Métodos de treino de velocidade

Autor: Filipa Vicente  |   Categoria: Treino

Para melhorar os seus tempos numa distância tem que inevitavelmente aumentar a sua   velocidade de corrida, ou melhor dizendo baixar o seu ritmo e esse é um dos maiores desafios do corredor de meio-fundo e fundo. A maior parte dos corredores preocupa-se sobretudo com a resistência aeróbia, que lhes permite correr durante mais tempo, no entanto isso parece não chegar para melhorar as marcas. O treino de velocidade acaba por ser uma realidade mesmo para quem quer correr uma maratona.

De acordo com o Professor Moniz Pereira, pai dos métodos de treino do meio-fundo e fundo em Portugal, o treino de velocidade consiste numa sessão intervalada, a duração dos intervalos e a sua intensidade são as principais variáveis a ter em conta: 

Intervalado curto

  • Deve ser feito em pista ou com distâncias conhecidas e num piso regular.
  • A distância indicada varia entre os 200 e 400m que devem ser percorridos num espaço de 1 minuto a 1 minuto e meio.
  • O atleta deve começar com 4 a 6 séries e pode ir até 12 ou mesmo 15, devendo diminuir o volume a 2 semanas da prova e podendo mesmo eliminar na última semana.
  • A velocidade deve ser constante entre as várias séries de intervalos. Embora pareça tentador fazer um esforço progressivo, o objectivo é melhorar entre sessões mas manter um esforço relativamente constante numa mesma sessão.
  • A intensidade é, naturalmente, perto da frequência cardíaca máxima devendo o atleta ter uma preparação suficiente para este tipo de esforço.
  • A recuperação deve ser feita em trote lento, idealmente, podendo haver paragem completa do esforço entre repetições.
  • Desenvolve sobretudo potência muscular.

 Intervalado longo

  • Pode ser feito em função do tempo ou da distância, podendo não ser feito em pista.
  • Consiste em intervalos de 3 a 5 minutos, ou distâncias de 1000 a 5000m.
  • O ritmo escolhido deve estar muito próximo do ritmo de prova, e o número de séries varia entre 3 e 5 intervalos por sessão. À medida que se aproxima da prova, diminua a distância dos intervalos ou a sua duração.
  • A recuperação deve ser sempre feita em trote lento, com a mesma duração do intervalo e a intensidade ronda os 70-80% da Frequência cardíaca máxima.
  • Este método trabalha sobre o limiar anaeróbio, melhorando a tolerância ao ácido láctico o que atrasa a fadiga muscular do atleta.

 Fartlek

  • Trata-se sobretudo de um jogo de corridas, pelo que não tem uma distância ou intervalo definidos.
  • O atleta deve procurar pontos de referência ao seu redor e acelerar até eles, recuperando depois em trote lento. Uma sessão pode ter 20’ a 45’ de duração e a intensidade varia entre os intervalos dos métodos anteriores, conforme o nível de esforço pretendido pelo atleta.
  • Além da velocidade e do limiar anaeróbio, este método contribui também para uma melhoria da condição aeróbia.

Time-trial ou Tempo-run

  • Consiste em correr uma determinada distância no mínimo tempo possível ou correr a maior distância possível num determinado tempo. Basicamente, é uma corrida cronometrada.
  • O ritmo escolhido deve estar muito próximo do ritmo de competição, podendo ser definido como “confortavelmente exigente”.
  • Trata-se de um trabalho específico para a prova, desenvolvendo as três variáveis: a velocidade, a condição aeróbia e o limiar anaeróbio.

 Vantagens e desvantagens dos métodos

De uma forma geral, o treino de velocidade é o menos agradável para o corredor de meio-fundo e fundo.

Este está habituado sobretudo a “rolar” e estes métodos exigem cronómetro, distâncias específicas, esforços controlados e concentração/focus mental. No entanto, pela sua importância na melhoria da performance, é raro o atleta de pelotão que ainda não aderiu a pelo menos um deles.

Nesse sentido, o fartlek é o método mais divertido na medida em que lhe permite inserir no seu treino habitual acelerações ao sabor do seu feeling. Se gosta especialmente daquela rampa ou daquela volta ao lago, basta acelerar e voltar depois ao “rolamento” até passar noutro ponto interessante. Se corre na praia pode, por exemplo, correr a fugir das ondas na zona da rebentação. Enfim, há um sem número de combinações neste que é um jogo por definição.

Mas, tudo o que é demais cansa e poderá mesmo ter de se obrigar a treinar esse ritmo. Os intervalados curtos, ou séries, exigem que tenha uma pista ao dispor ou distâncias pré-definidas e obrigam a uma maior concentração enquanto os intervalados longos lhe permitem trabalhar num ritmo menos exigente mas mais realista do seu esforço de prova.

Por último, abra guerra com o cronómetro e saia para uma tempo-run algumas semanas antes da prova. Descubra o resultado de todo esse esforço. Em alternativa, procure uma prova mais curta antes do evento para que tem treinado. O ambiente de prova é favorável a uma boa prestação mas deve encarar isso como um treino.

Qualquer que seja o método utilizado, não dispense um aquecimento e um retorno à calma suficientes. Estas sessões devem ser geralmente mais curtas em duração, podendo ser feitas no dia em que tem menos tempo mas deve fazer 10-15’ de trote lento, alongamentos e eventualmente alguns exercícios de resistência (abdominais, lunges, agachamentos, step-ups).

No retorno à calma, termine com o mesmo tempo de trote e alongamentos. Não perca o artigo sobre flexibilidade e alongamentos.  

