome. No entanto estou certo que a organização do próximo evento irá rectificar o que de menos bom teve esta 5ª Meia Maratona. É que os verdadeiros homens do Douro -sim aqueles que edifiram estes socalcos – nunca se dão por vencidos e pagam sempre… com juros. Por isso acredito que a 6ª Meia Maratona do Douro será um exemplo de organização.

  19. José António escreveu:

    De facto algo que nunca pensei assistir, mas para culminar a lamentavel situação deparamos que após a meta nao havia uma gota de água, nem garrafas nos sacos. Tive de me socorrer numa casa de banho publica, já inundada com tantas solicitações. A todos os que acabaram os meus parabens.

  20. abilio da silva monteiro escreveu:

    corro á 4 anos tenho 22 meias maratonas.esta foi de longe a pior.a organização não queria uma festa queria um suicidio coletivo.UM VERGONHA.

  21. João Morais escreveu:

    Caríssimos

    Não há muito mais a dizer sobre a miserabilidade e amadorismo da organização. Todos os relatos são reais. Mais do que pôr em causa tempos de amadores que correm por prazer, por vezes temi que se pusessem em causa vidas humanas. Um verdadeiro horror. Nunca me custou tanto terminar uma prova, nem mesmo a maratona de Madrid com 27º. A repensar.

  22. Henrique escreveu:

    O Joaquim Vaz disse tudo, bem como os anteriores comentários. Naturalmente as gentes do Douro não devem ser confundidos com a (des)organização. Eles sabem receber muito bem como já com certeza quase todos nós tivemos oportunidade de verificar.
    Organização 0-beleza da prova 20.

  23. Joaquim Nogueira escreveu:

    PS. À Lamentável Organização

    Prova disso mesmo, foi constatada por mim quando às 17h30 passei de carro pela barragem e pela Régua, e o trânsito continuava cortado, causando transtorno a quem por ali passava. Com prestação destas não se vai a lado nenhum.

  24. António Augusto Silva escreveu:

    Depois de tanto investimento em publicidade é pena não terem cuidado do essencial. Para além da falta de água foram quilómetros e quilómetros sem vermos ninguém da organização/forças de segurança/bombeiros/etc. se alguém tivesse um acidente não havia quem acudisse para além dos atletas.
    Vi, numa prova, uma coisa que nunca imaginava alguma vez ver.. uma senhora atleta, numa zona de abastecimento abandonada próxima da ponte á procura de garrafas abandonadas no chão que tivessem um pouco de água para beber. Na meta …um comerciante a proteger as garrafas de 1,5 litros e um pacote de Ice Tea que levava na mão, que os atletas que chegavam sequiosos tentavam pegar, argumentando o sujeito com maus modos que era para vender.
    Para o ano espero voltar, confio que os responsáveis vão tirar as devidas ilações e vão surpreender positivamente os que voltarem.

  25. António Augusto Silva escreveu:

    … e já agora…os resultados … é que se torna um hábito serem disponibilizados na pag da organização …durante a tarde do dia da prova…

  26. Fernando Pereira escreveu:

    O senhor Paulo Costa da organização da 5ª meia maratona devia de ir trabalhar para o campo com trinta graus sem água.
    E a comunicação social está comprada por esse sr porque tiveram a oportunidade de informar e mostrar toda a verdade,a todos os Portugueses só não fizeram porque não quiseram mostrar tanta vergonha desta organização.
    A Fernanda Ribeiro de certeza que não lhe faltou a água a correr ou a caminhar, porque assim não respondia aos caminheiros, que foram eles os causadores de não haver água.

  27. Miguel Magalhaes escreveu:

    Estes senhores da organização não são incompetentes. São CRIMINOSOS! Com mais de 30 graus pura e simplesmente não darem água é crime, não é incompetência. Se não morreram pessoas foi por sorte. Da minha parte, fiz grande parte da corrida a passo e nunca me custou tanto correr uma prova (prova???) como hoje. Estive parado quase 15 minutos junto à mangueira de que aqui falam e depois nem fui à meta: quando entrei na Régua, cheguei à primeira rotunda e virei em direcção ao meu carro para me vir embora e nunca mais lá voltar. Repito: CRIMINOSOS!

  28. José Capela escreveu:

    Tragédia mas margens do Douro!
    Adoro correr e promover a corrida como actividade física, por isso escrever estas palavras estristece-me!
    Estive lá, corri a meia e foi asbsolutamente lamentável o que se passou. Na alinea q) do regulamento dizia que havia água e bebidas energéticas a cada 5 kms. Foi mentira, só houve aos 5kms e apenas para os mais rápidos.Por si só correr com temperaturas acima dos 22 graus já é complicado. Sem água durante 15kms e com a elevada temperatura que se fez sentir é torna a corrida num exercício potencialmente perigoso! Só por milagre é que não aconteceu uma tragédia!
    A organização que criou o slogan “A mais bela corrida co mundo!”, que tinha a corrida certificada pela AIMS, que badalou a prova na televisão com direito a directo, falhou no mais elementar, nos abastecimentos, na água.
    Já corri 57 meias maratonas, 11 maratonas, não contando com as imensas corridas de distâncias mais curtas, lamento ter que escrever mas na verdade esta foi a ‘pior corrida do mundo’!

  29. José Leite escreveu:

    Pois é hoje vimos (quem como eu participou) que ainda há muito coisa a melhorar na meia maratona do douro vinhateiro, o que vai acontecer certamente.
    Hoje a organização da prova esteve bem até à partida, a seguir … vou ver erro atras de erro, com prejuizo, grande, para os animadores da festa, os atletas.
    Esfumaram-se as expectativas que tinha em relação à prova, foi a primeira vez que a fiz, não deixando no entanto de a considerar uma prova belíssima.
    Da minha parte gostaria ainda de dizer que devemos repetir a próxima edição e assim dar a conhecer ao mundo esta maravilha de Portugal, o Douro Vinhateiro e suas gentes e ainda “obrigar”
    a organização seja ela qual for a redimir-se.

    Nota: A organização pela voz do Sr. Paulo Costa (?) já admitiu as falhas, e comprometeu-se a devolver o dinheiro da inscrição aos lesados e a promover inscrições grátis no próximo ano, a ver vamos

    Parabéns a todos os atletas e espectadores

  30. lucilia escreveu:

    uma vergonha o que se passou na min maratona caminhada, sem organizaçáu, antipatios nas resostas que eran colocadas.
    podia ter sido um dia enlutaso pela irresponsabilidade de uma organização, €4 gastos , que no momentu de crise tanta falta faz.Que ideia fazem os atletas estrangeiros que pela primeira vez participam, m

  31. Os Laranjinhas escreveu:

    O que aconteceu hoje na Régua é algo inimaginável, parece que ninguém desta organização sabe fazer contas! A quantidade de água é directamente proporcional ao numero de abastecimentos (minimo 5) pelo numero de participantes, e se assim fosse não faltaria água!
    Como desde o Km 4 não houve mais água, aí pelo Km12 vi atle…tas a beber água que pigava dos rochedos, atletas que sairam da estrada e abeiraram-se como eu de um fontanário, atletas a usar água que ainda estava dentro de garrafas já usadas e deitadas ao chão, enfim coisas que nem ao diabo lembrava!
    Assim sendo eu e os meus outros 3 colegas de equipa vamos pedir o reembolso e não nos voltam a encontrar na Régua para este evento. A nossa saúde está primeiro, pois só á hora deste post consigo estar praticamente recuperado da desidratação.

  32. Jorge Teixeira escreveu:

    Viva a todos

    Como se costuma dizer “No melhor pano cai a nódoa”, e de facto foi o que se passou hoje, uma enorme nódoa numa pano vendido como sendo de primeira qualidade que ficou estragado por uma enorme nódoa, esperando-se que a lavandaria o recupere já que o corpo a que se destina “O Douro Vinhateiro” merece um pano limpo e de primeiríssima qualidade.
    Também estive lá, corri como todos esta Meia Maratona, tinha curiosidade em percorrer aquele belíssimo percurso, que se tornou num verdadeiro tormento, já que para além da água nos faltou assistência médica, eu pelo menos não vi, e seria tão fácil, é apenas uma questão de contas, isto é, saber-se fazer contas, e elas ou não foram feitas, ou pior, houve nigligência grave que poderia ter acabado mal, oxalá a organização tenha aprendido e no próximo ano nos presentei-e com uma correcção ao que de mau fez este ano, essa é a minha esperança, já que, a Meia Maratona Douro Vinhateiro e toda aquela região merecem outro tratamento, aguardemos.
    Um outro reparo que faço, e que originou ver pessoas a chorar, entre as quais, a minha mulher, já que o locutor de serviço, num acto de verdadeiro desnorte, pedia através da instalação sonora, água e mais água, ambulâncias e mais ambulâncias, desculpas e mais desculpas, devolvemos o dinheiro, como que se de uma peça de teatro se tratasse, que quando o espectáculo não se realiza vamos à bilheteira buscar o nosso dinheiro, e vi pessoas a chorar porque o movimento de ambulâncias era tal que essas pessoas estavam em estado de choque, pois podia-se tratar de um dos seus que estaria a ser assistido.
    Como organizador de provas, e tendo responsabilidade nesta matéria, custa-me ver tratarem-se assim os atletas, atletas que pagaram inscrições, ouvi eu, de 12 e 14 euros, é caro, demasiado caro, para o serviço que nos prestaram.
    Como organizador de provas, sei que falho e falharei sempre, mas tudo tenho feito para tratar todos mas todos bem, nunca vos faltando com nada, e lembro-me que um ano na Maratona do Porto, o Powerade não foi suficiente no percurso, mas no final ele estava lá para todos, mas não tiveram falta de água nem de alimentos sólidos, e quase me crucificaram vivo, agora como hoje me aconteceu, e que tal como é relatado, hacer numa meia maratona um só abastecimento, sim porque só houve um só abastecimento, esta é a verdade, eu nunca tinha passado, de tal maneira fiquei revoltado que depois de cortar a meta, nem o chip devolvi, devolverei esta semana com uma carta à organização, e por consequência nem o dito saco prenda fui levantar. Lamentável, só espero que como atrás disse, que o promotor do evento, se reduza à sua condição de promotor, e que nessa condição já demonstrou ter enormes capacidades, veja-se o nome que a Meia Maratona Douro Vinhateiro conseguiu junto de nós, mas ser-se promotor é uma coisa, outra vem diferente, é ser-se organizador, e como diz o ditado, por vezes é preciso ter-se cada macaco no seu galho.
    Termino, pedindo que não interpretem mal as minhas palavras, mas sinceramente espero que pelo menos nas nossas provas nunca aconteçam, porque se me acontecessem, garanto-vos que seria crucificado.
    E assim, eu também estive lá, se lá vou voltar? Talvez……….

  33. Isabel Henriques escreveu:

    Eu vou a todas, ou quase todas, as provas do Porto e a RunPorto está lá e nunca tal aconteceu… Já vi pormenores melhores noutras organizaçoes e, em grandes provas, tb já vi cenas a evitar.! “Cada macaco no seu galho” e n me parece que este Sr. Paulo que tanto gabou a corrida na tv (Sabado) esteja no galho certo!

    Eu nem consigo considerar o que aconteceu como erro, foi negligência, sei lá…

    Parabéns Jorge

  34. Vitor Dias escreveu:

    TSF: Seis pessoas hospitalizadas devido a falta de água em prova de atletismo

    http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Desporto/Interior.aspx?content_id=1576673

  35. Luis Azevedo escreveu:

    Lamentavelmente é que tudo o que foi dito anteriormente não é exagero nenhum, e dessa forma subscrevo tudo pois também vivi este drama.

    Apenas queria acrescentar o seguinte:
    1 – já pedi a devolução dos 14 Euros. Não sei se foi anunciado a devolução, mas espero que a organização tenha a humildade e dignidade de me devolver os 14 Euros.

    2 – após terminar a prova e no caminho para o carro vi 4 (QUATRO) ambulâncias a passar. À velocidade que iam e na direcção que iam (no contrário da meta), não me parece que fossem vazias. Por isso 6 pessoas hospitalizadas parece-me pouco.

  36. César Canito escreveu:

    Esta noticia de que só seis foram hospitalizados foi baseada nos numeros que a organização forneceu e não do que se passou na realidade do local, a organização apostou tudo no markting da prova e não quis saber do resto para nada, sem ambulancias suficientes pelo percurso, policia que não sabia o que fazer, até no primeiro posto de abastecimento eram só duas crianças a dar água, enfim do pior, neste ano de 2010 já era a minha 5º meia maratona e fui obrigado a desistir por temer o pior para a minha saude, espero que para a proxima tenha o mesmo descernimento de saber quando devo desistir e quando devo continuar porque completamente desidratado não se tem consciencia do perigo que se corre.
    PS:ainda fiquei a ver se ia a sorteio o carro que tinham prometido mas a organização deve ter fugido com ele porque na hora da verdade fugiram quase todos.

  37. David sousa escreveu:

    Olá Vitor, estive pela primeira vez na prova e houve sem dúvida falhas em muitas situações.
    A mais grave foi sem dúvida a falta de água não souberam prever que num dia como o de ontem o consumo líquidos iria aumentar exponencialmente, não fosse a ajuda de alguns populares com mangueiras e a organização poderia estar hoje com um problema grave para resolver. Por volta dos 7.5 km foi a ultima vez que vi uma garrafa de agua aos 10 nada, 12.5 idem, 15 nicles ai grande parte dos atletas tomou a sensata decisão de ir a passo, eu ainda pensei que ainda iriam tentar remediar a situação e fui em busca de água para tentar ajudar alguns companheiros em maiores dificuldades mas do precioso líquido nem sinal.
    Outra das falhas foi que quando o último comboio chegou com centenas de atletas e caminhantes já tinham partido os atletas da meia maratona o que levou grande parte dos que lá foram pela primeira vez a virarem na direcção errada sem que estivesse um elemento da organização a indicar o caminho correcto.
    Termino denunciando outra falha fomos informados por elementos da organização que haveriam autocarros para transportar as pessoas para o justo e merecido banho uma vez que o local disponibilizado se encontrava a cerca de três km da chegada, mas cedo chegamos à conclusão que ou íamos a pé ou nosso transporte ou tomava-mos um banho em plena recta da chegada em frente do público aproveitando o carro de bombeiros que entretanto chegara para refrescar os que iam terminando, optamos pela terceira situação.
    Termino dizendo que gostei do traçado, espero voltar uma vez que prestáveis pessoas da região não têm culpa da incompetência do organizador.

  38. Jorge Almeida escreveu:

    Breve comentário dos atletas do CAO em

    http://clubedeatletismodeovar.blogspot.com/2010/05/vergonha.html

    Uma coisa posso garantir… eu não volto lá!

    Boas provas e bebam muita água!!!

  39. Helder Pereira escreveu:

    Também participei na prova atletismo Porto Vinhateiro, tenho a comunicar que a falta de agua foi uma VERGONHA, também vi varias PESSOAS A DESMAIAR por FALTA de agua, já participei em muitas provas e nunca aconteceu tal ! Tem de ser apuradas e assumidas responsabilidades pelo sucedido ! Pergunto: Será que houve àgua Serra da Estrela desviada para outro lugar ??? Organizações deste tipo devem ser banidas do atletismo.

  40. CARLOS COELHO escreveu:

    Caros amigos,

    Penso que já fora dito tudo sobre os incidentes desta prova.
    Também, no meu caso, foi a prova em que mais sofri, contudo, gostaria que todos estes comentários sejam encarados pela organização e por todos os atletas, não como uma crucificação desta bela prova, mas como uma grande pressão para as próximas edições sejam um grande sucesso. Aquela paisagem e aquelas gentes assim o merecem.

    Votos de uma rápida recuperação, física e psicológica a todos os quantos participaram nesta prova.

  41. Ivo Rosa escreveu:

    Acho que este assunto não deve ficar por aqui, façam o possível para divulgar estes incidentes que só quem passou por lá sentiu a gravidade da situação.
    Acho que esta prova tem que ser penalizada por quem certifica esta corrida.
    E se possível para as próximas edições consigam colher os frutos de edições como estas. E não terem ninguém para correr…

  42. Vitor Dias escreveu:

    Caros:
    Passaram precisamente 24 horas desde o tiro de partida e é no mínimo insólito, para não dizer outra coisa, que no site oficial não haja rigorosamente nada relativamente ao que se passou, classificações, etc.
    Todos erramos e parece não haver dúvidas quanto aos erros cometidos ontem, mas não os assumir publicamente em tempo oportuno é continuar a errar e fazer com que o futuro da prova esta verdadeiramente comprometido.

  43. Clara escreveu:

    Foi de facto vergonhoso, a dada altura a única coisa que me passava pela cabeça já não era o tempo que ía fazer nem o lugar em que ía acabar, mas sim se iria sequer conseguir acabar a prova, receando mesmo pela vida pois a desidratação com que acabei foi um perigo para a minha integridade física! Nunca tinha assistido a tal, colegas a apanhar garrafas do chão na esperança de beber os restos de água que estas continham pois a sede era desnorteante. A organização devia ter a ombridade de devolver o dinheiro das inscrições a todos os atletas.

  44. Geraldino Silva escreveu:

    O ano passado participei pela 1ª vez nesta prova e a mesma decorreu normalmente e sem sobressaltos e achei-a de uma envolvência ímpar que me faria lá voltar !

    Por isso estava inscrito para participar de novo este ano e só na 6ª feira passada tomei a decisão de não o fazer face às previsões das elevadas temperaturas que se fariam sentir no fim de semana, por simples precaução dado que qualquer competição com temperaturas superiores a 22/25Cº se torna um exercício perigoso de gerir, e há que ter um discernimento mental sempre em alerta máximo para se ter/não se perder a consciência do que está em causa, pois a saúde é o bem mais precioso que existe e sem querermos ou darmo-nos conta, ficamos sem condições de a controlar, pois já passei por um processo de desidratação numa prova longa, e sei perfeitamente do elevado risco em perder a consciência do pergo de vida que eventualmente se está correr !!!

    O que nunca imaginei era que fosse possével de acrescido ao enorme risco de TEMPERATURA ELEVADA, se pudesse associar a realização de uma MEIA MARATNA SEM ÁGUA, pois foi exactamente isso que se passou ontem na Régua, a fazer fé nas notícias das televisões, rádios e fundamentalmente nos comentários de inúmeros colegas que lá estiveram presentes e que sofreram com isso e com os quais me revejo e associo por completo a todos eles, e muito em particular aos comentários do Jorge Teixeira (uma pessoa experiente em organizações de eventos deste tipo), do César Canito (que teve a inteligência e discernimento em desistir numa prova sem condições para a fazer, o que nem todos são capazes de ter consciência para o fazer, pois saber desistir pode por vezes representar salvar uma vida !!!), bem como dos comentários do Mguel Magalhães que eu comungo por inteiro, pois tratou-se efectivamente de um ENORME ATENTADO À VIDA de muitas pessoas que aparentemente não degenerou numa ENORMA TRAGÉDIA, estou convicto que cometido de modo involuntário por parte dos organizadores que a esta hora naturalmente serão os que lamentarão mais pelo sucedido, pois que podem ter dado sem querer uma grande “ajuda” para desacreditar no futuro duma prova tão bonita e duma região que merece e merecia ser tratada com mais respeito, o que sinceramente espero seja possível ultrapassar já no próximos ano, com a demonstração clara de que 2010 foi um lamentável equívoco, quase MORTAL, o que felizmente para todos nós, parece não se ter confirmado !!!

    Um abraço a todos os que foram capazes e souberam suportar as agruras desta mais que lamentável Meia Maratona do Douro Vinhateiro`2010, e que nos próximos anos possamos ser desmentidos e surpreendidos por completo e fazer esquecer esta NÓDOA NEGRA ontem ocorrida na Régua !!!

    Geraldino Silva

  45. Ricardo Gomes escreveu:

    Bom dia !!
    Em boa hora decidi nao ir!
    Eu tive a ver a prova ao fim da tarde depois de treinar na televisao e é uma vergonha como e possivel , com tanto calor nao colocarem abastecimentos ja nao digo de 2 em 2 quilometros pois com o calor que devia de se fazer sentir ai era o ideal , mas de 5 em 5 kilometros como e regra de todas as competiçoes nacionais e internacionais de meias maratonas.

    Dizem que foi uma falha? Eu pergunto , fogo os atletas sao fundamentais , e acho que houve um desleixo por parte da organizaçao . Preocupam se com a valorizaçao da regiao demarcada do Douro convidam personalidades , fazem la ir a televisao , fazem da meia maratona uma coisa extraordinaria mas naquilo que se deviam de preocupar que e com as condiçoe fundamentais para os atletas competirem e disponiblizar o melhor nao o fizeram , nao falo apenas nos abastecimentos , na falta de agua que reforço foi falha gravissima mas tambem nao intercçao dos ATLETAS COM OS caminhantes , que falta de organizaçao e pagam os atletas 14 euros sera que vale a pena!!!!

    Foi uma vergonha tava a ver a prova e estava me a imaginar la , com aquele calor faço ideia o sofrimento de muitos atletas . Vergonhoso !!!!!

    Segundo fonte do Jornal record: A prova, em que 1223 concorrentes terminaram a meia maratona e alguns milhares a mini maratona, de 6 km, foi disputada debaixo de bastante calor e os abastecimentos líquidos foram manifestamente insuficientes, o que levou mesmo a que seis concorrentes tivessem que receber assistência hospitalar

    Um abraço continuaçao de bons treinos e boas provas

  46. Marco Silva escreveu:

    Companheiros,
    Esta prova era uma das que ainda por várias razões não fiz. Geralmente tem sido por haver outras provas para mim mais aliciantes, com foi o caso de este ano, a Ultra da Geira, uma porva de 52kms percorrendo a bonita Serra do Gerês, que tal como na Meia do Vinhateiro, tinha muito sol, calor, 32º ou mais, mas com esta pequenas e grande diferênça, água, muita e bons abastecimentos. Acabou por se tornar muito dura, mas porque as condições climatéricas ontem não eram de todo favoraveis á pratica de desporto, mas como gosto de desafios duros, gostei, apesar de pensar que deveria ter começado mais cedo, para fugir um pouco do calor, mas…
    Agora voltando ao assunto inicial, vou pensar bem se ponho a Meia do Vinhateiro no meu calendário, não pelas paisagens e pelas suas gentes que conheço e tenho muito apreço, mas pelas condições relatadas por Vós.
    Acho que deveria ser feita uma exposição orgãos de autorizam estas provas, como por exemplo, as Federações de atletismo, o Governo civil, as autoridades, para averiguarem o sucedido, para que tal não volte a acontecer nesta e noutras provas, porque, com a saúde não se brinca e em especial tendo assim tanta gente, alêm de ser má publicidade para o Desporto saudável.
    Abraços a todos e que este sucedido nas vos esmoreça a vontde de praticar desporto e “Correr com e por prazer”.

  47. Companhia Bazofias escreveu:

    Companhia do Bazofias expressa igualmente o mais veemente protesto pelo desrespeito a que foram votados os atletas da prova!! Nunca fomos t~~ao mal tratados…E inscriçoes das mais caras…Por manifesta sorte e providencia divina nao houve desfechos fatais tal o calor que se sentia…e desidratacoes graves com perda de potassio tambem…indispensavel para o bom funcionamento cardiaco…

  48. Carlos Monteiro escreveu:

    Antes de mais cumprimento todos os runners sobreviventes.
    Obrigado por todos os depoimentos, que são relatos que também os vivi e senti. Fui de Sintra para sofrer na mais bela prova? que não deu para observar. Observei sim atletas a beber o que restava nas garrafas deixadas na berma, vi companheiros exaustos caídos no percurso, vi uma roda viva de ambulâncias e não quis ver mais nada!!!!! Qualquer adjectivo será insuficiente para qualificar o que constatei. Há vacinas que se tomam com dor e ontem esta da Meia do Douro Vinhateiro foi tomada. Obrigada a todos os companheiros runners pela solidariedade. “Águas”passadas não movem moinhos, desejo-vos bons quilometros e momentos de alegria. Um grande bem haja a todos

  49. Paulo Costa escreveu:

    Mais uns que a encoberto de pretensa promoção do desporto, negligenciam os principios mais basicos da organização e da segurança pq. há dinheiro em jogo.
    Como afiançado pelo comentador na meta, cabe-lhes agora um pedido de desculpas oficial e devolver o valor da inscrição, já que não cumpriram a parte que lhes competia…!
    Eu garanto q não volto lá.
    Mas tb. gostava de saber o que pretende fazer o Governo Civil, já que são eles que autorizam e controlam estes eventos. Irão todos jantar juntos e dar palmadinhas nas costas?

  50. Paulo Costa escreveu:

    Ah, a todos os que, como eu, participaram e finalizaram um grande bem haja pelo esforço e espirito de sacrificio!!
    ps: Manifestem a indignação!

  51. António Augusto Silva escreveu:

    24 horas depois…. o site da prova continua igual…
    Um pedido de desculpas, uma promessa de fazer melhor na próxima edição e as classificações era o minímo que deviam fazer.
    Parece que o desrespeito continua…

  52. Rui Fernandes escreveu:

    Ola Vitor,

    Estive lá, assim como um grande grupo dos nossos e cada vez que penso no dia de ontem, reconheço que somos todos uns grandes herois…

    A todos os atletas da meia marotona e da caminhada os meus parabéns.

    Só quero agregar mais um comentário, eu como profissional se cometer um erro grave na minha actividade, sou penalizado. E estes senhores???

  53. Jean-Claude Grare escreveu:

    24 horas depois…. o site da prova continua igual…
    Normal por uma politica de avestruz!!

  54. Marta Moreira escreveu:

    Estou triste……é o meu sentimento neste momento, depois de um fim de semana que esperava ser perfeito tornou-se um “pesadelo”. Levei a minha família e amigos para passar e disfrutar uns belos momentos no Douro que tanto gostamos. Correu tudo bem, desde a viagem, ás instalações e ao restaurante que tão bem nos receberam. Saímos para a nossa prova com tudo bem organizado, a ida de comboio, a chegada á fantastica barragem de onde partimos. Aqui temos uma nota negativa porque só havia uma casa de banho para tantos atletas no local da partida, mas de facto o que me entristeceu mesmo, foi a falta de abastecimento durante quase todo o percurso numa prova feita no pico do calor, eu só consegui uma garrafa de água no km 5 e nunca mais vi água até encontrar habitantes que viram o nosso desespero e gentilmente nos ofereceram água das suas casas, o que é para mim um prazer, tornou-se um sacrificio, fiz coisas que nunca pensei fazer na vida, como atleta que fui, tais como procurar no chão garrafas de outros que ainda tivessem um pouco de agua para me poder refrescar e continuar a corrida, vi pessoas a procurarem poças de água no chão e a passarem-na desesperadamente pela boca e pela cara. Outra nota negativa, que para mim era impensavel foi o facto de durante quase todo o percurso nunca ter passado ninguém da organização, nem da TV, de moto ou de carro para poderem socorrer alguém que se sentisse mal devido á falta de água.
    Ver o desespero dos meus familiares no final também me entristeceu muito, não sabiam como estavamos e ao verem pessoas a desfalecerem no final, a correria de pessoas para as socorrer e a confusão das ambulancias, fez-me pensar no momento que não lhes propocionei um fim de semana tão bom como eu tinha planeado, principalmente ao meu filho que me pediu para não voltar.
    Gostava de saber o PORQUÊ desta terrivel falha, eu não consigo encontrar explicação, uma vez que quem organiza sabe bem o que tem que fazer, pois eu sei que são pessoas experientes.
    Eu adoro atletismo e custou-me ouvir os comentários que ouvi.
    Poderia ter sido mesmo a mais bela corrida do Mundo……..O Douro é lindo!

  55. JOSÉ MOTA escreveu:

    foi a 1ª vez que corri esta meia e estar aqui a escrever já é uma sorte depois do que me aconteceu.a minha media nas meias é de 1h 25min pois fiz 1h 55min cheguei a andar a 10 min km do km 20 até a meta fiz 11MINUTOS. quando me sentei na cadeira para tirar o chip, caí para o lado e estive talvez uma hora estendido para conseguir recuperar.agradeço a um HEROI que se identificou como enfermeiro (de que nem o nome sei) que me deitou a mão e não mais me largou tendo-me feito uma excelente recuperação. por mais de uma vez foi pedida uma ambulancia mas nada eu estendido na calçada com os pés desse GRANDE SENHOR debaixo da minha cabeça e a receber água aos poucos lá fui recuperando.nem falar podia .tudo que possa ser escrito não faz juz ao que eu vi e senti na pele, não tenho palavras para essa “organização”??????????? premio final nem vê-lo. foi como se não corresse.uma org. que não poe agua de 5 em 5 km mesmo que anunciassem chuva é de lei seus criminosos, quem não sabe não se mete nelas.