 

Bibliografia:

Pedro, F. e Colaço, P. (2001) O treino do corredor de meio-fundo – reflexões e propostas de trabalho.

Artigos relacionados

  • Fartlek – O jogo de corridasFartlek – O jogo de corridas Se corre já há algum tempo, muito provavelmente já ouviu pelo menos falar em Fartlek. Tenha ou não ouvido falar, saiba como surgiu este termo, em que consiste e de que forma o pode favorecer nos seus treinos e provas. O term...
  • 10Km  Imbatíveis10Km Imbatíveis As provas de 10Km são a santa trindade da corrida a pé, combinam velocidade, resistência e força. Estão ao alcance de quem começa agora e afinam a estratégia dos atletas de elite para provas mais longas. A provas São Silvestre ...
  • Um Plano para vencer (os quilómetros)Um Plano para vencer (os quilómetros) Tomou-lhe o gosto e as corridas no parque já são uma constante? Melhore a sua performance e comece a tirar maior partido do esforço no parque ou na estrada, neste artigo falamos dos três componentes essenciais na pirâmide do tr...
  • Treino de FlexibilidadeTreino de Flexibilidade O treino de flexibilidade não deve ser visto unicamente como alongamento muscular, pré ou pós treino. Trabalhar a flexibilidade deve ser feito a vários níveis- físico, psíquico, espiritual e social. A flexibilidade física, tal...
  • Técnica de corrida ITécnica de corrida I Os exercícios de técnica de corrida são essenciais para manter uma passada regular e correcta, permitem uma aprendizagem técnica e até uma adaptação do sistema nervoso ao movimento de correr. Pode realizá-los como complement...
PUBLICIDADE
FILIPA VICENTE - NUTRICIONISTA

Tags: , , , ,

18 Respostas a “Métodos de treino de velocidade”

  1. alvaro quiterio escreveu:

    acho que estas imformações como se deve fazer
    varios tipos de treino são bastante uteis para quem minimamente gosta de atletismo

  2. alvaro quiterio escreveu:

    gostaria de saber qual o preço deste livro ?

  3. Nelson Perneta escreveu:

    Olá Dra.Filipa.Estou de acordo, a velocidade dá resultados em todos os níveis, inventado pelos alemães nos anos trinta,aplicado praticámente em todos os desportos.Com respeito a nossa modalidade aperfeiçoado pelo nosso querido mister prfss.Moniz Pereira a quem o atletismo lhe deve muito,na minha opinião,felecidades.

  4. raniere pinheiro escreveu:

    gostaria de saber tecnicas para melhorar minha velocida 100 200 400
    11,35 25,25 56,10
    quero paticipa do paraibano agora em abril……….ok

  5. Acad. Ed. Fís. escreveu:

    Ola…

    gostaria de lembrar-lhes que o treino de fartlek citado nesse texto nao é um treino para velocidade e sim para resistencia de velocidade, uma compomente bem diferente.

    Att.
    Academico de Educacao Fisica

  6. Junior Oliveira escreveu:

    é muito bom

  7. Cassio Pereira escreveu:

    Preciso desenvolver minha explosão e agilidade para pequenas distâncias… Jogo basquete e gostaria de saber se existe treinos específicos para tal finalidade?

  8. victor mateus escreveu:

    presiso melhorar minha saida do bloco…
    apredi muita coisa que eu antes ñ sabia…
    muito obrigado pela aula……………….

  9. Nuno Burguette escreveu:

    Agradeço informação treino para jovens e adultos, (8 anos a veteranos -65 anos)em atletismo – velocidade, fundo e meio fundo

  10. Waldenia Morais escreveu:

    Para corridas de 10 a 21 k, a passada mais curta e com maior frequencia seria a ideal?

  11. Vitor Dias escreveu:

    Olá Waldenia

    Na minha opinião, a melhor passada é aquela com que nos sentimos confortáveis.
    Corremos desde pequenos e não é fácil alterarmos a nossa forma de correr.
    Se corre por prazer não se preocupe com isso e corra da forma que lhe der mais conforto.

    Cumprimentos

  12. CRISTIAN escreveu:

    EU GOSTARIA DE SABER COMO EU POSSO MELHORAR MINHAS TECNICAS DE VELOSIDADE………..OK

  13. Marcos de Oiveira escreveu:

    muito dez!!

  14. Welison Gomes da Silva escreveu:

    que basquete vc tem que ser velosista como eu para ser campeão como eu dos 75m

  15. Atleta Amador escreveu:

    Importante esse treinos para atletas de alto nivel. Para os amadores, ainda precisam melhorar muito a resistencia para correr bem as provas de 10 km.

  16. Flávio Corredor escreveu:

    Normalmente eu corro alternando entre dois tipos de pisada: a convencional (começando com o calcanhar) e a “natural” (pisando só as plantas ou quase as pontas dos pés). Eu alterno conforme eu sentir mais confortável e apropriado, normalmente uso a pisada convencional para aumentar a velocidade ou dar sprints. É saudável isso?

  17. Roberto escreveu:

    Gostaria de uma planilha se possível muito obrigado pelas dicas gostei bastante vou começar treinar

  18. Caetano dias junior escreveu:

    eu não tenho pista para treinar tiros gosto fazer treinos com rodagem confortável e correr no estilo fartlek , minha duvida no meus longão eu devo correr no fartlek e ou fazer uma rodagem …meus longão tó fazendo entre 18 km e 30 km…durante a semana faço sempre treino de rodagem com 10 km ou 12 km …mais ou menos faço um tempo de 50 mim ….

Deixe o seu comentário