  56. José Perdigão escreveu:

    Parabéns a todos os que como eu participaram na Meia Maratona da falta de abastecimentos, aos que terminaram e aos que souberam desistir. Quando aos 5km vi duas pessoas a fornecer água e tive de parar para tirar uma garrafa do interior da embalagem, ainda não imaginava o que estava para acontecer. Aos 10 km onde passei com 39,15 tudo normal tinham água e powerade. Placa do 15 km sem qualquer abastecimento e sem vestígios de garrafas vazias. Mais à frente vejo parar um dos meus colegas Dasdikes e juntar-se a um grupo de mais quatro ou cinco atletas que aguardavam pela vez de se refrescar com água de uma mangueira. Em sentido contrário vejo vir outro colega que nos avisava que não íamos ter mais água, valeu-me um senhor que circulava de bicicleta e que nos ofereceu água. Na descida junto ao Hotel estavam os bombeiros a refrescar os atletas e aí deu para recuperar algumas energias. ao cortar a meta com 1h30 e não sei quantos segundos, longe do objectivo inicial, deram-me água e powerade, mas passado alguns minutos quando ouço pela instalação sonora a solicitarem água e ambulâncias é que me apercebi da gravidade da situação. Muitos atletas revoltados a criticar a organização, outros a necessitarem de assistência médica, entre eles um colega de equipa que teve de ser transportado para o Centro de Saúde onde esteve algum tempo a soro.
    Tanta publicidade e quando foi posta à prova a organização falhou.

  57. augusto granja escreveu:

    Organização super amadora e sem conhecimentos sobre a modalidade,senão acautelava muito oportunismo dos caminheiros: estes sem culpa porque tiveram até oportunidade de entrar no funil e sacar tudo que poderam porque lhe era dado pelas pessouas que estavam a distribuir,brindes sem gravação!!enfim vergonhosa organização.O abastecimento de liquidos é obrigatório de 5 em 5km.E de pensar numa futura participação.Cumprimentos

  58. Marco Pinho escreveu:

    Boa tarde a todos,
    Caros amigos resolvi este ano participar pela 1ªvez nesta prova.Os primeiros kms correram dentro da normalidade até ao 1ºabastecimento(se aquilo era abastecimento…. )daí para a frente e coo o acumular dos kms e água nada….bem mais parecia uma caminhada de 21km.Nunca numa meia maratona vi tanta gente a andar.
    Se este ano foi batido o record de participações para o ano vamos todos tentar com que aprova bata o record de NÂO PARTICIPAÇÔES para assim manisfestarmos o nosso descontentamento.
    Que esta triste prova não desmoreça a prática de correr mas com prazer e nunca como ontem…a sofrer.

  59. José Silveira escreveu:

    Parece-me que praticamente já tudo foi dito, contudo, não posso deixar em branco o facto de, para além de não haver água também no final, existirem uma série de “barraquinhas” a vender líquidos! Grande negócio devem ter feito! Seguramente pagaram algum aluguer para estarem instaladas nesse local estratégico, pelo qual eram obrigados a passar todos os atletas sedentos e desidratados que concluiram esta prova miseravelmente organizada.
    Com tantas alternativas de provas porquê colocar a hipótese de voltar? Para verificar se aprenderam? Se fossem profissionais tinham tido a humildade de “aprender” antecipadamente!

  60. Ivo Rosa escreveu:

    Prova a por na LISTA NEGRA das corridas. Ainda por cima sendo num mês que existe tantas corridas e alternativas pelo pais.

  61. Miguel Barbot escreveu:

    Já lá estão as classificações…

    Não aparecem ordenados pela geral, apenas pelas categorias.

    Nem uma palavra sobre a pouca vergonha.

  62. rui vieira escreveu:

    Meus amigos, hoje, mais a frio, tentarei relatar o pesadelo que foi vivido ontem na régua.
    Tudo começou mal, pois não conseguimos lugar no penúltimo comboio (cheio) e o último chegou à barragem já em cima do tiro de partida da meia. Resultado: Partimos 2 minutos após o “pelotão” e tivemos que atravessar meia ponte aos berros para que os concorrentes da mini abrissem caminho.
    Chegados aos 5 Km, já não havia água no abastecimento, só gatorade (e já estavam uns 200 atrás de nós na mesma situação).
    Pensando que haveria água aos 10km, seguimos animados e a desfrutar da magnífica paisagem.
    Chegados aos 10Km, nada de água ou qualquer líquido. 11, nada! 12, 13, 14, nada!
    O cenário passou a ser indescritível. Atletas a beber restos de água de garrafas no chão, outros
    debruçados sobre uma bica com os dizeres “água imprópria para consumo”, comentários de revolta entre os atletas. Enfim, mais do que uma corrida, parcecia estar perante um plano maquiavélico para matar pessoas.
    Aos 15 Km, nem posto de abastecimento se vislumbrava. Aí eu, o meu irmão, que me acompanhava nesta verdadeira prova de sobevivência debaixo de trinta e tal graus, e muitos outros, tivemos o bom-senso de desistir, passando a caminhar, antes que as consequências fossem mais nefastas.
    A partir daí a “corrida” mais parecia uma procissão, com mais atletas a caminhar penosamente do que a correr. Lamentos, gritos revoltados contra os soldados da GNR,…
    Assisti a cenas que me deixaram chocado e revoltado. Atletas exaustos à procura de uma sombra para tombarem, atletas a voltarem para trás a correr com água para socorrerem amigos. Tudo sem que avistasse alguém da organização, um médico, nada. Só soldados da GNR que encolhiam os ombros ou nos mandavam queixar à organização.
    Aos 17 Km surge finalmente o “Sr. da mangueira” que, se calhar, salvou vidas. Bem-haja! O que vi é digno de um cenário de catástrofe, com as pessoas sôfregas e em desespero de volta da mangueira.
    Mais á frente, antes da ponte, outros populares com uma mangueira enchiam garrafas recolhidas do chão.
    Nessa altura já corriamos novamente, pois já ouvia as ambulâncias em frenesim, ouvia as mensagens de pânico do speaker e antevia a preocupação dos meus familiares na chegada.
    Na chegada o ambiente era dantesco e já foi aqui descrito. Pessoas tombadas no asfalto, o speaker gritava por água, por médicos, por ambulâncias,… Inacreditável!
    Ainda assim, atletas houve que passaram a zona da meta, perante este cenário, e ainda percorreram os quase 2 Km que faltavam na avenida no limiar do colapso físico. Verdadeiros Heróis!
    Se daqui a uns anos contar a alguém que fiz uma meia maratona, com mais de 30º, sem receber uma única água da organização, penso que ninguém acreditará.
    O que se passou foi demasiado grave e não tenho dúvidas que há matéria para processo crime, que deveria ser desencadeado caso o actual branqueamento não dê lugar a um pedido formal de desculpas aos atletas.
    No que me diz respeito, só aceitarei voltar caso os organizadores sejam, voluntária ou compulsivamente, afastados da organização desta prova que tinha tudo para ser magnífica e se transformou num inesquecível pesadelo.

  63. FPedro escreveu:

    O tempo final aparece em que? Em segundos?????

  64. isaac costa escreveu:

    tive para participar na prova mas estou a ver que fiz bem em não ir. gosto de correr, não muito rápido, ligeirinho e quando começei a ver estes comentário achei uma vergonha. com temperaturas de 30º graus não existir agua suficiente é um acto criminoso. tanto dinheiro gasto em publicidade que nao sobrou para comprar paletes de agua. todos sabemos que existem falhas em todas as corridas, mas tem que existir mínimos a cumprir. ainda à três semanas tive o prazer de participar na meia maratona de cortegaça em que ficou marcada pela trágica morte de um atleta, e apenas tava um pouco de calor(sem reparos à organização). ainda bem que não houve nenhuma tragédia deste género.
    a organização aó tem que assumir os seus erros, imputar responsabilidades e obrigar-se para o ano fazer nao melhor mas tentar ser perfeita.
    para o ano que vem espero fazer esta prova , mas “não vá o diabo tecer” se calhar levo abastecimento.
    a todos os atletas e caminheiros um bem haja.

  65. Miguel Barbot escreveu:

    Já o tentei transformar em alguma coisa que se lêsse, sem sucesso.

  66. Ivo Rosa escreveu:

    Podem colocar o vosso tempo no excel e formatarem o valor da celula para do tipo hora, e ja vai fazer algum sentido…

  67. FPedro escreveu:

    Nem aqui facilitam…. lol

  68. Flor Magalhães escreveu:

    A Grandiosa Festa do Douro ficou ensombrada por uma péssima organização. Fui participante da mini corrida em quanto o meu marido fazia parte da meia maratona, e logo logo a partir do momento em que sou testemunha de ver o último comboio chegar ao apeadeiro a menos de 5 minutos da hora da partida, percebi que as coisas não estavam a começar bem. Atletas da meia maratona corriam desesperadamente por chegar ao lugar de partida, alguns ficaram misturados com os participantes da mini e confusos seguiram o rumo errado. Não se justifica que o começo de uma prova tão publicitada seja ás 11h00, hora fatal para correr ou caminhar debaixo de um sol abrasador. Encontrei um casal de brasileiros vindos propositadamente de São Paulo que também assistiam a esta prova com a maior das expectativas. Durante o meu percurso viví situações verdadeiramente arrepiantes. Impossível apreciar a beleza natural que nos rodeava quando estávamos a sentir na pele e ver em nosso redor o desastre total: falta de assistência médica (nenhum tipo de apoio), insuficiente abastecimento de ÁGUA, “ÀGUA, SENHORES” “ÁGUA”, falta de divisão no asfalto para poder separar as duas provas, assistir a insultos por parte de um individuo que se encontrava encima da ponte da Régua e que fazia parte da organização quando recebia queixas dos participantes,casas de banho?, familiares desesperados por ver os seus chegar ( eu estou incluída), ou pelo menos saber que estavam bem, ambulâncias estacionadas numa zona cheias de obstáculos, assistir ao desespero do locutor da prova pedindo calma, chamando médicos, ambulâncias, carros de bombeiros…um caos total. Uma prova para nunca mais. Nota negativa para: todos os patrocinadores desta prova que nem um boné ofereceram antes do começo da corrida e também.

    Por último um bem haja para todos os participantes que ficaram afectados e as melhoras para aqueles que tiveram de ser assistidos.

  69. João Meixedo escreveu:

    Este ano, apesar de inscrito, felizmente não coloquei lá os pés.
    Há dois anos, nesta mesma prova, só havia água aos 5 e 10kms.
    Esta não é a edição nº1 nem é a primeira vez que algo do género corre mal. É, portanto, incompetência.
    Que ninguém lá ponha os pés na próxima edição!

  70. Conceição escreveu:

    Classificacões não existem para senhoras de mais de 45 anos mesmo aqui brincam com as atletas eu sei que as senhoras continuam a ser descreminadas mas a este ponto é de rir porque chorar já foi ontém de ver todos os ponto negativos desta dita a mais bela meia maratona do mundo…………

  71. José Pedro escreveu:

    Sr Paulo Costa da desorganizaçâo, quando houver corridas de camelos… dúvido que estes queiram participar, tendo conhecimento que o senhor é o responsável.

  72. abilio da silva monteiro escreveu:

    hoje vinha no jn a seguinte declaração de o organizador da m m douro«ninguem vai derrubar o pêso» eu queria dizer a esse sr que ninguem quer derrubar o pêso ,os atletas querem dignidade. atletismo não é convidar meia duzia de doutores,e na esplanada com ar de importantes assistir a
    milhares de pessoas em mau estado por falta de competencia.sr paulo coelho tenha vergonha e assuma a falta de competencia para com os atletas e patrocinadores. devolva o dinheiro das inscriçoes.

  73. Olga Mota escreveu:

    queria agradecer á maravilhosa organização da prova da meia maratona do Douro Vinhateiro pela maravilhosa assistência aos atletas tão maravilhosa que em 15km não houve uma pinga de água, onde houve pessoas a ir para o hospital, pessoas caidas no chão e onde muitas desistiram. muito obrigada pela maravilhosa incompetência da vossa parte. podem querer que nunca mais ponho lá os pés e era muito bem feito para eles aprenderem deixarem de ir a esta prova ssim eles mudavam de certeza!!!!!!

    gostava de saber o que fizeram ao 15 euros da incrição porque nem água houve…

  74. Sérgio Xisto escreveu:

    Depois da triste manhã (ou já era de tarde??) de dia 23 nas margens do Douro, gostava de deixar algumas perguntas: Uma prova destas às 11:00 da manhã???? Numa época do ano em que as probabilidades de estar tempo quente são mais que muitas, o que passou pela cabeça desta gente???? Ainda por cima os dias que antecederam a prova já apontavam para estas temperaturas….. será que foi só pela transmissão televisiva??? O que será feito do dinheiro que paguei na inscrição???? Seguramente receberam mais de 40.000,00€ só em inscrições…. fora patrocínios. Mais triste ainda é a atitude da organização que ainda nem sequer teve a dignidade de publicar um pedido declarado de desulpas aos “tolinhos” que foram à Régua dar dinheiro a esta gente. Não sei se me irrita mais o que se passou ontem se o triste comentário da organização no site ofiial da prova.

  75. António Augusto Silva escreveu:

    V Meia Maratona do Douro Vinhateiro ou I Meia Maratona Sem Água

  76. Fernando Pereira escreveu:

    Sr Paulo Costa quando houver corridas de camelos… o sr será o convidado de honra, duvido que estes queiram participar, tendo conhecimento que o senhor é…………….

  77. paulo neves escreveu:

    boa noite venho por este meio dar a minha opinião eu ja participo nesta meia maratona ao participar na mini maratona tabem organizo provas de atletismo eu sei o que uma responsabilidade desta graças adeus é certo que ouve um erro falta de agua mas uma coisa é certa nos outros anos tem havido muita agua até estragam aquilo que este ano nos fez falta, mas uma coisa tabem somos compados nem tudos mas alguns da mini maratona que levaram muita agua sei nessidade e esqueceram-se dos atletas da meia maratona la estamos nós portugueses primeiro nós outros que seligem se nós fazemos a nossa caminhada de familia, será que tabem não podemos levar agua para o passeio porque do ano passado até somos estragaram mas de facto ouve um erro grave sim a falta de agua é por isso que agora vamos deitar a toalha ao chão vamos sim dar apoio para podermos ter a meia maratona vinheiteira juntos e dar as nossas ideias posstivas.

  78. António Augusto Silva escreveu:

    “Nota a todos os participantes”
    Esta organização não percebe que a esmagadora maioria dos atletas que participaram amam a corrida, pagam para correr… e não é só a inscrição, é o transporte, o alojamento, a alimentação..etc.. etc… e que em vez de um texto de meias palavras, mea-culpa (no sentido mais popular que latino, será por ser uma meia maratona), deviam colocar um texto assertivo do género:
    Em vez de “A organização lamenta o sucedido “ deviam ter escrito “A organização pede desculpa pelo sucedido”
    Em vez de “A organização está totalmente disponível para responder a todos os contactos dos participantes” devia ter escrito “A organização está totalmente disponível para reembolsar os participantes que assim o entenderem”. Desta forma muitos do que falam em pedir o seu dinheiro de volta já não o faziam!
    As pessoas protestam no momento, aceitam as desculpas mais tarde e até chegam a defender o responsável pelo erro se sentirem alguma humildade.
    de outra forma.. se se sentirem respeitadas.

  79. paulo neves escreveu:

    boa noite venho por este meio dar a minha opinião eu ja participo nesta meia maratona desde da primeira edição ao participar na mini maratona tabem organizo provas de atletismo eu sei o que é uma responsabilidade muito grande graças adeus é certo que ouve um erro falta de agua mas uma coisa é certa nos outros anos ouve sempre muita agua e sumos até estragam aquilo que este ano nos fez muita falta, tambem somos culpados nem tudos mas alguns da mini maratona que levaram muita agua sei nessidade e esqueceram-se dos atletas da meia maratona la estamos nós portugueses primeiro nós outros que seligem será nós ao fazermos a nossa caminhada de familia, será que nós não podiamos levar agua para o passeio porque de facto ouve um erro grave sim a falta de agua é por isso que agora vamos deitar a toalha ao chão vamos sim dar apoio para podermos ter a meia maratona vinheiteira juntos e dar as nossas ideias posstivas.

  80. Alfredo Magalhães escreveu:

    Já participei pelo menos em 12 meias-maratonas e nunca vi nada assim. concordo com tudo o que dizem e ainda acrescento, vi corredores a beber água imprópria para consumo, a beber água que escorria das rochas, a beberem restos de água nas garrafas do chão, vi um agente da brigada de transito, que por ironia,apontava para a água do rio e bombeiros que faziam o percurso e limitavam-se a dizer, com o dedo, que não tinham água.

  81. Filipa Vicente escreveu:

    Fiquei chocada quando soube. Desejo sinceramente que todos os participantes melhorem depressa para apresentar um protesto junto da organização, é lamentável que uma prova patrocinada pela EDP não tenha abastecimentos. Não deve ser por falta de dinheiro, terá sido por falta de consciência?

  82. Bruno Marques escreveu:

    Acho que ja foi tudo dito tambem estive la dorsal 6638 quando passei no primeiro abastecimento ja não havia agua ia com expetativa de bater o meu recore pessoal 1h40m mas vi logo que não ia ser possivel devido a falta, a agua que bebi foi aos 18kilometros numa fonte onde estive 5 minutos há espera da minha vez foi muito compelicado,o organizador havia de ir a Ovar ,Matosinhos que tem o mesmo tempo de vida que esta e sportzone entre outras para ver como isto funciona, amin não me apanha la mais.comprimentos a todos.

  83. Paulo Rodrigues escreveu:

    A minha solidariedade a todos quantos conseguiram terminar esta “duríssima” prova!
    Havia desculpas se esta fosse a primeira edição,mas já é a quinta e o ditado popular é muito antigo e verdadeiro: Na primeira quem quer cai,na segunda só cai quem quer!! Entendam como quiserem!
    Parabéns a todos.
    Paulo Rodrigues

  84. Joao Maia escreveu:

    Caros amigos atletas.

    Não estive presente, vi na RTP2 à tarde e fiquei indignado com a situação. Estou também solidario com as centenas de atletas que sentiram no corpo a incompetência destes “senhores organizadores”.

    Infelizmente, salvo as devidas excepções da praxe o que vejo é mais amadorismo nas organizações do que o amadorismo dos atletas de pelotão.

    Tal como noutras áreas do negócio quem apresenta um mau produto tem de ser excluido do mercado. Por mim estes senhores tinham que mudar de ramo de negócio…

    Não existem desculpas….Não se brinca com a vida dos outros.

    Bem hajam todos aqueles que participaram na prova, num local realmente espectacular e que merece algo bem melhor.

  85. Manuel Ribeiro escreveu:

    Vergonha.Tristeza.Crueldade. Crime. Sacanice. Esperteza saloia. Burrice…

    Todas estas palavras e outras que encheriam o écram, não chegam para explicar o que se passou.
    E nunca mais me apanham lá. O sr. Costa que faça a Meia Maratona sózinho e depois vá pedir batatinhas ao Centro de Saúde…

  86. jose escreveu:

    ola Vitor, e cumprimetos a todos aqueles que estão a aproveitar este veiculo de informação para desafabar.
    pois eu s´queria chamar aqui a atençao de um pequeno promenor, e sabido e dito por muitos que nesta prova AGUA só no rio douro porque na prova e caso para dizer agua nem vela,eu no meu caso tive o ultimo abastecimento por volta dos 7km e ate aos 21km agua dada pela organização nem gota, excetuando o que agora vou descrever.
    Na subida que anteçede a entrada para a ponte estava um carro de bombeiros e eu aplei aos berros levem agua aos que vem ai atras a colegas desidratados que nao podem mais , ando mais 2 metros fiquei indegnado alguem suponho da organização com uma palete de agua a dar ao pessoal que passava AO LADO DELE TINHA UMA CAMARA DE TELEVISÃO A FILMAR eu disse eu nao vou aceitar essa agua isso e veneno isto e uma palhaçada .
    ja sobre a ponte reporteres ftograficos mais preocupados que os propios bombeiros apanhar restos de garrafas de agua e a dar a quem passava nessa altura a comussao foi inevitavel desculpem mas nao consigo escrevser mais

  87. Jorge Gonçalves escreveu:

    Ontem, dia 23 de Maio, sai de casa contente porque ia participar em mais uma festa do atletismo. No início pareceu-me estar perante uma boa organização. É verdade que o transporte de todos os participantes da Régua para o local da partida, e a consequente separação dos atletas paeticipantes nas duas provas, estava bem organizado. Depois, foi um desastre total.Vi atletas a parar de correr, tal como eu; vi homens e mulheres a chorar de desespero, com falta de líquidos; vi pessoas a dirigirem-se para uma fonte que dizia “água imprópria para consumo”; vi atletas a caírem sem a mais pequena assistência médica; vi um particular, ao km 19, apanhar garrafas do chão e enche-las com água do seu proprio poço, para nos oferecer; vi a assistência a comprar água para oferecer aos participantes. O desespero estava instalado.
    Na chegada à meta foi chocante ver atletas a terminar a passo, a caírem redondos e o speaker aflito a chamar por ambulâncias (que não paravam a corrida para o hospital!!) e a perguntar se havia médicos entre a assistência.
    E pasmem-se, meus senhores, também vi, no local da meta, as tendas das marcas patrocinadoras da prova a VENDEREM todo o tipo de líquidos, como se os atletas tivessem o dinheiro guardado nas cuecas. Isto é uma organização do outro mundo.
    Cheguei a casa triste porque não fui participar numa festa do atletismo, fui, sim, participar numa prova organizada por pessoas que se dizem profissionais e competentes, mas que foram tão maus, tão maus, que eu não consigo encontrar no dicionário o adjectivo correcto para eles. Mais de 24h depois de terminada a prova vejo no site da organização, e passo a citar: “A organização da Meia Maratona do Douro Vinhateiro reconhece que os abastecimentos líquidos foram insuficientes durante a prova”.
    Não, meus senhores! Não tentem encobrir o vosso erro com uma mentira. O abastecimento não foi insuficiente, ele não existiu.
    Depois de isto tudo, se vou participar no próximo ano? Com organizações destas recuso-me a participar em qualquer tipo de evento.

  88. abilio da silva monteiro escreveu:

    o sr da mangueira foi um heroi salvou muitas pessoas de cair por desidratação .muito obrigado nunca o vou esqueçer.

  89. domingos pires escreveu:

    quando sai de evora sabado com a minha esposa e filha iamos entusiamados pelo passeio e eu correr a meia maratona. comfirmo os acontecimentos dramaticos vividos pelos atletas e as familias quero deixar um comentario a organizaçao quando nao a humildade para reconhecer os erros aqui no alentejo diz-se vao ladrar pra outra freguesia

  90. rodrigo nunes escreveu:

    de muitas meias maratonas que ja fiz em nenhuma passei tanta sede como nesta quando por volta dos 5kms vi duas pessoas a dar agua como se de uma taberna se tratasse em que os clientes chegam e o taberneiro pergunta o que vai tomar sem mais comentarios espero que me devolvam o meu dinheiro e um abraço para todos ressistentes votos de boa recuperaçao sr paulo costa tenha vergonha porque a Regua e os seus habitantes nao merecem ter a frente da meia maratona uma pessoa tao imconpetente

  91. sergio aguiar escreveu:

    Muito obrigado as gentes da regua que nos salvaram de uma tragedia maior e um grande abraço aos duros que acabaram a pior corrida do mundo….

  92. Rui Rebelo escreveu:

    Caros amigos!!

    Vivi ontem um verdadeiro pesadelo. Vi pessoas a desmaiar na berma da estrada, pessoas a beber água que descia pelas rochas, numa fonte onde dizia imprópria para consumo, pessoas que apanhavam garrafas que tinham ainda alguma água, posso mesmo dizer que presenciei momentos de horror e verdadeiro pânico. É muito difícil descrever por palavras o que senti ontem durante a PIOR corrida do mundo, aquilo foi mau de mais para ser verdade. Na chegada à meta recebi vinho, pedi água, e foi-me respondido que os senhores das bifanas deviam ter para vender. Amigos eu nem o que mais posso relatar, vamos vetar esta gente, o que nos foi feito foi uma falta de humanismo, respeito, a única justificação possível para o sucedido só pode ser a falta de inteligência ou a a inexistência da mesma por parte dos indivíduos que nos fizeram isto.
    Eu só espero que isto não seja esquecido, o que aconteceu na Régua foi real e foi muito mau.

    Bons treinos e um forte abraço.

    P.S. Estive na meia de Cortegaça, nada a dizer da organização, a prova foi linda e com muita água…………………..esses inocentes da meia do douro que tenham formação com esses Srs. de cortegaça.

  93. Vitor Moreira escreveu:

    Desejei muito esta fazer esta prova e levei a minha familia.
    Foi uma muito má experiência pela hora tardia da competição. No 1º abastecimento, estavam 2 pessoas e tive que parar e ajudar a abrir os paks de água, no 2º abastecimento (10 kms) foi melhor.
    A partir daí foi o caos, sem organização e sem água.
    A partir dos 13 kms, caminhei e corri…muito lentamente. A MINHA SAÚDE ESTaVA EM CAUSA.

    Gostei do comentário construtivo do Geraldino Silva.
    Foi a primeira vez que corri com estas temperaturas e se for a outra prova com estas condições faço a caminhada com a minha familia.

    No site da organização deixei a minha modesta sugestão para melhorar, dando como exemplo experiências vividas (M.M.Sportzone e Cortegaça).
    No entanto disse-lhes que para o ano não iria lá porque PAGUEI PARA SER UM FIGURANTE PARA A TV.

    Um abraço a todos

  94. CARLOS SÁ escreveu:

    Ontem, dia 23 de Maio saí de casa para participar na minha 2ª meia maratona, a prova mais linda do mundo.
    Antes da prova começar tudo corria bem, a paisagem magnifíca era inspiradora, embora a temperatura que se fazia sentir fosse elevada.
    foi dado o tiro de partida e lá fui eu com vontade de fazer uma boa prova, primeiro abaastecimento aos 5 KM, tudo estava a correr dentro da normalidade, olhar para o rio fazia-me esquecer a temperatura elevada que estava,
    fui bem até aos 10 KM, onde passei com 42 minutos, e onde não havia o prometido abastecimento, a partir daqui 11,12,13,14KM, e aquele liquído precioso nem vê-lo, foi quando começaram as dificuldades e o desespero, e atletas a caminhar, uns a parar e a pedirem água, e a queixarem-se da vergonha e incompetência desta organização, lá seguia e já valia tudo para beber qualquer gota de água,quando cheguei aos 15 KM,já era muito difícil resistir aquela situação, mas mesmo assim lá ía, e foi precisamente a partir daqui que ao aperceber-me que não havia qualquer abastecimento ao virar de cada curva existia aquela esperança, mas ficava-me só com a ilusão, e começei a perder capacidade física e a esperar o pior , comneçei a caminhar e a pessar desistir daquele pesadelo, foi aí que apareseu o “Sr. da mangueira”, ao KM 17, que dizia venham beber aqui, foi como se nasce-sse novamente uma força em mim e como fui dos primeiros lá chegar ainda consegui beber alguma água,tive sorte, depois foi a confusão, pois todos queriam beber, lá fui com mais algumas forças,mas já era tarde e já estava a desidratar, mesmo assim consegui, embora devagar chegar á meta, onde só se ouvia as sirenes das ambulâncias e pessoas prostradas no chão quase inanimadas e desidratadas, onde não existiam ambulâncias suficientes, nem médicos ou enfermeiros e onde alguns familiares de atletas choravam e deseperavam, pois não sabiam se eles estavam bem, dado o panorama dantesco e onde mesmo no final não havia água para dar aos atletas, tive sorte a minha esposa tinha levado dinheiro e pude comprar água e outras bebidas.
    isto não se faz, a orgaqnização desta prova atentou contra a integrdade física e mesmo a vida de todos os atletas, só não morreu ninguem por milagre, vi durante todo o percurso tombar dezenas de atletas, sem qualquer assistência, é muito grave, vergonhoso e inqualificável.
    tenho a agradecer a boa vontade das gentes da régua, que quando de aperceberam da gravidade da situaçao fizeram o que puderam para auxiliarem os atletas em pior estado e agradecer ao “Sr. da mangueira”, que ao KM 17, evitou talvez em muitos casoas e eu estou incluido que acontecesse o pior, muito obrigado.

  95. Rui Pinho escreveu:

    Boas!
    Comecei a correr há cerca de 2 anos. No ano passado fiz a minha 1ª 1/2 Maratona. Foi na Sportzone, organizada e muito bem, pelo Jorge Teixeira da Run Porto, que, como todos podemos atestar, é exemplar na organização. Nunca nos faltou nada, muito menos o fundamental a um atleta: ÁGUA!
    Se me tivessem dito que não havia abastecimento, eu levava o camel bag. Eu, que tentava fazer um tempo abaixo das 1h50, fiz pior do que na minha primeira Meia-Maratona. A partir do 8ºKm, a minha preocupação centrou-se em arranjar água a uma turista britânica que, espantada, me perguntava quando haveria abastecimento. Nunca vi tantos atletas “a pé” numa Meia-Maratona. Só ao Km 17, depois de cerca de 6 minutos numa fila (!) consegui beber água da já famosa mangueira do popular que nos matou a sede. Um pouco mais à frente, os funcionários de um Restaurante, ofereceram a água que tinham para vender. Entrei na marginal da Régua a ouvir os apelos do speeker da prova a pedir água, enfermeiros, médicos e ambulâncias para a meta, porque, dizia aflitivamente, havia “pessoas a desfalecer”. Eu vi muitos. E quando acabei a prova, esperando ter no saco algo para matar a sêde, vislumbro apenas uma garrafa de vinho!
    Nem no final deram água.
    Depois de nos transportarem em comboios apinhados, quais prisioneiros de Aushwitz, sem nos darem água em toda a prova (no 1ºabastecimento ao Km 5, quando ali cheguei, já só havia Powerade, e quente), o minímo que podiam fazer era ir a um hipermercado, e há dois junto à meta, e comprar água para os participantes. Era o mínimo. Darem-nos razão não nos matou a sêde.

  96. Sara escreveu:

    Boa noite,

    na minha opinião é o seguinte, em 1º compreendo a hora de partida da prova, uma vez que a maioria dos atletas e caminheiros vêm de zonas distanciadas da régua como do Porto, Aveiro e muitos outros e se muito mais cedo fosse a partida seria complicado neste aspecto, contudo penso que seria bem possivel darem inicio à prova às 10h ou 10h30.
    Em 2º lugar, pelo que soube no 1ºabastecimento apenas se encontravam duas senhoras a distribuir água, ou seja, aos 5km todos os atletas vêm muito juntos e em grupos, sendo necessário muito mais pessoal a distribuir o abastecimento.
    em 3º : como é possivel ao longo de tantos kms não existir ninguém da organização para acudir em qualquer tipo de urgência, pelo menos de km a km, no máximo 2km deveria existir alguém da organização, uma vez que também tomei conhecimento de vários casos de pessoas a sentirem-se muito mal no percurso e só os atletas se ajudavam uns aos outros…
    4º: a caminhada deveria sair meia hora antes da partida da meia maratona, ou então, a partir de certo momento dividir a faixa da estrada para a caminhada e outra para os atletas, pois no momento em que os atletas da meia entraram na ponte, esta encontrava-se totalmente cheia de atletas da caminhada, impressionante, que estes não se arrumaram, infelizmente, tive de ser eu e uma colega a pedir a todos eles para se encostarem ao lado esquerdo da ponte para darem passagem aos atletas porque não se encontrava absolutamente ninguém da organização e que nunca chegou lá ninguém da organização…contudo,os caminheiros lá “obedeceram” e tudo ali correu bem melhor.
    5º: permaneci na ponte a ver os atletas a passarem e completamente esgotados a pedirem água e eu sem nada puder fazer, a não ser procurar garrafas no chão que tivessem água e lá foi dando para ajudar alguns atletas e ouvir muitos e muitos “desabafos” de desespero de todos eles
    6º Quanto ao facto de criticarem os que participaram na caminhada, concordo que alguns deles não respeitam os atletas, mas não os culpo pela falta de água, pois numa prova de atletismo o mais popular que esta seja, com todo o respeito, existem pessoas a distribuirem água, e estas são responsáveis por apenas oferecerem uma garrafa de água por pessoa e não mais como fizeram, porque fiz a caminhada a correr, fui das primeiras pessoas a chegar ao fim e lá não faltava água e ainda me ofereceram mais garrafas de água, so não peguei em mais porque não quis….mas então que tipo de instrucçoes têm estas pesssoas por parte da organização?! contudo, sinceramente, se sabia tinha levado comigo uma embalagem de água comigo e oferecia aos atletas na passagem pela ponte porque foi muito triste ver todo aquele desespero e não puder fazer nada.
    7º também não é desculpa nenhuma dizer que não esperavam tamanha multidão, porque bem sabiam do nº de inscrições antecipadamente, duvido que a maioria tenha se inscrito no dia, logo, mesmo que estivesse um dia de chuva teriam obrigatoriamente, de ter abastecimento suficiente para todos os atletas nos sitios adequados e necessários.
    8º já as classificações, que sairam hoje no site da meia maratona, contém muitos erros, porque houve muita gente que não fez a ultima parte do percurso e ficou-se logo pela 1º passagem da meta e no entanto o seu tempo e classificação é como se tivessem feito toda a prova, então pergunto-me para quê as passagens pelo controlo dos chips em outros pontos da prova?! mas isto é o menos.
    9º Julgo que a prova deveria continuar porque é lindo todo o percurso mas claro sem erros destes, porque toda a gente erra mas errar pela segunda vez não (pois à 2 anos aconteceu algo do género, houve falha num abastecimento porque alegaram que roubaram a água, e então ninguém ficou a “vigiar”, quem iria entregar a à gua aos atletas ?! o que valeu naquele ano é que não estavm 30º graus :))
    E penso que não faltariam voluntários para ajudarem a organização nesses postos abastecimento e moutras coisas sem terem de lhes pagar, enfim.

    Peço desculpa pelo enorme comentário mas muita coisa fica por dizer e espero que não interpretem mal alguma coisa que tenha dito mas é apenas a minha opinião, nada mais :)

    Saudações desportivas.

  97. Tiago escreveu:

    ATENÇÃO! Foi de facto decadente e triste tamanha desorganização numa prova que merecia muito mais!

    No final da prova, aquando da chegada das primeiras ambulâncias, a organização comprometeu-se a devolver o valor de TODAS as inscrições, assumindo as falhas existêntes na organização (isto foi ouvido pelos altifalantes quando já chegavam os bombeiros com água para lanças sobre os desfalecidos). Por isso, façam como eu que já exigi o meu dinheiro de volta, acrescido do valor das viagens! Não é pelo dinheiro! Apenas pela atitude! para que não se fiquem a rir e para que não venham paar os jornais e rádios dizer que correu tudo dentro da normalidade pois “já no ano passado 5 pessoas recebram tratamento por desidratação…este ano foram apenas 6″ BANDO DE CRIMINOSOS! EXIJAM O VOSSO DINHEIRO DE VOLTA E RECLAMEM: info@meiamaratonadouro.com COM CONHECIEMNTO DE: deco.norte@deco.pt ; drn@idesporto.pt (INSTITUTO DESPORTO DE PORTUGAL) ; teresa.alves@tsf.pt ; cartas@cmjornal.pt (ENVIEM FOTOS)

  98. Tiago escreveu:

    Mesmo os participantes da Mini Maratona, EXIJAM A DEVOLUÇÃO DO DINHEIRO, conforme o anunciado!!

  99. Carla Morgado escreveu:

    Eu e uns quanto valentões do Clube do Stress estivemos lá e confirmo que tudo o que foi escrito nos cerca de 100 comentários acima é a mais pura das verdades!

    Na realidade pós-corrida, tendo resistido aquela odisseia lamentável, com 31º de temperatura, sem qualquer sombra, com o calor do asfalto a derreter-me os ténis e sem água durante 15km, até posso achar alguma graça, e sem dúvida muito regozijo por a ter terminado em 2:00:10, porém nunca na vida me imaginei a olhar para as bermas da estrada na expectativa de encontrar uma garrafita ainda com algumas gotas de água. Ponderei e redefini a estratégia, decidi não me baixar….pois iria perder muito energia ou corria o risco de não me levantar mais, pelo que optei por desacelerar o passo (que já era lento) e lembrar-me do conselho do Carlos Paiva….diverte-te!

    E deixo aqui os meus maiores agradecimentos ao já famoso popular da mangueira, que me deu a mangueirada da minha salvação e ao público que assistia à desgraça e enchia garrafas vazias com água, acho que do Douro ou algo assim!

    Bjs a todos e boas provas

  100. José Adriano Matos Ribeiro escreveu:

    Já fiz provas, de várias distâncias, em Portugal inteiro e noutros países, já assisti a muito boas organizações, no entanto qualquer prova aqui no Porto, pela Runporto, é sinónimo de sucesso e de boa organização. Poderão, alguns criticar, mas a realidade está á vista.
    Sr. Jorge Teixeira e meu amigo Tiago, continuem e tenho a certeza que este ano ainda nos vão dar coisas boas.

  101. Luis escreveu:

    Fui de Lisboa até a Régua baseado na publicidade e no site da prova. Parecia-me ser uma boa prova e uma boa organização.
    Não vou repetir tudo que aqui já foi escrito e que é a mais pura verdade. Só consegui água até aos 10 Kms porque ia mais ou menos nos primeiros grupos. Mas imaginei o que iria acontecer com quem viesse atrás.
    Deveriam devolver o dinheiro a todos.
    E o que hoje estáescrito no site da prova (as desculpas do organizador) são ridiculas. E onde está a classificação geral? Só há por escalões?
    Lamento pela bonita região e pela imagem que deixaram nos milhares de atletas e famílias que resolveram “investir” nesta prova/corrida.
    Parabéns a todos que lá estiveram e sobreviveram.

  102. Paulo Domingues escreveu:

    É revoltante aquilo que aconteceu na meia maratona do Douro! Eu que participei pela primeira vez nunca mais tenciono lá pôr os pés! Pergunto como é possível porem em risco a vida de milhares de atletas e virem ainda esses incompetentes da organização desculparem-se com o excesso de calor!!! A verdade é só uma, pura incompetência, falta de respeito e um amadorismo na organização da prova que nem nos países do terceiro mundo se encontra!!! Quem tem pessoas sem carácter, que nem sequer admitem os seus próprios erros, à frente de um evento desportivo como este, não merece que milhares de pessoas de todo o país regressem ao Douro no próximo ano. O meu único agradecimento vai para os populares que foram incansáveis no apoio aos atletas!

  103. Luís Filipe escreveu:

    Dorsal 6118. É a 5.ª vez que faço esta prova, portanto sou totalista e espero continuar a participar nesta prova. Agora meus senhores da organização (com letra pequenina) o que aconteceu é inacreditável, a mais bela corrida do mundo podia ter sido a última corrida para muita gente. Já fiz mais de 25 meias, e foi a primeira vez que parei numa prova, para beber um gole de água que um Sr.º oferecia com uma mangueira, julgo que ao KM 17(Este com letra grande – o meu muito obrigado)por me sentir a desfalecer e a corrida se ter transformado num sofrimento. Não desisti (mas julgo que o deveria ter feito) tinha no pensamento que na meta havia água – felizmente assim aconteceu, mas quem chegou após (1h36m)nada tinha para se hidratar. Lamentável. Apesar dos factos ocorridos e da irritação que todos nós – atletas de pelotão – sentimos e ficamos com as marcas no corpo, por gostarmos de correr, para o Ano lá estaremos de novo. A prova é bela. O que aconteceu só prova a incompetência do Director da mesma. Parangonas nas televisões e jornais não são significado de qualidade. Qualidade é construir a prova com bons alicerçes. Vale mais uma prova com poucos participantes mas com condições para estes convidarem os amigos e o n.º de atletas crecer sustentado ou como julgo que vai acontecer no próximo ano terá um diminuto n.º de participantes. Este director (!?)pode ter acabado com a mais bela prova do mundo. Agora um conselho. Sempre gostei mais do percurso das 3 primeiras edições – sempre num sentido – Pinhão Régua. O último Km é lamentável, quando um atleta vê o pórtico de chefada só pensa em parar. As pessoas não estão lá para apoiar. Ficam antes da meta. É um deserto, é preferível fazer o retorno mais adiante. Vamos dar mais uma chance a esta prova.

  104. Novais escreveu:

    Esta foi a segunda vez que corri a meia do douro, no ano passado não houve nada a dizer os abastecimentos não foram muitos mas o dia estava excelente para correr,não faltou agua, no fim da corrida tinham fruta ( maça) o saco com algumas lenbranças a camisola de oferta que era muito bonita, tudo isto fazia prever que este ano olhando à forte propaganda feita â prova, com anuncios na televisão, tudo fazia prever uma meia sen dúvida ” A MAIS BELA CORRIDA DO MUNDO” por isso valia a pena lá voltar, ERRO, foi sem sombra para dúvidas um grande erro.
    não sou um corredor nem um atleta de plotão, corro o que o meu corpo me deixa correr, no entanto tinha como ideia correr na mente de fazer um tempo na ordem da 1h e 38 olhando a temperatura que se fazia sintir mas tudo isso passou à história quando a partir dos mais ou menos 8 km que foi o último abastecimento e eu ainda tive a SORTE de ter abastecimento se começou a constar que até ao final não havia mais abastecimentos. Eu não queria acreditar que fosse possivel com tanto calor, que até ao final não houvesse mais ÁGUA,mas foi isso que se passou. não fosse algumas almas caridosas que junto à estrada foram ajudando como poderam e uma mina de àgua que se encontava abaixo da estrada perto dos 18km, na qual muitos se secorreram para poderem se refrescar, foi sem sombra para dúvidas a sorte da organização essas ajudas e a coragem , e eu digo CORAGEM por grande parte dos que a correram a tivessem feito a passo, essa seria a grande bofetada que se podia dar a quem organiza uma prova destas, vi coisas que nunca imaginaria ver numa prova destas dimensões, atletas a apanhar os restos de agua das garrafas que estavam no chão a beber de minas com letreiros a dizer AGUA IMPRÓPRIA PARA BEBER, valia tudo desde que fosse para humedecer a boca, mas ainda mais triste foi ver a quantidade de ambulancias que circulavam para para dar assistência aos atletas, e para terminar a prova nem à chegada tiveram o cuidado de dar uma garrafa de agua.

  105. César Canito escreveu:

    Já alguém contactou com a organização da prova para fazer uma reclamação?
    Eu tentei ligar para o nº que vem no site mas ninguem atendeu.
    Se alguem já o fez por favor digam alguma coisa para que todos possamos reclamar no sentido de pelo menos a devolução do dinheiro ser feita baseando-nos no não cumprimento o regulamento da prova, porque acho bem que nós os atletas venhamos aqui desabafar o nosso descontentamento mas deve também ser feita uma reclamação junto da organização e das entidades que regulamentam a prova sobe o risco de para a proxima eles dizerem que oficialmente nada lhes foi comunicado e como tal nada fizeram.
    Vamos todos desabafar aqui mas reclamar também nos sitios oficiais para o efeito e todos juntos teremos concerteza mais significado.
    Abraços.
    César Canito

  106. Tiago escreveu:

    RECLAMEM para: info@meiamaratonadouro.com e peçam os vosso dinheiro de volta, incluindo valor das deslocações. Enviem email com conhecimento de:
    (INSTITUTO DO DESPORTO)drn@idesporto.pt
    (FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO)fpa@fpatletismo.pt

  107. Ivo Rosa escreveu:

    Já hoje durante a manha tinha enviado um email sem qualquer tipo de resposta, até ao momento.

  108. SEABRA- escreveu:

    AGUA,AGUA,AGUA…
    Passados 3 dias da prova ainda ando a beber agua (e eu que até gosta da pinga!)gostaria de fazer um resumo da prova de resistencia que fomos sujeitos no Domingo.
    É a 3ªvez que participo e para evitar contratentos fui na ultima sexta feira levantar os dorsais ao Hotel.Começaram logo os primeiros problemas.Estavam uns adolescentes no secretariado (mão de obra barata!)na qual eu tive que os ensinar a descobrir os nomes ou os numeros de inscrição ao ponto de não saberem como se escrevia SEABRA (nome estranho!)bem!
    Domingo de manhã entrada para o comboio grande confusão segundo sei alguns começaram a correr dentro das carruagens pois o sinal de partida já tinha sido dado.Milhares de pessoas na barragem que de momento começou a encher em virtude dos atletas nao terem casas de banho suficientes (2 que em media dava 5000 para cada uma delas).
    Ás 11,00 (pontualidade inglesa)dá-se o tiro de partida pois estava lá a esprea a RTP,o Turismo,a EDP o vigário(o padre ou o Costa)as madrinhas os padrinhos,etc.
    Aos 5 Kmts 1ºabastecimento,inacreditavel alguma agua esterelizada (estava a ferver,talvez do sol) e alguma agua azul,amarela vermelha roxo fiquei eu, correr 21 Kms sem beber !!!!!!!!!!,bem.
    Vagueamos moribundos entregues ao destino sem rumo em direcçao á Regua,atletas desmaiados durante a prova tipo cenario de guerra(pensei que estava em provas para os Rangers/Comandos)só se ouviam sirenes das ambulancias,AGUA nem vê-la).
    Pelo percurso atletas a passo ou a dizerem mal da vida.Eis que chegamos ao senhor da mangueira (o Grande Magalhaes do Rompe-Solas,devia ser homenageado,deixou de fazer a prova para dar agua aos atletas que passavam).Ao passar a ponte estava instalado o caos,pessoas a beber agua do chao de outras garrafas,a cambalear a protestar com o Hotel de Fê Dê Pês a doutores nao faltou nada.Na meta instalaçao sonora,gritos de socooros pessoas desmaiadas,desidratadas (isto era uma prova desportiva?)eu `desfaleci em cima do tapete dos “chipes”.O Souto a chamar os medicos,ambulancias etc.mais de 5 minutos e nada lá consegui levantar-me pois estava a queiar as costas do tapete,insultei tudo e todos INADMISSIVEL.Só miudos a entregar vinho (mao de obra barata)e os quiosques a vender AGUA em garrafas de 20Cl a 70 centimos (uma vergonha)nem jornalistas,nem RTP,nem nenhum elemento da organizaçao,nem madrinhas nem padrinhos nem o Comandante nem o vigario (padre ou o Costa)UM DESASTRE.
    E como resolveu isto a comunicaçao social com comentarios leves caso a TSF que nos serviços noticiosos da tarde foi dando noticias do Costa a informar que estava a confratenizar com os campeoes que visitaram o Douro,fui entrevistado pela mesma TSF durante o regresso a casa mas nao passaram a entrevista onde eu denunciei tudo.Começando a noticiar oa “atletas” que foram ver a bola á Covilhã e nao viram os Ronaldos e Companhia a jogarem uma peladinha.
    A RTP só imagens bonitas (como convem)o JN idem aspas.
    Colegas Valentes nao vamos mais deixar que isto caia no esquecimento.
    Nao deixem de praticar o vosso desporto preferido,mas corram com esta escumalha rue só andam atras do lucro facil (á custa dos outros).
    Fiquem atentos.

  109. Jorge escreveu:

    Vejam aqui o perfil do criminoso e quanto ele diz poder ganhar:
    http://www.ismai.pt/NR/rdonlyres/F3277DA3-B68C-40BA-92A0-BF0666C86A41/0/Paulo_Costa.pdf

  110. Tiago escreveu:

    Boa Sr. Jorge! à custa de 10000 parolos (eu incluido) o sr Paulo Costa deve ter ganho bem mais de 10000€ só este mês! E ainda bem que a empresa que dirige tem como meta ser uma das melhores! está no bom caminho está… Numa empresa destas nem a organização de um lanche para meia dúzia de pessoas se deve confiar!! Sr. Paulo Costa, ganhe vergonha nessa cara e assuma as responsabilidades! ou então mude de cara, porque com essa não organiza mais nada desta vida!

  111. Luís Filipe escreveu:

    Dorsal 6118.Quero agradecer ao Atleta (não me lembro nem sequer do rosto) que na chegada me ofereceu um boné para me resguardar do Sol e me arranjou, nem imagino onde, um cubo de marmelada e água e me ajudou a levantar – estive para aí 20 minutos sentado no chão a recuperar,e me ajudou durante 50 metros a caminhar pois estava tonto e a uma Menina da caminhada que deu meia garrafa de uma bebida isotónica. OBRIGADO, OBRIGADO, OBRIGADO.

    Dorsal 6118. É a 5.ª vez que faço esta prova, portanto sou totalista e espero continuar a participar nesta prova. Agora meus senhores da organização (com letra pequenina) o que aconteceu é inacreditável, a mais bela corrida do mundo podia ter sido a última corrida para muita gente. Já fiz mais de 25 meias, e foi a primeira vez que parei numa prova, para beber um gole de água que um Sr.º oferecia com uma mangueira, julgo que ao KM 17(Este com letra grande – o meu muito obrigado)por me sentir a desfalecer e a corrida se ter transformado num sofrimento. Não desisti (mas julgo que o deveria ter feito) tinha no pensamento que na meta havia água – felizmente assim aconteceu, mas quem chegou após (1h36m)nada tinha para se hidratar. Lamentável. Apesar dos factos ocorridos e da irritação que todos nós – atletas de pelotão – sentimos e ficamos com as marcas no corpo, por gostarmos de correr, para o Ano lá estaremos de novo. A prova é bela. O que aconteceu só prova a incompetência do Director da mesma. Parangonas nas televisões e jornais não são significado de qualidade. Qualidade é construir a prova com bons alicerçes. Vale mais uma prova com poucos participantes mas com condições para estes convidarem os amigos e o n.º de atletas crecer sustentado ou como julgo que vai acontecer no próximo ano terá um diminuto n.º de participantes. Este director (!?)pode ter acabado com a mais bela prova do mundo. Agora um conselho. Sempre gostei mais do percurso das 3 primeiras edições – sempre num sentido – Pinhão Régua. O último Km é lamentável, quando um atleta vê o pórtico de chefada só pensa em parar. As pessoas não estão lá para apoiar. Ficam antes da meta. É um deserto, é preferível fazer o retorno mais adiante. Vamos dar mais uma chance a esta prova.

  112. Fernando Andrade escreveu:

    Batem leve levemente
    (P’ra não bater no ceguinho)
    Mas se ninguém está contente
    É porque, infelizmente
    Fazem de nós “poucochinho”:

    Vão correndo alegremente
    Ao Douro disseram sim
    Até que inesperadamente
    Onde devia estar gente
    Estava um vazio sem fim.

    – Agua!Água! – não havia
    E ao calor, e ao sol ardente,

    (continua no blogue)

  113. Jorge Dias escreveu:

    Olá sobreviventes.
    Esta meia-maratona foi para mim a 2ª edição da Prova de Choque que fiz nos Comandos. Pouco poderei acrescentar ao que já foi dito. Tive o meu último abastecimento no ponto de retorno (km 7, suponho) e a partir daí foi uma travessia de 14 km de deserto. Quero homenagear o grande herói que é o Snr. da mangueira e dou a nota máxima ao povo da Régua, que se mobilizou e se solidariazou com o nosso sofrimento, inclusivé até houve quem fosse comprar água para nos dar. O meu obrigado também ao restaurante junto da ponte, que disponibilizou garrafas de água. Obrigado a todos, tenho-os no coração. Só o vosso altruísmo me fará voltar a esta prova.

    Lamento muito a comunicação social, sobretudo o “serviço público” de televisão (é para isto que vão os nossos impostos), que perante tal cenário dantesco, se limitou a encobrir estes factos atentatórios da segurança e vida das pessoas. Parece que temos uma comunicação social subordinada a outros interesses que seguramente não são o de informar e de relatar a verdade. A voz dos que sofreram este calvário não foi ouvida, a catástrofe não foi relatada, enquanto os senhores responsáveis por fazer perigar as nossas vidas passeiam-se impunemente e dizem o que muito bem lhes apetece na tal dita comunicação social. Infelizmente isto é um espelho do resto do país.

    Caros amigos, o texto já vai longo, obrigado pelo vosso tempo. Desejo-vos bons treinos, boas provas e que continuem a correr pelo gosto de correr.

    Um Abraço.

  114. Richard Touret escreveu:

    Boa noite a todos,

    Noticia do JN 24/05/10

    “Atletas aflitos sem água vão parar ao hospital

    RECORDE DE PARTICIPAÇÕES
    Um dos responsáveis pela organização da prova, paulo costa, da global sport, admite que houve “uma falha no abastecimento dos 15 Km”, mas desvaloriza o sucedido e defende que o incidente não apaga “o peso” da iniciativa na região, que este ano “bateu recordes de participação”.”

    Este paulo costa é no mínimo um mentiroso. Promoveu a prova durante meses em todas as instâncias possíveis(tv, jornais, feiras, outras corridas…)auspiciando a participação record de 10 000 pessoas na mais “bela prova do mundo!!!

    No final, esta “gente(?)” desculpa-se com: “o excesso de participantes”(então? em que é que ficamos?), “calor”(Maio na Régua, que surpreendente, não?) ou o “assalto à água pelos participantes da mini-maratona”.(Esses malandros, hein!)

    Mas, ó paulo:

    1)Sim, eram 2!!! WC no inicio da prova e eu desconfio que foram pensados para a equipe técnica da RTP…

    2)Existiu apenas 1 único ponto de abastecimento (5 km, à entrada da folgosa)onde 2!!! escuteiros tentavam “aviar” como podiam os atletas que passavam. Já à vinda para a Régua (10 km) outros 2 escuteiros só tinham mini-garrafas de vinho do porto!!!….Humor negro?

    3)Outra agradável gentileza da vossa organização foram as actividades paralelas durante a corrida para disfrutar ainda mais da paisagem e da região apesar de exigir uma redobrada atenção ao conteúdo das valas: “descubra a garrafa que ainda tem pinga de àgua”, “descida à mina da vinha” ou mesmo o “àgua? há muita no rio!” e a preferida de muitos ” beba da mangueira na borda da estrada ao Km 17″. Também me salvou apesar do triste cenário que achei a forma sôfrega e alucinada como todos tentávamos ,qual matilha sequiosa, minorar a sede e refrescar-nos.

    Eu cheguei ao fim da prova (2:00’24”)talvez por acalentar a ilusão de que beberia finalmente alguma água e que me explicariam apresentado as devidas desculpas a razão de todo o confrangedor amadorismo. Enganei-me e bem.

    Já nessa tarde tive a oportunidade de assistir (em diferido) à transmissão da prova na RTP2. À chegada, Fernanda Ribeiro (“madrinha da prova”; por volta dos 72′)já se queixava de falta de água e revelava algum desconforto com a situação.
    Eu conheço bem a Régua e existem vários hipermercados a escassas centenas de metros. Que custaria irem abastecer-se imediatamente?
    Terá a transmissão televisiva levado o “sôr” paulo costa a contemplar o seu umbigo e a esquecer-se dos participantes? Não sei…. Desvalorizou todas as evidências que apontavam cedo à catatrófe e, realmente como já foi por várias vezes dito aqui, colocou em risco a vida de centenas de pessoas.
    O que sei, é que provávelmente, este indíviduo foi poupado de um linchamento pois à chegada enfraquecidos apesar da enorme revolta, todos mais não queriamos do que recuperar.
    Para completar o ramalhete, era o próprio paulo costa que vociferava desesperado ao microfone coisas como “mais àgua!”, “ambulâncias!”, “compreendam!…no cenário dantesco que todos testemunhamos. Um verdadeiro “mourinnho dos eventos” como podemos verificar através da brochura do ISMAI (ver comentário 109).

    Quanto a “não apagar o peso que a iniciativa teve na região”, não tenho a mínima dúvida que realmente todos os presentes neste evento terão a capacidade de multiplicar por 10 a promoção negativa.

    Espero que a indignação de todos persevere e estravase este site pois a julgar pela atitude (sempre e até agora) incorrecta da organização, só estarão à espera que a “poeira assente”…
    Eu já pedi o meu dinheiro de volta e estendi as minhas queixas à DECO, Federação Portuguesa de Atletismo e Instituto do Desporto. Sugiro que façam o mesmo.

    E não me venham com o discurso de “dar mais uma oportunidade”. Com esta organização, NUNCA MAIS. GLOBAL SPORT, paulo costa, RUA!!!

    Saudações a todos os atletas que “sobreviveram”.

    Richard Touret
    Dorsal 7393

  115. Filipe Afonso escreveu:

    Estive mesmo para não ir mas graças à “maravilhosa” reportagem da RTP decidi ir à última da hora. Se soubesse o que me iria esperar…

    Uma palavra de agradecimento aos populares que me ajudaram. E ao amigo Paulo Moradias (de Castelo Branco) que me deu também um pouco desse tão precioso líquido chamado “ÁGUA”

    Acabei de pedir a devolução da minha inscrição.
    Façam todos o mesmo.

    P.S. esses pseudo-organizadores pensavam que estavam neste tipo de corrida: http://www.badwater.com/

  116. ana sofia escreveu:

    O meu pai foi de urgência para o hospital de Vila Real. Foi o caso mais grave (pelo que nos disseram). Ficou internado uma noite no hospital pois tinha um rim parado devido à desidratação. A falta de água levou-o à inconsciência durante cerca de 5 horas.
    Mesmo assim, acabou a prova mas chegou à meta já incosciente,nos braços de um senhor. Diz que só se lembra até ao quilómetro 18, depois diz que já não se lembra de mais nada.
    Das 8 meias maratonas que já fez, nunca tal tinha acontecido.

  117. Porto escreveu:

    Eu estive na “Mais bela desitração do mundo!!!”…isso eu sei.

  118. Porto escreveu:

    Ja estive numa Maratona em MARROCOS….e nunca faltou agua de 5km em 5km….e MARROCOS tem falta de AGUA!!!

    Não só a organização envergonhou o DOURO…com PORTUGAL…perante o MUNDO!!!

    A RTP….deveria mostrar as verdadeiras imagens!!!

  119. Isabel Henriques escreveu:

    Tenho acompanhado estes comentários e estou ainda mais chocada. Estive presente na “prova de esforço fisico e mental” mas ha situaçoes aqui descritas que sao, de facto, impensáveis e absurdas:( Falta de agua, vinho em alguns abastecimentos, queixas frequentes a serem ignoradas, pessoas a beber água impropria para consumo outras a aproveitar a água que caia das rochas… e pior o caos da meta. Acabei a sentir-me a MAIOR e parei estupfacta a assistir à correria de miudos que ajudam na organização, aos gritos do homem do micro, as pessoas a gritar por ajuda, outras no chão… enfim…. Vi coisas que me fizeram lembrar um país de 3º mundo.

    Porque é que depois de saberem q nao havia água nao foi um tanque dos bombeiros assistir.nos, apoiar-nos?? Teve de ser a boa vontade de um popular??? Para onde foi o nosso dinheiro??? Para que bolso???

    Vou fazer a reclamação, nao pelo dinheiro, mas pela falta de respeito que esse Sr Paulo teve e tem por quem viajou até à Régua. Este Sr. se tivesse o minimo de consciencia “saía” da organização desta prova, acho que ficaria mais satisfeita com isso….Foi pura negligencia, ele sabia qtos milhares estariam presentes e que estaria calor nesse Domingo. Não é preciso correr para saber que é FUNDAMENTAL ÁGUA, nesta situação!!! Não é a 1º vez que algo corre mal…. algo de estranho se passa… Fica a certeza que p o prox ano, água nao faltará, pois é tipico! Tb ficaria mais satisfeita que as “coisas” nao ficassem por aqui, pois se nao fosse o Sr. dos 17Km, que já referi e foi referido, e 2 senhoras que foram ajudar familiares a avisar-nos que não havia mais agua ate ao fim da prova,provavelmente eu teria continuado a correr(em enorme esforço, mas n desisto) e nao sei quais seriam as consequencias pois a desidratação não tem “sintomas”, ACONTECE e há gente que morre!

    Guardo na lembrança uma criança com uma garrafa do chão, ja dps da subida para a Régua, a perguntar “Quer água?”. Foram fantásticos… deram água, compraram agua, disponibilizaram uma mangueira e ainda deram mta mta força para terminar, foram palavras mágicas!!:)

    Pq é que o carro dos bombeiros que estva na meta (sei q era importante, mas…) a servir de chuveiro não foi ao fundo da corrida apoiar as dezenas de pessoas que estvam para traz????

    Num grupo que abri por “brincadeira”,incialmente,porque dps fiquei furiosa quando apagaram um relato que escrevi na pagina da Meia Maratona, um atleta deixou este video em q se ouve sirenes e percebe-se o esforço dos atletas e inclusivé ouve-se uma popular a gritar “Para o ano nao voltem”

    http://www.youtube.com/watch?v=_u2TdNYA-r4

    e este Blog tb (permita-me a publicidade)

    http://corrokmporti.blogspot.com/

    Espero sinceramente que este assunto nao fique “em águas de bacalhau” foi mt mt grave o que aconteceu..

  120. ARTUR ROMERO escreveu:

    CAROS AMIGOS ATLETAS, EXISTEM MUITAS PROVAS EM QUE PODEMOS PARTICIPAR, PODEM ESCOLHER SELECIONAR, AS PROVAS MAS CONTINUAR A PACTUAR COM ESTAS SITUAÇÕES QUE ATRAS É NARRADO,É OFERECER O OURO AO BANDIDO…QUANDO COLOCAM EM RISCO A VIDA DAS PESSOAS PARA OBTER LUCRO…É O FIM….TENHAM VERGONHA….PENA É QUE OS ATLETAS DAQUI A UNS MESES TUDO ESQUEÇEM E VÃO LÁ OUTRA VEZ….O DESPORTO O ATLETISMO DEVE SER PARA TER SAÚDE,NÃO PARA MANDAR SERES HUMANOS PARA OS CENTROS DE SAÚDE….NÃO MATEM O ATLETISMO….OBRIGADO A TODOS…

  121. José António escreveu:

    Deixo aqui o meu testemunho sobre esta prova realizada sob condições atmosféricas inimagináveis com a temperatura sempre acima dos 30º, desde o seu inicio ás 11 horas até ao seu final dependendo do tempo de cada um. O certo é que todos sabiam logo á partida que ia ser muito duro completar os 21 kms, até mesmo a própria organização tinha consciência disso, pois na Régua antes da prova começar pelas 10 da manha já se anunciava na instalação sonora para o cuidado que as pessoas deviam ter em se hidratarem, estranho aviso este que se veio a confirmar ao longo percurso. O certo é que lá partimos debaixo de um sol “castigador” e sem piedade que fazia a temperatura subir conforme os kilometros passavam, assim á passagem dos 5 kms aparece o primeiro abastecimento com dois escuteiros sem mãos a medir perante tantas solicitações, entre as muito poucas garrafas de água que confesso me vieram a ser essenciais, e algumas garrafas de bebidas isotonicas, assim pela primeira vez peguei em 2 garrafas de água aos 5 kms, tal era a temperatura a que estávamos sujeitos. Mais á frente aos 7 kms havia um auto-tanque dos bombeiros a deitar água de mangueira para quem se quisesse refrescar. Após a viragem em direcção á Régua voltamos a encontrar o dito camião mas água para beber nem vê-la, sendo o abastecimento apenas de sólidos (laranjas e bananas) e que não percebi se eram de populares ou da própria organização. Mais á frente e no suposto abastecimento dos 10 kms lá estavam os dois escuteiros já sem uma única garrafa e apenas com dois caixotes de ameixas para fornecer, numa altura em que já toda a gente desesperava por água. É claro que a partir desta altura as coisas iam-se agravando de tal forma que reclamávamos com toda a gente que nos parecia ter algo a haver com a organização, fossem GNR, juízes de prova, ou equipas da RTP que fazia a cobertura da mesma. Passamos novamente a barragem que marca 6 kms para o final da prova e abastecimentos nem vê-los, foi então que por altura dos 17 kms uma alma caridosa na entrada da sua garagem ligou uma mangueira de água, e assim saciava quem podia, dado o desespero em que a maioria se encontrava e se acotovelavam para aceder ao precioso liquido. Volvido mais 1 km já na abordagem á ponte que nos leva á Régua, dois atletas tão revoltados e desesperados como eu seguiam na minha frente quando deparamos com 2 bombeiros na berma da estrada e mais uma vez a revolta e as chamadas de atenção quanto á falta de água, então eles dizem-nos também impotentes para resolver o que quer que seja, para nos queixarmos para uma câmara de reportagem da RTP que estava a filmar a passagem. Nem de propósito e mais á frente uns metros, qual não é o meu espanto, e de todos quantos seguiam perto de mim, deparamos com alguns populares, que honra lhes seja feita, estavam a apanhar garrafas plásticas vazias do chão e a enche-las com uma mangueira para as distribuir pelos atletas em desespero á sua passagem e que apreciaram o gesto apesar da procedência da água. Nesta altura e a 2 kms da meta passei já sem esperanças por uma banca que estava junto á estação com vestígios do que foi um suposto abastecimento. Diga-se que todos os líquidos que consegui serviam metade para beber, e a outra parte para deitar cabeça abaixo, o que fazia baixar a temperatura do corpo dado calor insuportável que se fazia sentir. Os metros que faltavam para a meta pareciam intermináveis e quero aqui deixar uma palavra de agradecimento á grande Atleta e exemplo que é a “nossa” Conceição Grare e que ao me ver passar deixou-me uma refrescante garrafa de água que seria consumida rapidamente, e que deu para aguentar os penosos metros finais até á meta, com o incentivo da Paula. Mas a surpresa maior estava reservada para o fim, porque ao atravessar a meta, nem uma mangueira, nem qualquer outra forma de fornecimento de água nos esperava, o que é de facto desesperante para quem acaba de fazer 21 kms sob um sol escaldante.

    Foi penoso ver pessoas que ao passar a meta caíam para o chão desidratadas e nem uma garrafa de água havia, foi penoso saber que a Flor Madureira ao cortar a meta precisou de auxilio e lhe foi racionada a água. Foi penoso ouvir os apelos desesperados pela instalação sonora a chamar os responsáveis pelas empresas que forneciam os preciosos líquidos e não haver respostas.

    Já depois de receber o saco dos prémios, que por ironia tinha uma garrafa de vinho, quando o liquido pretendido era outro e ainda meio atordoado pelo desenrolar dos acontecimentos fui conduzido pela Paula ás casas de banho públicas mais próximas onde apreciei como nunca uma torneira de água a correr só para mim. Depois de me encharcar literalmente de água, e ao som permanente de sirenes de ambulâncias em auxílio dos muitos atletas que iam quebrando, sentei-me a partilhar com outros atletas a dura experiencia por que tínhamos acabado de passar. Para terminar, acabei com o tempo oficial de 2.03.09, a minha mais dura prova desde que faço corridas.

  122. Vitor Dias escreveu:

    Caros:

    Concordo em pleno com os comentários 97 e 106.
    É bom deixarem aqui os vossos desabafos mas as reclamações devem de seguir para as entidades competentes. A comunicação social pouco ou nada diz (afinal foi contratada pela prova) e se forem ao perfil do Sr. Paulo Costa no facebook, são só elogios (provavelmente dos seus amigos). Façam-se ouvir. Depois do que tem sido escrito, os responsáveis terão que ser chamados à razão, serem penalizados e os atletas compensados de alguma forma.
    Cumprimentos

  123. Ivo Rosa escreveu:

    Uma vez mais digo, os senhores da globalsport tem que ser chamados a atenção, devíamos conseguir fazer chegar toda esta indignação a quem de direito e a comunicação social.
    E para o ano eu não vou estar, e gostava de para o ano esta prova fosse um fracasso em especial em termos de participação, pois com tantas provas que existem no mês de Maio não preciso desta prova no meu calendário.

  124. Lúcia Oliveira escreveu:

    Também lá estive… e peço a todos para pedirem o reembolso… é inadmissivel o que nos fizeram passar!!! Isto foi um mail que a organização enviou ao meu namorado… não deixem passar… peçam o reembolso!!!

    “Exmo Senhor Vitor Rafael

    A organização da Meia Maratona do Douro Vinhateiro vem pelo presente expressar as suas sinceras desculpas pelo sucedido na 5ª edição da prova que decorreu no passado domingo, 23 de Maio, entre a Barragem de Bagaúste e o Peso da Régua.

    A organização lamenta os incidentes provocados pela falha nos abastecimentos líquidos, estando totalmente ciente das consequências da mesma junto da integridade física dos atletas.

    A organização da Meia Maratona do Douro Vinhateiro vem pelo presente reiterar que está totalmente disponível para responder a qualquer contacto dos participantes na prova

    A organização está a analisar todos os dados e factores que desencadearam esta situação de forma a identificar acções de melhorias para a próxima edição a realizar em 2011.

    No seguimento da sua reclamação, a organização compromete-se a devolver através de transferência bancária o valor da sua inscrição, solicitando para tal que nos indique o seu NIB e o seu número de dorsal.

    Paulo Costa
    Director da Organização

  125. Vitor Dias escreveu:

    “Quem não chora não mama”, diz o povo e com razão.
    Mas isto da devolução é apenas para quem pede?
    Não deveria a organização emitir um comunicado oficial no site informando esta situação?
    Vindo de uma empresa que se diz tão profissional… não entendo…
    Cumprimentos

  126. Lúcia Oliveira escreveu:

    Vitor,

    Duvido que eles devolvam o valor da inscrição se não o pedirmos…
    Por isso, se quiser mesmo receber, o melhor é fazer um copy paste deste mail e enviar para a organização com os dados que eles pedem!!!

    FAÇAM PASSAR O E-MAIL!!!

  127. Miguel Barbot escreveu:

    Quando passei pela meta antes do retorno final, ouvi o speaker dizer que as inscrições seriam devolvidas. Ou será que foi só no “calor” do momento?

  128. Ivo Rosa escreveu:

    Na volta ele disse isso pois também estaria a ficar com a garganta seca…

  129. Helder Pereira escreveu:

    Reclamem para o email: info@meiamaratonadouro.com , e fornecam o NIB + NR. DORSAL. a organização da prova diz … “No seguimento da sua reclamação, a organização compromete-se a devolver através de transferência bancária o valor da sua inscrição, solicitando para tal que nos indique o seu NIB e o seu número de dorsal.” … Eu estou à espera dos meus 14 euros…

  130. Cristina Neto escreveu:

    Mais um testemunho: eu estive lá, bebi aos 5km e só voltei a beber aos 18km graças aos populares que com mangueira nos ajudavam, primeiro dois goles e depois duma garrafa apanhada do chão e enchida na mangueira. Desisti de correr quando cheguei aos 15 e percebi que não iria haver água. Próximo da Régua, ouvia os altifalantes a pedirem água para a meta, ainda bebi da população e dum atleta que já vinha de regresso,mas na meta, nem gota!
    Já tinha ido á 2ª e à 3ªedições, nesta última cheguei a ganhar um prémio no escalão de veterana, nesta não queria acreditar no que estava a acontecer. Foi demasiado mau, tanto a falha como a falta de resposta para a falha cometida.
    Em Ovar ainda se corre sem chip electrónico, com um sistema de elasticos, temos de entregar o dorsal no final, mas não tem falhado nada, até bombeiros com spray pelo caminho existe para ajudar os atletas.
    Tenho deixado os meus comentários nos vários sites que encontro e enviei-lhes um mail.
    É pena porque realmente é uma bonita corrida.

  131. Paula Rios Marques escreveu:

    Dorsal 7038 – Também estive lá, também vivi e sofri este horror e já fiz a denuncia a todos os organismos acima referidos. Espero que o façam todos tb, porque este dia não pode ficar esquecido e nem os responsáveis podem sair impunes depois de tão grande irresponsabilidade e negligência…

  132. Jorge Almeida escreveu:

    Também recebi o e-mail referido no comentário 124. Só lamentei o facto de tardiamente terem pedido desculpas.
    Penso que todos devem reflectir sobre o que se passou aprender com este erro. Foi muito grave e não se deve voltar a repetir. Cabe agora às entidades que tutelam o desporto, nomeadamente o atletismo, intervir da melhor forma para punir quem negligenciou o apoio aos atletas. Se não transmitirmos a nossa indignação as estas entidades tal situação poderá voltar a acontecer e a culpa volta a “morrer solteira”.
    Bons treinos.

    P.S. concordo com o comentário anterior “É pena porque realmente é uma bonita corrida.”

  133. darcilio escreveu:

    Eu tambem esteve presente e pode assistir a este horrivel acontecimento, que só não foi pior, devido a alguns populares que ofereceram agua das torneiras das suas casas.Mas enquanto houver paulos costas que veem nas organizaões desportivas uma forma de ganhar dinheiro,não olhando as sequências,tudo pode voltar a acontecer.
    Já agora uma referência ao director tecnico, será só dar o nome e ir buscar a comissão,se for? será o suficiente, não devia ir dar uma volta para ver se estava tudo em plenas condições para começar uma prova destas, que eu disse adeus na 1ª vez que lá fui correr.

  134. Veronica escreveu:

    Eu tambem estive presente na meia maratona da sede e foi mesmo horrivel…Nao bebi aos 5km xq ainda nao tinha sede (!) e só voltei a beber aos 18km duma garrafa apanhada do chão medio vazia que partilhei com mais 4 corredores… Foi terrivel, nao consego perceber como fizeram isso aos corredores, é verdadeiramente vergonhoso (e criminoso). Foi penoso ver pessoas que ao passar a meta caíam para o chão desidratadas. Eu estive muito preocupada por o meu namorado- como eu cheguei antes (se bem ainda nao sei como consegui chegar nessas condicoes…) e ele nao aparecia na meta pensei que talvez tinha desmaiado como tantos outros…Foi horrivel, estive muito preocupada, quase a voltar a fazer parte do percurso a sua procura, para le dar uma agua que tinha comprado na loja de ola na meta (nao havia agua na chegada assim que a tive que comprar). Quando o vi aparecer foi o melhor (e unico bom) da corrida. Nos no voltamos a por la os pes NUNCA MAIS

  135. Marco Silva escreveu:

    Eu acho que se devia saber quem foi a pessoa benemérita, que amávelmente contribui para que a desgraça não fosse maior, quando aos 17km com um espirito de bombeiro, agarrou na sua mangueira e gratuitamente matou a sede a todos aqueles que devido a má organização da prova estavam em muitas dificuldades, e agradecer-lhe.
    Sem exageros, eu proponho a entrega de uma Medalha de mérito desportivo, seja da cidade ou até do país, volta a frisar, digo isto sem exageros, até porque quem aqui anda, sabe que em Portugal não são muitos os que que não correm que nos dão valor, a avaliar até pela a organização desta prova.
    Abraços.

  136. Lúcia Oliveira escreveu:

    Marco,

    Esse senhor foi mesmo um milagre… todos nós lhe deviamos agradecer. Se não fosse ele, muita gente cairia para o lado…
    Se o plano da medalha for para a frente… contem comigo!!!

  137. Jorge Esteves escreveu:

    Olá,

    Pouco mais há a acrescentar ao que foi dito, também passei o meu desespero ao lado de tantos outros, que caminhávamos como zombies, desesperados com a sede debaixo daquela temperatura. Quando ao fim de 2:28 passei a meta, a arrasatar-me, nem uma gota de água, nem ninguém para dar apoio.

    Pedi o reembolso da inscrição, mas nem é pelo dinheiro, tanto que, indiquei uma instituição de solidariedade para o depositarem. Sugiro que façam o mesmo, assim o nosso sacrifício não terá sido em vão.

    Abraço

  138. psb escreveu:

    Deixo mais uma nota, apenas na sexta feira à tarde é que a organização notou que não tinha Dorsais, alugou os chips a pensar que vinham com Dorsais, mas não vinham, assim tentou à pressa em Lisboa a impressão dos Dorsais o que não foi possível, virando-se então para uma empresa espanhola. Este é o motivo pelo qual a mini não teve dorsais. Também só na 6ª feira é que se lembraram que era necessário um carro com o cronómetro no tejadilho, tendo ido alugar o mesmo à pressa a Lisboa.

  139. Peter Azul escreveu:

    Fogo, essa parte desconhecia…realmente achei muito estranho a mini não apresentar dorsais…mas enfim…
    A organização não se apercebeu que não teria água suficiente nos abastecimentos? Tomou alguma medida para isso?

  140. Tiago escreveu:

    Engraçado… já assisti a provas de cães muito melhor organizadas… nunca vi nada igual… até parace que nunca organizaram nada.. e se calhar, no verdadeiro sentido do termo “organizar”..não…

  141. Sara escreveu:

    Não acredito que seja por isso que a mini não tenha dorsais, uma vez que participo na mini pelo 3º ano consecutivo e nunca existiram dorsais, uma vez que também se trata de uma caminhada sem fins competitivos.. basta irem ver as fotos da caminhada das edições antigas e vêm que não levavam dorsais, uma vez que nos dão a t-shirt antecipadamente vêm que somos da caminhada, nem é esse o problema..
    Agora se este ano se lembraram de fazer diferente na caminhada e entregarem dorsais ai já é outra coisa
    Mas pronto, agora também critica-se o que não aconteceu

  142. Paulo escreveu:

    Nas anteriores edições havia dorsais na caminhada
    porque essa era a forma dos participantes da caminhada ficarem habilitados ao carro.
    Este ano nem sei como fizeram com os participantes da caminhada.
    Eu também estive lá na meia pela 4ª vez e ainda agora me lembro de situações que me parecem filme.

  143. Sara escreveu:

    engraçado que fui sempre das primeiras a inscrever-me na caminhada e NUNCA tive dorsal, basta ir à galeria do site da prova e ver a 3º edição da prova e a 4º mas pronto, se assim é como diz não entendo porque paguei como todos os outros e também todos os outros ou maioria não teve dorsal mas ok, a questão que aqui está em evidência é a falta de respeito pela integridade fisica dos atletas, principalmente da meia maratona claro

    Saudações desportivas para todos e continuação de bons treinos e provas.

  144. João Meixedo escreveu:

    Não estive lá este ano, pelo que vendo a informação pelo mesmo preço que a obtive: disse-me hoje um amigo que lá foi correr que no início havia laranjas, mas estavam inteiras, em vez de cortadas em 4 ou 6, como é hábito.
    Vá lá que não se lembraram de oferecer cocos.

  145. Localvisão TV escreveu:

    A Localvisão esteve na 5ª Meia maratona do Douro Vinhateiro. Deixo o link da reportagem realizada.

    http://www.localvisao.tv/vplay/index.asp?rid=17mQM9J8QIg1DbcHG0eL

  146. José Catarino escreveu:

    Intolerável,dantesco,pânico, e sobretudo criminoso, são para mim os adjectivos mais apropriados à organização da prova da Régua 2010. Tanto a I.A.A.F, como a F.P.A.,devem exigir no concreto, o que se passou durante e no fim da prova,pois não fica, nem ficará?bem a uma prova, com a Arquitectura que esta possui,em que por exºvi atletas à minha frente a encurtarem caminho,praticamente no final da prova,e outras a darem pontapés nas garrafas, para se certificarem se tinham àgua.A F.P.A.e I.A.A.F,pode-lhes parecer anedota,o que aqui transcrevo, mas eu fui um dos resistentes, e desde já um forte abraço a todos os que terminaram a prova, dizia eu que aos olhos das mencionadas organizações, poderão não acreditar,mas aconteceu, vi com olhos que a terra me há-de comer, e será bom,não só para os residentes da Régua(que cite-se, foram os verdadeiros amigos e colaboradores dos atletas,mas também para o País(principalmente), pois estes senhores, que mancharam a prova, não estão a reparar, ou ainda não viram com «olhos de ver»,que estão a denegrir, e a prejudicar, uma marca,uma região, mas sobretudo um património da humanidade.Apure-se a realidade, porque ela existe no concreto,para analisar e estudar o que se passou, para que a verdade venha ao de cima, e seja feita justiça.Quanto a mim estou disposto como atleta,a que seja dada uma oportunidade,a um novo evento, com o cariz a que ele tem direito, pois o povo da Régua,nem o País não merecem, mas com uma organização que não falhe.Não são coisas com que se brinque, o País precisa de gente capaz, precisa da nossa ajuda, tenho Fé, nas gentes trabalhadoras das carpas que admiro, «das mais belas que conheço»,pois também como católico e português,não «pretoguês», como alguns querem,que nós sejamos,pois existo para servir, e não ser servido. Força Portugal,às armas e aos barões asinalados, lutar contra certa gente, é preciso e urgente. Já.

  147. Angel escreveu:

    A classificaçao está errada,pois quem foi o verdadeiro campeão foi o Homem da mangueira(varias vezes aqui citado)eu que o diga pois quando já viamos a ponte e completamente desidratados eis que surje este verdadeiro heroi com uma mangueira de rega a matar a sede aos atletas que passavam,as pessoas bebiam encharcavam-se era o delirio total,só assim é que consegui chegar á meta.Durante o percurso toda a malta falava no Homem da mangueira.
    Vim a saber que este atleta de 60 anos é o Manual Magalhaes da equipa do Rompe-Solas de Vila do Conde que teve o descernimento de socorrer muitos dos atletas que vinham numa penuria (só visto).
    Acho que os atletas desta meia maratona atraves do email dele magalhaes.azurara@hotmail.com ou outra forma de lhe pestar uma homenagem ,que acho que ele merece.Ele é que foi o verdadeiro campeao.
    Por mim muito obrigado ao Manel Magalhaes.

  148. Carlos Castro escreveu:

    …estou sem palavras!
    Durante meses “fartei-me” de publicitar esta prova junto de muitos amigos indecisos, que nunca lá haviam corrido!
    Não fui, por estar lesionado, senão teria ido…
    E agora deparo-me com este cenário!
    Jamais concebia que uma situação destas fosse possivel de acontecer!

  149. Inês Moreira escreveu:

    Esta foi a primeira vez que participei na prova e de facto nunca é demais dizer que a paisagem é lindissima!Contrariamente a muitos não tive falta de água, muito pelo contrário mas tenho uma coisa importante a dizer. Sou totalmente contra o facto de se misturar as pessoas que caminham com aquelas que fazem os 6 kms. Digo isto porque fiz os 6 kms e andei literalmente aos S(esses) durante os meus 2 km iniciais(para não dizer mais) porque as pessoas caminhavam em grupos, à esquerda, à direita ou onde lhes dava mais jeito. A minha sugestão é que ou criam 3 grupos (os que correm a meia maratona, os que correm a mini maratona e os que caminham) ou então diz às pessoas que caminham que o façam de um dos lados e não literalmente á toa que foi o que aconteceu! Garantidamente seria uma medida eficiente e não causaria grandes trasntornos.
    Aguardo comentários da organização e dos meus colegas de maratona.Obrigada

  150. Fernando Pereira escreveu:

    Olá a todos

    Quero aqui informar a todos que já recebi a devulção do pagamento da minha inscrição da meia maratona do Douro no dia 31 da Maio de 2010.

    Boas corridas.

  151. abilio da silva monteiro escreveu:

    Olá a todos, queria informar que tambem já recebi a devolução do pagamento da minha inscrição da m m douro no dia 2-o6-2010. Fação o mesmo. bons treinos e muita felicidade para todos.

  152. José Pedro Ferreira escreveu:

    Olá Abílio monteiro!
    Sou um dos que “sobreviveu” à prova e é minha intenção pedir a devolução do meu dinheiro da Prova!
    A quem te dirigistes e em que termos?
    Podes enviar-me um mail para o meu endereço?
    jpedropatricio@gmail.com
    Um abraço e boas corridas!
    Zé Pedro Ferreira

  153. Filipe Afonso escreveu:

    Boa tarde Sr.

    O email que me respondeu foi:

    nuno.pires@globalsportdouro.com

    Cump
    Filipe Afonso

    Se vier para estes lados da Serra da Estrela aproveite esta em Montanha (já dia 13):
    http://www.ambi-reci.pt/afpme/index.php?option=com_content&view=article&id=233&Itemid=98
    CAMPEONATO DE PORTUGAL DE CORRIDA EM MONTANHA

    4º CIRCUITO DOS 3 CÂNTAROS
    2010 SKYRUNNER WORLD SERIES TRAILS – ISF

  154. Vitor Dias escreveu:

    Quinze dias após esta controversa prova, publicaremos amanhã (segunda-feira) uma entrevista exclusiva com Paulo Costa, director da Meia Maratona do Douro Vinhateiro.

  155. joao ferreira escreveu:

    Li atentamente a entrevista do Sr. Paulo Costa, a qual, bem estruturada e cirurgicamente publicitária, não anula a vergonhosa acção (porque irresponsável) da Organização quando deparou com a criminosa situação dos atletas que iam chegando em fase de extrema tortura! Bem pode o Sr. Paulo Costa dizer que devolvem o dinheiro a quem reclamar, isso é típico de pessoas autistas que não querem esconder a realidade, porque nem todos correm por dinheiro e se há coisa que não vou pedir é o reembolso da inscrição, haja respeito por quem corre por gosto e por quem faz de facto as provas grandes – os corredores de pelotão. Agora é certo, com esta Organização nunca a prova será a mais bonita do mundo, e por mim , pela enorme desconsideração que tiveram – fiz 300 Km – nunca mais lá ponho os pés. Bem hajam..

  156. Ze Manel escreveu:

    No final desta corrida, para além da água também já não havia os habituais sacos de lembranças com os prémios de participação e foi dito a alta voz para darmos os nossos dados e respectivos números de dorsais que seriam posteriormente enviados, alguém recebeu alguma coisa? Já mandei mail mas sem sucesso…

  157. Jose escreveu:

    Hoje vi a anunciar que já existe nova data para a edição de 2011, como se diz num programa de televisão é caso para dizer:

    “Paga o que deves”

Deixe o seu comentário